Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Artigos Espíritas => Tópico iniciado por: Amigos fraternos em 20 de Dezembro de 2008, 13:30

Título: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Amigos fraternos em 20 de Dezembro de 2008, 13:30

Há cerca de quarenta anos, surgiu, no Paraná, um médium até então desconhecido nos meios espíritas daquele Estado, por não militar na Federação ou em núcleos conhecidos.

Começou com algumas mensagens, recebidas sempre sozinho em sua residência, atribuídas a um espírito de oriental, cujo pseudônimo adotado foi Ramatis A que mais aceitação obteve foi “Magia de redenção”, já então preocupado o autor com os problemas da magia e com os habitantes de outros astros.

Seu livro “A vida no planeta Marte” foi um verdadeiro sucesso. Tornou-se a coqueluche de milhares de espiritualistas. Queriam os crentes saber se os marcianos tinham mãos como as nossas, nariz iguais aos nossos, escudos etc. Entende-se o sucesso, conhecendo-se a tendência à fantasia, comum em nosso povo. Já estavam surgindo os filmes de ficção.

Ainda, por cima, os livros de Ramatis foram escritos com redação boa, agradável seqüência, e, no meio dos absurdos, muitas noções exatas e conceitos interessantes.

Os livros de Ramatis passaram a ser muito vendidos e lotaram as livrarias e bibliotecas espíritas, praticamente do Brasil inteiro. Em muitos centros espíritas e federações, vendia-se mais Ramatis do que o total dos livros da Codificação! Diziam: “Kardec está superado, pois temos, agora, as novas revelações de Ramatis”.


Felizmente ainda existem pessoas equilibradas e que sabem analisar as coisas. J. Herculano Pires, esse brilhante sociólogo e jornalista, que brindou o mundo espírita com numerosos livros de valor, mantinha, no Diário de S. Paulo, durante muitos anos, uma coluna com o pseudônimo “Irmão Saulo”, lida por espíritas e não-espíritas. Herculano resolveu fazer uma oportuna campanha de esclarecimento, com relação aos livros de Ramatis, publicando numerosos comentários naquele jornal. Reconhecendo o valor intelectual de Ramatis, mas igualmente conhecendo o perigo das idéias exóticas, Herculano classificou-o como espírito “pseudo-sábio”. Realmente. “Perigoso não é o expositor ou autor que só diz tolices, vazadas em linguagem obscura, pobre, cheia de erros gramaticais e idéias pueris. Perigoso, sim, é o que expõe certo número de noções exatas, que usa argumentação brilhante, mas introduz, de permeio, idéias erradas e perigosas. Assim, tais idéias têm grande probabilidade de aceitação. É o que acontece com Ramatis”.

Vejamos o que diz “O Livro dos Médiuns” – pergunta 296 – Pergunta sobre os outros mundos: “Qual o grau de confiança que podemos ter nas descrições dos espíritos sobre os outros mundos?

R. – Isso depende do grau de adiantamento real dos espíritos que dão essas descrições. Porque compreendeis que os espíritos vulgares são tão incapazes de vos informar a respeito, como um ignorante o seria, entre vós, no tocante aos países da Terra. Formulais, muitas vezes, sobre esses mundos, questões científicas que esses espíritos não podem resolver. Se são de boa fé, falam a respeito disso, segundo suas idéias pessoais. Se são levianos, divertem-se a vos dar descrições bizarras e fantásticas, tanto mais que esses espíritos, tão imaginoso na erraticidade, como na Terra, tiram da própria imaginação o relato de muitas coisas que nada têm de real.”

Retrato perfeito de Ramatis, traçado cem anos antes…

Em cada ano, vinha um novo livro de Ramatis. Em 1962, “O sublime peregrino”, contando a vida de Jesus. A diretoria da Federação Espírita do Estado de São Paulo preocupada com o rumo que as coisas tomavam, solicitou à Comissão de Doutrina que fizesse um estudo minucioso e desapaixonado sobre esse livro. A comissão, da qual fazíamos parte, elaborou o seguinte parecer, que foi aprovado unanimemente pelo Conselho Deliberativo da Feesp:

“O livro em apreço apresenta algumas facetas interessantes e vários capítulos perfeitamente aceitáveis; todavia contém erros doutrinários clamorosos à luz do Espiritismo, como os contidos nos capítulos 4 e 5, que poderá semear a confusão nos meios espíritas. Admite a influência astral sobre as criaturas como força decisiva no seu destino (páginas 36 e 54); admite que os destinos estão traçados há muito tempo (pág. 56); e, pior que tudo, faz distinção entre Jesus e o Cristo, dizendo que o “Cristo Planetário” é uma entidade arcangélica, enquanto Jesus de Nazaré foi o seu médium mais perfeito na Terra (pág.62). Ramatis usa, constantemente, imagens e expressões católicas, como: arcanjo planetário, comando angélico, empreitada satânica, angelitude, coletividades satânicas, espíritos diabólicos, Salvador dos homens, atender à vontade do Senhor, a fim de redimir a humanidade, Jesus se glorificou pela sua própria morte sacrificial na cruz, carregava nos ombros frágeis a cruz das dores e do sofrimento de todos os homens etc. A todo instante, valoriza a influência dos astros, coisa jamais aceita por Kardec. Introduz conceitos orientais na interpretação da vida de Jesus.

Para que não haja confusões doutrinárias, considera a Federação que a leitura do livro só deveria ser feita por pessoas bem esclarecidas na Doutrina, com capacidade para extrair as noções boas da obra, escoimando-as das graves falhas à luz da Codificação, a fim de que se evitem os perigosos desvios doutrinários, uma vez que a obra não pode ser considerada de teor espírita por vir profundamente eivada de expressões não-espíritas, essencialmente esotéricas e católicas
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Atma em 20 de Dezembro de 2008, 17:43
OI André.

Este é um dos conceitos de um dos membros do FE, ao qual faço minhas palavras, englobando todos os assuntos e obras referentes a Ramatis. 

A vaidade exacerbada, faz com que o verme da perseguição  alastre seus tentáculos por sobre o espírito imprecavido. E isso acontece com Espíritas também, daí essa perseguição a Ramatis.
A defesa ao que o Espírito diz, é por mim proposta não porque advogue a causa dele, Ramatis, mas por advogar a causa Espírita, e é a doutrina na voz de seu codificador que diz: Todo espírito tem direito a emitir a sua opinião pessoal encarnado ou não, logo Ramatis também o pode fazer.

Ramatis não se diz Espírito Espírita e sim Espírito Esotérico, de linha indianista, logo não subverte, como você mesmo disse a doutrina.
Mas vou além: Perguntei a Divaldo, em reunião em que estivemos juntos, sobre Ramatis, quem respondeu foi Joanna De Angelis, e nos disse que Ramatis era, no entender dela, Espírito muito considerado nas altitudes celestes. sob o mesmo ponto de vista resposnderam os Espíritos Cahibar Shutell e Hermes, não estaria ai  um pequeno consenso entre os Espíritos? Por que então essa perseguição?

Por falta única e exclusiva de formação doutrinária, simples assim, posto que aqueles que não se dão tempo para estudarem a doutrina , não a conhecendo saem em campo  da palavra vã, para defender o que não necessita de defesa, a doutrina Espírita, não é mesmo?
Abraços,
Mourarego

Paz, saúde e alegria!
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: hcancela em 20 de Dezembro de 2008, 21:48
Olá amigos(as)

Desde alguns anos para cá,tenho constatado que de fato,existe algum frizão,em relação a Ramatis,e, na minha busca através da leitura,tentei para mim mesmo ter uma conclusão,em relação ao espirito amigo em questão.
Li 7 ou 8 livros e não constatei nada que fugi-se do entendimento espirita:que me digam que é diferente acredito ,mas dai a desvirtuar a doutrina espirita!....
Existe outra razão que me leva a entender o referido autor;será que nós os espiritas temos assim a mente tão aberta,ou continuamos dogmatizados?
ALLAN KARDEC E JESUS,não disseram que não interessa a forma mas, o contiudo:
Os seus ensinamentos são válidos,cabe a cada um de nós filtrar o que interessa,independente de ser Ramatis,ou,qualquer outro espirito(perdoem a expressão) tudo tem de ser levado ao centro da nossa razão,isto é ;...não admitir nada,mas também não rejeitar nada.
Penso que só assim nos poderá levar ao entendimento racional da boa fé que é aquilo que o espirtismo nos ensina.

SAUDAÇÕES FRATERNAS
CANCELA
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Anton Kiudero em 20 de Dezembro de 2008, 22:57

R. – Isso depende do grau de adiantamento real dos espíritos que dão essas descrições. Porque compreendeis que os espíritos vulgares são tão incapazes de vos informar a respeito, como um ignorante o seria, entre vós, no tocante aos países da Terra. Formulais, muitas vezes, sobre esses mundos, questões científicas que esses espíritos não podem resolver. Se são de boa fé, falam a respeito disso, segundo suas idéias pessoais. Se são levianos, divertem-se a vos dar descrições bizarras e fantásticas, tanto mais que esses espíritos, tão imaginoso na erraticidade, como na Terra, tiram da própria imaginação o relato de muitas coisas que nada têm de real.”

Retrato perfeito de Ramatis, traçado cem anos antes…

E não será um retrato perfeito tambem de Andre Luiz e de outras centenas de espiritos que nos relatam cenas do astral? Porque tanto uns como outros escrevem apenas sobre o que creem ver e isto esta longe de ser algo real...

Ha tanta realidade na vida em Marte tal como descrita por Ramatis, como em Nosso Lar ou nas Violetas na Janela...

Não estou com isto denegrindo ninguem. Apenas utilizando os mesmos pesos e as  mesmas medidas para todos.

Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 20 de Dezembro de 2008, 23:07
Olá amigos!

Este parágrafo foi retirado ao acaso da internet. Poderia ser um outro qualquer entre os que às dezenas existem e que serviriam da mesma forma para esta reflexão.

“O ‘fim do mundo’ profetizado refere-se tão somente ao fim da humanidade anti-cristã; será uma seleção em que se destaquem os da ‘direita’ e os da ‘esquerda’ do Cristo. Trata-se de promoção da Terra e de sua humanidade; lembra um severo exame que, para os alunos relapsos e ociosos, representa terrível calamidade! Mas de modo algum a vossa morada planetária sairá do rodopio em torno do Sol, onde também constitui importante âncora do sistema. Após a operação cósmica, que lhe será de excelente benefício para a estrutura geofísica, deverá possuir maior equilíbrio, melhor circulação vital-energética na distribuição harmônica das correntes magnéticas, além de oferecer um ambiente psíquico já higienizado.”
‘Mensagens do Astral’, de Ramatís

Qual o objectivo destas profecias? Obrigar o livre-arbitrio de cada um a submetesse a estas “verdades” sob a ameaça do “castigo”?

É colocar desde já de sobre aviso todos aqueles que não têm outro remédio do que ser relegados para os mundos primitivos?

É admissível que não existam espíritos “eleitos”, neste apocalipse anunciado, dentro de todos aqueles que encontram a iluminação da sua conduta noutra referência que não a cristã? Será que eu li bem? Alguém entre nós pode aceitar esta “verdade”?

É este o ambiente higienizado que surgirá na Terra?

Algum de nós consegue conceber um capítulo nas obras da codificação que seja dedicado a temas dentro deste âmbito?

De que modo a forma intimidatória com que este nosso irmão se refere, à terrível calamidade que sofrerão todos aqueles que não se encontra na esfera de perfeição por ele mesmo definida, poderia ser tido em conta dentro da verdade consolada que nos traz a revelação espírita?

Onde é possível encontrar nesta afirmação a observação lógica e racional suportada em factos que a doutrina preconiza?

Sabemos que a todos é dada a liberdade de se expressar e cada qual tem o direito de seguir aquilo que considera importante… no entanto parece que este tipo de verdade em nada se identifica com a verdade e os fundamentos da codificação…

Podemos sempre dizer que esta “revelação” encontra lugar fora da doutrina espírita e que nada tem a ver com ela… nesse caso deveriam ser “multados” a imensidão de sites da internet que colocam a foto de Kardec ao lado de Ramatis. Com que fundamento?

Temos de tudo ver e tudo ouvir para dai retirar aquilo que nos interessa… de acordo, mas assim teremos que para aqui trazer para reflectir a enormidade de crenças e posturas espirituais que se encontram espalhadas por todo o lado.
 
Esta é de momento a minha opinião.

Um abraço, amigos.
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 21 de Dezembro de 2008, 04:02
'...Qual o objectivo destas profecias?...'

Talvez os objetivos sejam os mesmos que estimularam Jesus e João Evangelista. As hostes do mal (os anti-cristicos) terão de abandonar definitivamente as suas posições estratégicas e de comando, em que durante tanto tempo se mantiveram, e as quais submeteram numa hipnose paralisante, o domínio quase completo e psicológico de nossa Humanidade. Então, nos finais dos tempos ruins, por misericordia divina, serão preservados os crísticos. E a Terra será promovida espiritualmente.

Citar
'...Onde é possível encontrar nesta afirmação a observação lógica e racional suportada em factos que a doutrina preconiza?...'


Lamentável essa orquestração que se faz contra Ramatis. Há um bando de individuos que se regozijam em promover um verdadeiro arrastão doutrinário. É uma hipnose interessante.

Façamos um teste e observemos os resultados. Por exemplo, se eu falar bem da Codificação, provavelmente atrairei a meu favor um público simpático, afinado com meus pensamentos. Então, como sou um camarada benquisto por esse meu posicionamento favorável à Doutrina, desfruto em exercer esse meu poder de opinião, denegrindo o que foge do que Kardec disse ou não-disse. Para os detratores, se Kardec não-disse, o espírito caiu em desgraça para o todo o sempre. E o curioso é que o próprio Kardec cansou em afirmar que não dissera tudo, e que o tempo se encarregaria de trazer maiores esclarecimentos.

Para os que vêem os ciscos nos olhos dos outros, Kardec abordou ligeiramente sobre os cataclismos físicos e morais, em Geneses:  

Citar
'...Essas conseqüências são:

1ª O aquecimento e o resfriamento alternativos dos pólos e, por conseguinte, a fusão dos gelos polares durante a metade do período de 25.000 anos e a nova formação deles durante a outra metade desse período. Resultaria daí não estarem os pólos condenados a uma perpétua esterilidade, cabendo-lhes gozar a seu turno dos benefícios da fertilidade.

2ª O deslocamento gradativo do mar, fazendo-o invadir pouco a pouco umas terras e pôr a descoberto outras, para de novo as abandonar, voltando ao seu leito anterior.

Esse movimento periódico, indefinidamente renovado, constituiria uma verdadeira maré universal de 25.000 anos. A lentidão com que se opera esse movimento do mar torna-o quase imperceptível para cada geração. Faz-se, porém, sensível ao cabo de alguns séculos. Nenhum cataclismo súbito pode ele causar, porque os homens se retiram, de geração em geração, à proporção que o mar avança, e avançam pelas terras donde o mar se retira. É a essa causa, mais que provável, que alguns sábios atribuem o afastamento do mar de certas costas e a invasão de outras por ele.

10. O deslocamento demorado, gradual e periódico do mar é fato que a experiência comprova e numerosos exemplos confirmam, em todos os pontos do globo. Tem por efeito o entretenimento das forças produtivas da Terra. A longa imersão é para os terrenos um tempo de repouso, durante o qual eles recuperam os princípios vitais esgotados por uma não menos longa produção. Os imensos depósitos de matérias orgânicas, formados pela permanência das águas durante séculos e séculos, são adubações naturais, periodicamente renovadas, e as gerações se sucedem sem se aperceberem de tais mudanças...'


Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Anton Kiudero em 21 de Dezembro de 2008, 09:34

“O ‘fim do mundo’ profetizado refere-se tão somente ao fim da humanidade anti-cristã; será uma seleção em que se destaquem os da ‘direita’ e os da ‘esquerda’ do Cristo. Trata-se de promoção da Terra e de sua humanidade; lembra um severo exame que, para os alunos relapsos e ociosos, representa terrível calamidade! Mas de modo algum a vossa morada planetária sairá do rodopio em torno do Sol, onde também constitui importante âncora do sistema. Após a operação cósmica, que lhe será de excelente benefício para a estrutura geofísica, deverá possuir maior equilíbrio, melhor circulação vital-energética na distribuição harmônica das correntes magnéticas, além de oferecer um ambiente psíquico já higienizado.”
‘Mensagens do Astral’, de Ramatís


Qual o objectivo destas profecias? Obrigar o livre-arbitrio de cada um a submetesse a estas “verdades” sob a ameaça do “castigo”?

O objetivo é o mesmo de Jesus quando no Sermão do Monte ensinou-nos o caminho para alcançarmos a felicidade (bem aventurança) do espírito, ensinou-nos como orar ao Pai sem nada pedir e tudo receber com alegria no coração, ensinou-nos a lei da justiça e do amor e ao final de todo o discurso acrescentou:

Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.

Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha. E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.


Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda.

PS: Anti-cristão é todo aquele que não age em todos os momentos de sua vida segundo o preceitado no Sermão do Monte e não aquele que não segue alguma doutrina cristã.

Paz a todos!
Anton

Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Amigos fraternos em 21 de Dezembro de 2008, 13:37

 Este texto constitui a opinião do ja falecido orador Ari Lex
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Amigos fraternos em 21 de Dezembro de 2008, 14:08

Há cerca de quarenta anos, surgiu, no Paraná, um médium até então desconhecido nos meios espíritas daquele Estado, por não militar na Federação ou em núcleos conhecidos.

Começou com algumas mensagens, recebidas sempre sozinho em sua residência, atribuídas a um espírito de oriental, cujo pseudônimo adotado foi Ramatis A que mais aceitação obteve foi “Magia de redenção”, já então preocupado o autor com os problemas da magia e com os habitantes de outros astros.

Seu livro “A vida no planeta Marte” foi um verdadeiro sucesso. Tornou-se a coqueluche de milhares de espiritualistas. Queriam os crentes saber se os marcianos tinham mãos como as nossas, nariz iguais aos nossos, escudos etc. Entende-se o sucesso, conhecendo-se a tendência à fantasia, comum em nosso povo. Já estavam surgindo os filmes de ficção.

Ainda, por cima, os livros de Ramatis foram escritos com redação boa, agradável seqüência, e, no meio dos absurdos, muitas noções exatas e conceitos interessantes.

Os livros de Ramatis passaram a ser muito vendidos e lotaram as livrarias e bibliotecas espíritas, praticamente do Brasil inteiro. Em muitos centros espíritas e federações, vendia-se mais Ramatis do que o total dos livros da Codificação! Diziam: “Kardec está superado, pois temos, agora, as novas revelações de Ramatis”.


Felizmente ainda existem pessoas equilibradas e que sabem analisar as coisas. J. Herculano Pires, esse brilhante sociólogo e jornalista, que brindou o mundo espírita com numerosos livros de valor, mantinha, no Diário de S. Paulo, durante muitos anos, uma coluna com o pseudônimo “Irmão Saulo”, lida por espíritas e não-espíritas. Herculano resolveu fazer uma oportuna campanha de esclarecimento, com relação aos livros de Ramatis, publicando numerosos comentários naquele jornal. Reconhecendo o valor intelectual de Ramatis, mas igualmente conhecendo o perigo das idéias exóticas, Herculano classificou-o como espírito “pseudo-sábio”. Realmente. “Perigoso não é o expositor ou autor que só diz tolices, vazadas em linguagem obscura, pobre, cheia de erros gramaticais e idéias pueris. Perigoso, sim, é o que expõe certo número de noções exatas, que usa argumentação brilhante, mas introduz, de permeio, idéias erradas e perigosas. Assim, tais idéias têm grande probabilidade de aceitação. É o que acontece com Ramatis”.

Vejamos o que diz “O Livro dos Médiuns” – pergunta 296 – Pergunta sobre os outros mundos: “Qual o grau de confiança que podemos ter nas descrições dos espíritos sobre os outros mundos?

R. – Isso depende do grau de adiantamento real dos espíritos que dão essas descrições. Porque compreendeis que os espíritos vulgares são tão incapazes de vos informar a respeito, como um ignorante o seria, entre vós, no tocante aos países da Terra. Formulais, muitas vezes, sobre esses mundos, questões científicas que esses espíritos não podem resolver. Se são de boa fé, falam a respeito disso, segundo suas idéias pessoais. Se são levianos, divertem-se a vos dar descrições bizarras e fantásticas, tanto mais que esses espíritos, tão imaginoso na erraticidade, como na Terra, tiram da própria imaginação o relato de muitas coisas que nada têm de real.”

Retrato perfeito de Ramatis, traçado cem anos antes…

Em cada ano, vinha um novo livro de Ramatis. Em 1962, “O sublime peregrino”, contando a vida de Jesus. A diretoria da Federação Espírita do Estado de São Paulo preocupada com o rumo que as coisas tomavam, solicitou à Comissão de Doutrina que fizesse um estudo minucioso e desapaixonado sobre esse livro. A comissão, da qual fazíamos parte, elaborou o seguinte parecer, que foi aprovado unanimemente pelo Conselho Deliberativo da Feesp:

“O livro em apreço apresenta algumas facetas interessantes e vários capítulos perfeitamente aceitáveis; todavia contém erros doutrinários clamorosos à luz do Espiritismo, como os contidos nos capítulos 4 e 5, que poderá semear a confusão nos meios espíritas. Admite a influência astral sobre as criaturas como força decisiva no seu destino (páginas 36 e 54); admite que os destinos estão traçados há muito tempo (pág. 56); e, pior que tudo, faz distinção entre Jesus e o Cristo, dizendo que o “Cristo Planetário” é uma entidade arcangélica, enquanto Jesus de Nazaré foi o seu médium mais perfeito na Terra (pág.62). Ramatis usa, constantemente, imagens e expressões católicas, como: arcanjo planetário, comando angélico, empreitada satânica, angelitude, coletividades satânicas, espíritos diabólicos, Salvador dos homens, atender à vontade do Senhor, a fim de redimir a humanidade, Jesus se glorificou pela sua própria morte sacrificial na cruz, carregava nos ombros frágeis a cruz das dores e do sofrimento de todos os homens etc. A todo instante, valoriza a influência dos astros, coisa jamais aceita por Kardec. Introduz conceitos orientais na interpretação da vida de Jesus.

Para que não haja confusões doutrinárias, considera a Federação que a leitura do livro só deveria ser feita por pessoas bem esclarecidas na Doutrina, com capacidade para extrair as noções boas da obra, escoimando-as das graves falhas à luz da Codificação, a fim de que se evitem os perigosos desvios doutrinários, uma vez que a obra não pode ser considerada de teor espírita por vir profundamente eivada de expressões não-espíritas, essencialmente esotéricas e católicas

FONTE:DUPLAVISTA
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 21 de Dezembro de 2008, 16:04
Olá amigos!

“O seu papel é o de atrair para o seu bojo etéreo-astral todos os desencarnados que se sintonizem com sua baixa vibração, pois, analogamente às limalhas de ferro quando atraídas por ferro magnético, esses espíritos terrícolas desregrados, ... ver-se-ão solicitados para a aura do orbe visitante. Essas entidades atraídas para o astro intruso serão os egoístas, os malvados, os hipócritas, os cruéis, os desonestos, os orgulhosos, tiranos, déspotas e avaros; ... encontrarão o cenário adequado aos seus despotismos e degradações, pois o habitante desse orbe encontra-se na fase rudimentar do homem das cavernas; mal consegue amarrar pedras com cipó, para fazer machados! A Terra será promovida à função de Escola do Mentalismo e os desregrados, ou os esquerdistas do Cristo, terão que abandoná-la, por lei natural de evolução.”
‘Mensagens do Astral’, de Ramatís (fonte - internet)

Exceptuando alguns espíritos elevados que por aqui estejam encarnados, qual de nós está em condições de atirar a primeira pedra? 

Onde se encontram aqueles que com propriedade teriam o mérito da distinção entre os outros, desprovidos de egoísmo, de malvadez, de hipocrisia, de crueldade, de desonestidade, de orgulho, de tirania, de avareza, de absolutismo?

Será que o nosso planeta já se encontra de tal forma evoluído na moral e no amor, que seja uma minoria aquela que não esteja já despojada destes atributos e assim habilitados a por aqui ficar?

Quem entre de nós se considera digno dessa distinção? Embarcaremos quase todos?

A ser verdadeira esta nova revelação, então fica anulado tudo o que os espíritos afirmaram na obra de Kardec, descrevendo a forma como se verificam processos evolutivos?

São então as diferentes moradas que se deslocam na direcção à Terra e não os espíritos dos nossos irmãos que sucumbem que a elas são atraídos?

Já na época em que por aqui encarnou a raça adâmica segundo os processos indicados pelos espíritos na obra de Kardec, foi a Terra que se deslocou às orbes de onde provieram esses nossos irmãos?

Lamento muito não poder de deixar aqui ficar estas questões, que ainda assim, somadas às anteriormente expostas, ficam sinceramente ainda muito aquém da globalidade das dúvidas que estas obras me sugerem.

Já aqui referi, mas não me escuso de reafirmar, a partir do momento que os factos, a razão, a ciência ou mesmo uma demonstração lógica ou argumentativa que aqui seja apresentada, como aliás já aconteceu, demonstrem como erradas as considerações que por aqui vou deixando, não hesitarei um minuto em abandona-las.

Um abraço, amigos.
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Anton Kiudero em 21 de Dezembro de 2008, 16:50

Exceptuando alguns espíritos elevados que por aqui estejam encarnados, qual de nós está em condições de atirar a primeira pedra? 

Onde se encontram aqueles que com propriedade teriam o mérito da distinção entre os outros, desprovidos de egoísmo, de malvadez, de hipocrisia, de crueldade, de desonestidade, de orgulho, de tirania, de avareza, de absolutismo?

Será que o nosso planeta já se encontra de tal forma evoluído na moral e no amor, que seja uma minoria aquela que não esteja já despojada destes atributos e assim habilitados a por aqui ficar?

Quem entre de nós se considera digno dessa distinção? Embarcaremos quase todos?

Segundo nos informam os espiritos de diversas correntes de pensamento, estão sendo transferidos de 1/3 a 2/3 do total da população deste orbe que é em torno de 25 bilhões de almas. Esta transferencia iniciou-se em meados do seculo passado e deve perdurar ainda pelos proximos 50 anos.

Ninguem será escolhido ou salvo e nem isto é alguma distinção divina. É uma seleção natural onde os que ainda se comprazem com os prazeres materiais, os egoistas, os que não se desapegam de nada passarão naturalmente a outro orbe onde poderão exercitar estes prazeres por mais alguns milenios. Apenas isto. A escolha é de cada um e é inteiramente interior.

Analise os seus sentimentos e saberá qual o seu destino... Porque cada um ficará onde se sentir melhor e prazeirosamente...

Fiquem com Deus,
Anton
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Edson Rocha em 21 de Fevereiro de 2009, 19:23
É meus amigos, falar de Ramatis é fácil, basta ler e acompanhar às suas profecias que até hoje não ocorreu e nem vai ocorrer! cadê o planeta chupão? porquê não ocorreu nem 1% do que ele disse?

com certeza ele é um espírito menos evoluido do que eu e você, que acham?

Edson Rocha
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Marden em 22 de Fevereiro de 2009, 01:47
Quando eu li o Livro dos Espíritos pela e depois me decidi ser espírita, não recorri à opinião nem conselho de  ninguém.

Quando fico conhecendo alguma ideia nova, e não tenho certeza procuro conhecer outras opiniões, não pra tomar decisão mas para me demorar mais no estudo da questão, verificando outros angulos, mas a conclusão é minha, a convicção é minha. Até hoje não fui influenciado. Foi assim com Ramatis.

Li e ainda tenho algum livro de Ramatis.

Ramatis como qualquer pessoa em qualquer dimensão merece o meu respeito, não importa em que posição esteja. Procurei conhecê-lo pra ter minha própria opinião.

Tenho a convicção de que o pensamento de Ramatis não tem nada a ver com a Doutrina Espírita. Nada.
Qualificar esta obra não me cabe.

Agora,  os que gostam,que leiam, comentem, mas querer enfiar goela abaixo dos outros como harmônica, com os conceitos Doutrinários, é de uma descortesia lamentável.

Quem afirmar que está de acordo com a Doutrina, definitivamente, não conhece a Doutrina. E nem peço que me desculpem por esta afirmativa.

Ao invés de aprofundarem no conhecimento Doutrinário muitos ficam procurando novidades, quando o básico ainda está muito a desejar.

É por isso que o Espiritismo ainda não se fez conhecido no mundo como devia. A parte que coube a nós que é de conhcê-lo e divulgá-lo está "patinando" na nossa vaidade e no nosso orgulho. No nosso falso direito de atar-lhe aderêços que além de inócuos, mascaram o seu verdadeiro objetivo.

O fato de o Espiritismo não ser de ninguém, não nos dáo direito de deturpá-lo.

Pensemos nisso !
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 22 de Fevereiro de 2009, 10:46
'...Agora,  os que gostam,que leiam, comentem, mas querer enfiar goela abaixo dos outros como harmônica, com os conceitos Doutrinários, é de uma descortesia lamentável...'

Olá, Marden.

O que não dá para entender são estes tipos de colocações. Os individuos abrem um tópico e veem para ele com pedras e paus, com o propósito de criarem confusão, atacando Ramatis, numa evidente demonstração de descortesia. Mesmo por que, se verificar, não há neste forum, qualquer tema aberto por um ramatisista, nessa tentativa de fazer alguém engulir alguma obra da autoria dele (mas se tiver, aponte-me)

Portanto, concordo contigo que é lamentável essa postura cínica, principalmente por que a mesma parte daqueles que se intitulam espíritas.

Talvez fosse interessante investigar o que tanto incomoda os espíritas, nessa perseguição que se faz a Ramatis.


Abç

Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 22 de Fevereiro de 2009, 10:57
'...com certeza ele é um espírito menos evoluido do que eu e você, que acham?

Olá.

Eu acho que voce perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado. A menos que voce possa nos escrever o que pensa sobre as profecias do Apocalipse e as proferidas por Jesus.



Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Atma em 22 de Fevereiro de 2009, 12:23
Ramatis é um Espírito muito considerado nas altitudes celestes. Sob o mesmo ponto de vista resposnderam os Espíritos Cahibar Shutell e Hermes, não estaria ai  um pequeno consenso entre os Espíritos?
Por que então essa perseguição?
Joanna De Angelis/Divaldo Franco.

Falta formação do conhecimento profundo doutrinário. Aqueles que não se dão tempo de estudarem, saem em campo da palavra vã, sem entederem de fato o que estão questionando.

Paz e discernimento.

Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Carlos Ribeiro em 22 de Fevereiro de 2009, 14:27
Aqui vai a opinião de Herculano Pires sobre o assunto:
Quanto às mensagens de Ramatis, também já tive­mos ocasião de declarar que se trata de mensagens mediúnicas a serem examinadas. De nossa parte, consideramo-las como mensagens confusas, dogmáticas, vaza­das na linguagem típica dos espíritos pseudo-sábios, a que Kardec se refere na escala espírita de O Livro dos Espíritos. Cheias de afirmações absurdas, e até mesmo contraditórias, essas mensagens revelam uma fonte que devia ser encarada com menos entusiasmo e com mais cautela pelos espíritas. Em geral, nossos confrades se entusiasmam com “as novas revelações” aparentemente contidas nas mesmas, esquecendo-se de passá-las, como aconselhava Kardec, pelo crivo da razão.
O que temos de aconselhar a todos, pelo menos a todos os que nos consultam a respeito, é mais leitura e mais estudo de Kardec, e menos atenção a espíritos que tudo sabem e a tudo respondem com tanta facilidade, usando sempre uma linguagem envolvente, em que nem todos sabem dividir a verdade do erro. “O Espiritismo”, dizia Cairbar Schutel, “é uma questão de bom-senso”. Procuremos andar de maneira sensata, na aceitação de mensagens mediúnicas.
Retirado do livro "O mistério do bem e do mal" de Herculano Pires.
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Marden em 22 de Fevereiro de 2009, 15:42
Estão vendo como são as coisas !?

Estamos perdendo um bom tempo, uma ótima oportunidade de trocarmos imprensões sobre temas mais úteis que irão enriquecer o nosso conhecimento permitindo-nos crescer. Ah Ramatis !!!

Roustaing, Ramatis e alguns outros nunca proporcionarão um mínimo de consenso.

É uma discussão que geralmente exalta ânimos sem necessidade.

Que a calma e a harmonia reine entre nós apesar da diferença de opiniões...

Grande Abraço a Todos !
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 22 de Fevereiro de 2009, 19:15
Ramatis é um Espírito muito considerado nas altitudes celestes. Sob o mesmo ponto de vista resposnderam os Espíritos Cahibar Shutell e Hermes, não estaria ai  um pequeno consenso entre os Espíritos?
Por que então essa perseguição?
Joanna De Angelis/Divaldo Franco.

Falta formação do conhecimento profundo doutrinário. Aqueles que não se dão tempo de estudarem, saem em campo da palavra vã, sem entederem de fato o que estão questionando.

Paz e discernimento.

Olá Atma! Olá amigos!

Não é suficiente este tipo de afirmação, sem que exista nenhum tipo de argumentação que explique porque motivo este espírito é tão considerado por alguns dos nossos amigos...

Atma. É possível explicar em que área do conhecimento profundo doutrinário eu estou em falta para ter capacidade de entender este autor? Porque realmente baseando-me naquilo que neste tópico já argumentei, explicando as razões porque neste momento tenho esta posição, torna-se completamente impossível compreender o que quer dizer com isto.

- Qual é afinal o papel de Ramatís?

- De que forma das suas "revelações" tiveram ou têm utilidade para a nossa evolução?

Qual dos nossos amigos pode responder a esta tão simples questão? Eu não consigo encontrar esta resposta em lado nenhum... ???

Um abraço, amigos.






Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 23 de Fevereiro de 2009, 02:14

Não é suficiente este tipo de afirmação, sem que exista nenhum tipo de argumentação que explique porque motivo este espírito é tão considerado por alguns dos nossos amigos...

Olá, Taprobana.

O questionamento não foi a mim dirigido, mas não pude deixar de notar que gostam muito de interpelar a Atma. Considera suficiente o tipo de afirmação que fazem os companheiros que atacam Ramatis ? Por que olhar só para um lado da mesma moeda ?

Citar
É possível explicar em que área do conhecimento profundo doutrinário eu estou em falta para ter capacidade de entender este autor?


Este tipo de questionamento talvez seja idêntico, caso atrevessemos a perguntar a um fervoroso católico o motivo dele ser tão resistente a aceitar a reencarnação. Não afirmaria que se trata de uma incapacidade, mas de falta de tempo ou interesse pelo assunto.

Citar
- Qual é afinal o papel de Ramatís?

Vide que Ramatis não deve e nem pode ser tão-somente lembrado com o sensacionalismo barato ou as catastrofes. Seus livros são muitos mais do que essa imagem que querem nos vender. Já leu o livro 'O Evangelho à luz do Cosmo' ?

Citar
- De que forma das suas "revelações" tiveram ou têm utilidade para a nossa evolução?

Depende de que revelações está a se referir. Se for do ponto de vista doutrinário tem tudo a ver com a reforma íntima do ser humano, esclarecendo-o sobre responsabilidade, dentro do Evangelho de Jesus.  

Citar
Qual dos nossos amigos pode responder a esta tão simples questão? Eu não consigo encontrar esta resposta em lado nenhum... ???

Talvez fosse possível encontrar melhores respostas lendo os livros da autoria de Ramatis, não se deixando influenciar pela visão miope ou deformada dos outros.



Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Atma em 23 de Fevereiro de 2009, 12:12
Oi amigos.

Diegas, quero agradecer pela gentileza e apreço.
Completando sua sugestão, são excelentes os livros - O Sublime Peregrino e Fisiologia da Alma - Hercílio Maes - Ramatís.

Taprobana,
Deus nos dá as sementes, a nós, a tarefa de plantar, cuidar e colher. 

Ramatís vem causando controvérsias entre espíritas por não ser uma entidade exclusivamente devotada aos princípios da doutrina de Kardec, mas sim, uma alma liberta de sectarismos cujos ensinamentos são de cunho universalista. O instrutor espiritual Ramatís, embora não se situe na área codificada por Kardec, afirma que esta doutrina é o mais eficiente caminho de ascensão espiritual para a mente Ocidental. Porém, nem todos os instrutores deverão pregar sob um mesmo e exclusivo aspecto, espírita, ou isoladamente em outra nobre instituição, porquanto esse exclusivismo de modo algum ampliaria as idéias, cerceando o progresso.

Para aqueles que afirmam que as mensagens de Ramatís podem provocar dissociação no seio do espiritismo, o instrutor espiritual responde que o espírito humano é dotado de razão e de sentimento; quando a razão não está suficientemente desenvolvida para protegê-lo, pelo menos que seja amparado pela "Fé que remove montanhas". Esse temor desaparece perante aqueles que estão plenamente convictos e integrados nos consagrados postulados espíritas. Só uma fé viva, continua forte, sustenta qualquer ideal, caso contrário, a debilidade da convicção de alguns adeptos tornará o espiritismo desamparado não só diante das mensagens de Ramatís quanto diante de todas as demais Comunicações.

Embora polêmicos, os ensinamentos deste grande espírito despertam e elevam muitas criaturas dispostas a evoluir. Ramatís fala corajosamente sobre seres e orbes extraterrestres, mediunismo, vegetarianismo, sensibilizando aqueles que possuem características universalistas. Muitas vezes, suas mensagens são classificadas como fantasiosas, porém, sob a aparente fantasia, efetua um convite para o reino amoroso de Jesus. Com bases nas diretrizes morais deixadas pelo Mestre, são ofertas de boa vontade, para cada um que as assimile colocar em prática de acordo com a sua evolução espiritual.

Para Ramatís, o Cristo é um estado pleno de amor e de associação divina; a verdade crística não pode ser segregada por ninguém; é um estado permanente de procura e de ansiedade espiritual, bem distante dos rótulos doutrinários.
Deve-se evitar a exclusividade, que contraria o dinamismo da vida espiritual, mas acima de tudo, cumprir a universalidade do Cristo, pois nunca se pode pregar a união "Amai-vos uns aos outros" sob a exclusividade religiosa.

A doutrina "mais eficiente" é opinião humana com a qual pode discordar a opinião crística.
A doutrina mais eficiente é, ainda, o amor pregado por Jesus, doutrina que não possui postulados.
Revista Cristã de Espiritismo.

Paz e discernimento!
Na casa de nosso Pai, há muitas moradas e nelas várias civilizações!
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Atma em 23 de Fevereiro de 2009, 12:52
AOS TRABALHADORES DA VERDADE

        Nos tempos atuais, todo o trabalho de quantos se devotam à disseminação das teorias_espiritistas deve ser o de colaboração com os estudiosos da Verdade. Não é o desejo de proselitismo ou de publicidade que os deve animar, porém, a boa vontade em cooperar com os seus atos, palavras e pensamentos, a favor da grande causa.

        Todos nós objetivamos, com a nossa árdua tarefa, ampliar o conhecimento humano, com respeito às realidades espirituais que constituem a vida em si mesma, a fim de que se organize o ambiente favorável ao estabelecimento da verdadeira solidariedade entre os homens.

Meus caros amigos, alguns de vós, que aqui vos achais, possuís dedicação e amor à causa da Luz e da Verdade; é lícito, portanto, procuremos corresponder aos vossos esforços e aspirações de conhecimento, ofertando-vos todas as coisas do espírito, dentro das nossas possibilidades, para que vos sirvam de auxílio na escalada difícil da verdade.

        Numerosas são as falanges de seres que se entregam à difusão das teorias_espiritualistas e que operam, na atualidade, o milagre do ressurgimento da filosofia cristã, em sua pureza de antanho. É que chegados são os dias das explicações racionais de todos os séculos que tendes atravessado com os olhos vendados para os domínios da espiritualidade, devido aos preconceitos das posições sociais e sentimentos de utilitarismo de vários sistemas_religiosos e filosóficos, desvirtuados em suas finalidades, em seus princípios.

        Nossos desejos seriam os de que a nossa voz fosse ouvida, veiculando-se a palavra da imortalidade sobre toda a Terra; todavia, não serão feitos em vão os nossos apelos.

1º livro de Emmanuel - F.C.Xavier - 1938
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 23 de Fevereiro de 2009, 14:23
O questionamento não foi a mim dirigido, mas não pude deixar de notar que gostam muito de interpelar a Atma. Considera suficiente o tipo de afirmação que fazem os companheiros que atacam Ramatis ? Por que olhar só para um lado da mesma moeda ?

Olá Diegas, olá Atma, olá "Fernão" ( ??? :D ), olá amigos!

O tipo de afirmações dos nossos amigos que “atacam” Ramatís está consolidado na observação da lógica de uma verdade que até agora não foi contestada por ninguém neste Fórum. Ramatís ou alguém em seu nome ??? revela “verdades” completamente desprovidas de razão, lógica ou conhecimento, quando responde exactamente às questões, que ambos já debatemos noutro local deste Fórum, ou seja, que se afastam daquilo que interessa à humanidade saber para a sua evolução e que não o pode conhecer porque lhe faltam os sentidos. 

A ESPIRITUALIDADE SUPERIOR, NÃO TRANSMITE AO HOMEM REVELAÇÕES QUE FAZEM PARTE DAS SUAS PRÓPRIAS COMPETENCIAS NA ÁREA DO SABER E DO CONHECIMENTO E QUE EM NADA COMTRIBUEM PARA DAR CONTINUIDADE À VERDADE QUE JESUS NOS TRANSMITIU E QUE AO HOMEM NÃO É POSSIVEL CONHECER PORQUE PARA TAL LHE FALTAM OS SENTIDOS.

A existência de Deus, a imortalidade da alma, a pluralidade das existências e dos mundos habitados e a inevitável evolução na direcção do amor e da forma como isso se processa, são as reais e únicas revelações da doutrina espírita.
 
Quando inquirimos acerca das coisas banais da vida e tentando obter conhecimento desmerecido porque gratuitamente oferecido, sem que para tal tenham o devido merecimento fruto das suas próprias capacidades ou competências, abrimos as portas a todos aqueles espíritos nossos irmãos, que como nós habitam na esfera da ignorância e que estão dispostos a explicar aquilo que julgam saber.

Amigo Diegas, essa moeda tem os dois lados iguais. Se assim não for é falsa.

Vide que Ramatis não deve e nem pode ser tão-somente lembrado com o sensacionalismo barato ou as catastrofes. Seus livros são muitos mais do que essa imagem que querem nos vender. Já leu o livro 'O Evangelho à luz do Cosmo' ?

Acredito e sei que Ramatís tem em si ensinamentos e propostas que nos guiam de encontro ao AMOR. Acredito e sei que muito do que afirma são preciosos ensinamentos para muitos de nós.

No entanto, tal como admite nesta sua reflexão, é de facto necessário separar o trigo do joio, a verdade da mentira, os caminhos da felicidade dos caminhos da mistificação.

Depende de que revelações está a se referir. Se for do ponto de vista doutrinário tem tudo a ver com a reforma íntima do ser humano, esclarecendo-o sobre responsabilidade, dentro do Evangelho de Jesus.

Claro que me refiro ao ponto de vista doutrinário e à reforma íntima do ser humano, esclarecendo-o sobre as suas responsabilidades dentro do Evangelho de Jesus. Que mais poderá ser abordado dentro desta área do conhecimento?

Meu amigo Diegas… parecem existir muitos Ramatís, tal como a muitos de nós foi atribuido o nome de Jesus. No entanto só a um nos referimos quando usamos o seu nome.  Aquele que ensina ao Homem o caminho do AMOR.

Um abraço amigos.
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Marden em 23 de Fevereiro de 2009, 18:19
Ao Carlos Ribeiro,

O que você  acaba de colocar, devia ser o bastante... claro como o dia! nós humanos somos realmente muito complicados, equivocados...

So uma ultima afirmação: Por cuidado nestes ultimos 3 dias reli " Mediunidade de Cura ",
do Ramatis pra ver se mudava de opinião e digo:

NOVAMENTE NÃO ENCONTREI NADA DE UTIL, NENHUMA NOVIDADE, NADA QUE POSSA ME AUXILIAR NO MEU CRESCIMENTO ESPIRITUAL.

RAMATIS É ESPIRITUALISTA, ESPÍRITA NÃO....
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 24 de Fevereiro de 2009, 02:14
'...O que você  acaba de colocar, devia ser o bastante... claro como o dia! nós humanos somos realmente muito complicados, equivocados...

Opinião por opinião, temos também a de Emmanuel - por meio de Francisco Xavier - e o de Divaldo Franco. Então, clarissimo como o dia ensolarado a banhar este forum, aqui e agora já estamos a dividir o movimento espírita

Citar
NOVAMENTE NÃO ENCONTREI NADA DE UTIL, NENHUMA NOVIDADE, NADA QUE POSSA ME AUXILIAR NO MEU CRESCIMENTO ESPIRITUAL.

Ótimo, cada um com a sua experiencia. Nem todos gostam da cor azul, e há os que preferem o vermelho ou o verde. Mas por que a gritaria ?

Citar
RAMATIS É ESPIRITUALISTA, ESPÍRITA NÃO....

Ramatis não é espiritualista e nem espírita. É um equivoco pensar dessa forma, pois ele não faz mais parte do mundo dos encarnados. Um dia voce e eu também não faremos mais parte do mundo dos encarnados e perceberemos que lá não se professa o Catolicismo, o Hinduísmo, o Xintoísmo, o Budismo, o Cristianismo... Espiritismo ou Espiritualismo...e isso por que o espirito desencarnado não necessita de doutrinas humanas que o aproximem de Deus.


Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 24 de Fevereiro de 2009, 02:41
'...O tipo de afirmações dos nossos amigos que “atacam” Ramatís está consolidado na observação da lógica de uma verdade que até agora não foi contestada por ninguém neste Fórum....

Olá, Taprobana.

Por favor, traduza de uma forma mais inteligivel, por mim não compreendida. O que significa  'a observação da lógica de uma verdade não contestada’ ?

Ora temos aqui os que defendem Ramatis e os que o atacam. Há os que não compreendem o sentido de um livro que aborda o planeta Marte (mas tem gente curiosa que abre muitos tópicos querendo saber sobre a possibilidade de existencia nos mundos planetários) e, outro forista que declarou nada ter visto de interessante para o progresso dele a leitura do livro 'Mediunidade de Cura'.

A Doutrina Espírita teve maior repercussão quando os seus livros foram queimados em Barcelona, quem sabe não seja este o momento para divulgação deste livro mencionado e intitulado 'Mediunidade de Cura'.

Eis a sinopse:  

Citar
O chamado Mundo Oculto sempre atuou na cura das enfermidades humanas, sob as mais diversas formas. Assim se verifica nos relatos bíblicos, no xamanismo dos povos antigos, na tradição oculta e na mediunidade contemporânea, aqui descritos por Ramatís.
Nesta obra, que trata especificamente da terapêutica por via mediúnica, a profundidade do conhecimento iniciático de Ramatís, aliada a sua peculiar objetividade, desvenda com clareza os mecanismos de atuação curadora no duplo etérico do homem e na fisiologia dos chacras. Descreve a técnica utilizada pelas equipes espirituais nos receituários mediúnicos, a razão dos equivocos possíveis, e o charlatanismo que eventualmente ocorre nesse processo, bem como a metodologia das cirurgias espirituais, a tarefa do médium receitista e suas dificuldades, os passes mediúnicos e o receituário homeopático e de água fluidificada.
Desvenda a técnica dos “benzimentos” e “simpatias”, e elucida com precisão inédita como atua na cura dos quadros dermatológicos. Aponta os efeitos da eutanásia e da distanásia — a “morte difícil”, ou prolongamento artificial da vida, que impede o homem contemporâneo de morrer em paz.
Já consagrada como um manual clássico da matéria, em mais de uma dezena de sucessivas edições, é leitura indispensável para quantos se interessam pelos processos da chamada cura espiritual, pela extensão e profundidade de análise dos mecanismos ocultos da mediunidade curadora.


Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Marden em 24 de Fevereiro de 2009, 13:23
Diegas,

Se eu não tivesse sentido que havia liberdade de expressão, de pensamento etc. eu não estaria participando deste Fórum...

O movimento espírita não depende de unanimidade de pensamento pra se manter ativo.

Precisa da humildade dos seus integrantes pra aprenderem a conviver com as diferenças.

Nem todos nós ao chegar na outra dimensão, mudamos de imediato a nossa forma de pensar.

Eu sou o que penso, falo, faço. É dentro deste conceito continuo afirmando que Ramatis passa, pra mim, este perfil de espiritualista.

Não fica zangado comigo não, é só minha opinião....

E se estiver te incomodando muito com as minhas opiniões, me avisa, eu paro. Aprendo mais lendo do que escrevendo.

Até mais !
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 24 de Fevereiro de 2009, 23:48
Citar
Por favor, traduza de uma forma mais inteligivel, por mim não compreendida. O que significa  'a observação da lógica de uma verdade não contestada’ ?

Olá Diegas!

Acerca da falta de utilidade das revelações do futuro dos Homens, que necessitam de sistemáticas justificações e defesa em prol de uma “verdade” indefensável, por parte daqueles que com ele se identificam, como provam os evidentes e sistemáticos fracassos da sua incompetente faceta profética.

No entanto, bem podemos dizer que existe também um Ramatís que não parece o mesmo que neste infértil terreno planta as suas sementes… mas esse Ramatís não é conhecido… será porque não vende tantos livros?

Uma vez que a argumentação doutrinaria que até agora utilizei não lhe pareceu suficiente que tal conjugar com mais estas que lhe passo a transmitir:

Já ponderou a possibilidade de aqueles interesses materiais que demonstrou muito bem entender e conhecer e tão corajosamente denuncia, não estarem por detrás da necessidade encontrar “noticias”e “revelações” que vendem para alimentar a sua indústria livreira?

Já ponderou na possibilidade de por detrás de uma “marca” que vende, como é o caso de “Ramatís” e outras mais, estar um conjunto de indivíduos que dela se aproveitam para daí tirar dividendos?

Não lhe parece estranho que na medida que as matérias se vão esgotando surjam sempre novas revelações e quanto mais “bombásticas” melhor?

Citar
Ora temos aqui os que defendem Ramatis e os que o atacam. Há os que não compreendem o sentido de um livro que aborda o planeta Marte (mas tem gente curiosa que abre muitos tópicos querendo saber sobre a possibilidade de existencia nos mundos planetários) …

É evidente que a pluralidade dos mundos habitados é uma verdade tão irrefutável quanto a própria existência de Deus.

No entanto vai uma enorme diference entre a atitude que cada um de nós leva a cabo no sentido de tentar através do nosso conhecimento e razão, encontrar ou apontar hipóteses, que combinam os avanços científicos com os conhecimentos que nos são possíveis obter acerca da forma como se desenvolvem as coisas no mundo espiritual, com uma atitude proveniente das esferas espirituais, onde se pretende ensinar aquilo que se afirma ser conhecedor, oferecendo gratuitamente revelações que em nada são condizentes com as preocupações que devem mover a espiritualidade superior, por nós já várias vezes debatida e ainda por cima, como não poderia deixar de ser, se revelam falsas ou francamente incorrectas.

Citar
A Doutrina Espírita teve maior repercussão quando os seus livros foram queimados em Barcelona, quem sabe não seja este o momento para divulgação deste livro mencionado e intitulado 'Mediunidade de Cura'.

Extrato da sinopse do livro "Mediunidade de cura"
Citar
consagrada como um manual clássico da matéria, em mais de uma dezena de sucessivas edições, é leitura indispensável para quantos se interessam pelos processos da chamada cura espiritual, pela extensão e profundidade de análise dos mecanismos ocultos  ::) da mediunidade curadora.

Ora aqui está um bom exemplo de um tema que é de certo um êxito garantido, tendo em conta a quantidade de irmãos que se dedicam à cura através destes métodos alternativos à medicina e ao grande potencial de mercado que contém.

Diegas, na minha actividade profissional lido com marketing e campanhas publicitárias… este extracto que aqui coloca da sinopse é um clássico, algo gasto e antiquado. As palavras a negrito são escolhidas a dedo!

Não te parece que devemos ter o máximo cuidado quando se nos depara esta realidade mercantilista da qual este é um ínfimo exemplo? A muitos e muitos mais isto se aplica.

Não te zangues (não sei se esta palavra existe aí), não fiques bravo comigo amigo… eu só te estou a dizer aquilo que me vai na alma.

Um abraço amigo!
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 25 de Fevereiro de 2009, 03:58
'...O movimento espírita não depende de unanimidade de pensamento pra se manter ativo...'

Olá, Marden.

Não penso haver necessidade de unanimidade de pensamento, principalmente se eu me obstinasse, como um desvario, em atacar a Codificação e o seu Codificador.

Quando assinalou haver uma 'clara' noção de verdade, dando a entender de quem o lê, que nós outros somos portadores de sombras, procurei demonstrar que há opiniões de reconhecidos mentores/confrades da Doutrina Espírita que se colocam favoráveis a Ramatis.

Voce expressou a sua opinião, mas seu texto foi escrito com letras maiúsculas (na linguagem da internet isto significa intolerância ou gritaria)

Mas é como havia escrito, tem aqueles que apreciam somente a cor amarelada, outros do multicolorido.

Não me incomoda sua opinião, desde que a mesma seja reproduzida com respeito, não a mim mas em relação aos mentores espirituais.

Herculano Pires, que também merece respeito pelo muito que contribuiu na divulgação doutrinária, parece ter se esquecido de apontar aonde estavam/estão as afirmações consideradas como confusas/contraditórias. Mas se alguém as conhece, que faça a gentileza de transcrevê-las.


Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 25 de Fevereiro de 2009, 08:03
'...mas esse Ramatís não é conhecido… será porque não vende tantos livros?...'

Olá, Taprobana.

Não saberia responder a quantas anda a perfomance comercial dos livros ramatisianos. Talvez isto seja de menor importância, pois como se diz mais vale a qualidade do que a quantidade dos simpatizantes. Estava aqui a propagar um de seus livros motivado justamente pelo fato de chamar a atenção de que o intento de alguns sai ao contrário do desejado. Ou seja, tanto mais batem, maior se aguça a curiosidade, e assim mais individuos se interessam em conhecer os ensinamentos ramatisianos. Não foi assim que ocorreu nos primordios da Codificação, quando a perseguiram ferozmente ?

Citar
Já ponderou na possibilidade de por detrás de uma “marca” que vende, como é o caso de “Ramatís” e outras mais, estar um conjunto de indivíduos que dela se aproveitam para daí tirar dividendos?

Já ponderei sim, e até os vejo assombrando o forum. Ou passou-lhe despercebido a presença de um forista & Cia, vendendo o seu livro intitulado 'Ramatis, sábio ou pseudo-sábio ?' Portanto, tenho a absoluta certeza de que há uma visivel intenção nesta perseguição que se faz a figura de Ramatis, patrocinada por alguns elementos-batedores e que passaram a freqüentar este forum, que é a de se auto-promoverem, buscando espaço para venderem suas quinquilharias-livrescas.

Que imagem voce formaria, caso desconhecesse os livros de Kardec, mas somente fosse colocado para sua leitura algumas hipóteses especulativas contidas, por exemplo, em 'A Genese', quando ele aborda o cataclisma universal e as transformações geológicas/raciais que sofreu o nosso planeta ao longo dos milênios ?

Citar
Não lhe parece estranho que na medida que as matérias se vão esgotando surjam sempre novas revelações e quanto mais “bombásticas” melhor?

Acho estranhissimo essa tendencia perniciosa de misturar o joio com o trigo, e oferecer como um produto saudável. Por acaso, pode-se culpar Ramatis pelo Apocalipse anunciado a mais de dois milênios, e quanto ele nos alerta sobre a responsabilidade da reforma íntima nesta hora profética de transição planetária ?


Citar
...como não poderia deixar de ser, se revelam falsas ou francamente incorrectas...'

Refere-se à transição planetária ?
É por demais conhecido que o planeta está em vias de transição.

Refere-se ao aquecimento global ?
Ramatis abordou este assunto faz mais de 50 anos. E Kardec o fez no século XIX.

Citar
Ora aqui está um bom exemplo de um tema que é de certo um êxito garantido, tendo em conta a quantidade de irmãos que se dedicam à cura através destes métodos alternativos à medicina e ao grande potencial de mercado que contém.

Ramatis não incentiva o uso de métodos alternativos para a cura da saúde física, apenas expõe aquilo que é de conhecimento meu ou seu, enfim de todos nós, que é a existencia destes tipos de auxilio aos necessitados. Enfim, ele não se preocupa com a saúde física, mas da cura da alma, que doentia, necessita do Evangelho de Jesus - o mais perfeito dos médicos.  

Citar
Não te parece que devemos ter o máximo cuidado quando se nos depara esta realidade mercantilista da qual este é um ínfimo exemplo?

Sim, penso que deveríamos ter o máximo cuidado com aquilo se escreve. E gostaria muito que fossem direcionadas essas palavras àqueles que se regozijam na abertura destes tópicos. Por isso, como percebo ser de seu interesse, solidarizo-me contigo no intuito de um melhor esclarecimento do assunto. Só que há um predicado, não sei se negativo ou positivo, e o confesso publicamente, que é de não saber ler e nem ouvir calado, principalmente quando trata-se do desrespeito às instituições sérias, bem quando se pretende insultar/desmoralizar os mentores espirituais.



Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 25 de Fevereiro de 2009, 14:54
Olá amigo Diegas!

Sinto e talvez saiba que ambos entendemos o ponto de vista de cada um no que se refere a este tema.

Sinto e talvez saiba que comungamos de opiniões que são na sua essência concordantes.

Sinto e talvez saiba, que se não fora de Ramatís que aqui falamos, mas sim de um outro qualquer autor acerca do qual, o Diegas não estivesse comprometido através das suas convicções que adoptou através da sua leitura, estaríamos do mesmo lado da barricada.

Citar
Que imagem voce formaria, caso desconhecesse os livros de Kardec, mas somente fosse colocado para sua leitura algumas hipóteses especulativas contidas, por exemplo, em 'A Genese', quando ele aborda o cataclisma universal e as transformações geológicas/raciais que sofreu o nosso planeta ao longo dos milênios ?

Reconheço que se tal acontece-se adoptaria a mesma atitude, ou melhor, adopto e como sabes, exactamente a mesma atitude acerca das matérias que abordam temas que somente visam satisfazer a curiosidade dos Homens.

Não podemos perder de vista que todos nós nos sintonizamos muitas vezes em níveis vibratórios muito baixos. Nenhum de nós, está em condições de naturalmente permanecer em extractos vibratórios imunes à interferência dos nossos irmãos das esferas menos evoluídas, independentemente de ter ou não capacidades mediúnicas disponíveis.

Tendo consciência dessa realidade, toda e qualquer comunicação oriunda da espiritualidade, independentemente de quem a assina, só pode ser avaliada pelos seus conteúdos.

Assim, se assumir perante uma assinatura uma postura de credulidade cega, somos as vitimas perfeitas para a mistificação e para o engano.

No caso de Ramatís, as mensagens que contêm marcas de proveniência elevada, ou seja aquelas que se preocupam com a nossa evolução na direcção do amor, estão entrelaçadas com aquelas que visam o sensacionalismo irracional, não comprovado, algumas já desmentidas pelos factos e que visam unicamente chamar a atenção daqueles e que são muitos, que por falta de instrução ou conhecimento, vêm nesta área um motivo de interesse igual aquele que os move a assistir a um filme de terror ou de ficção.

Citar
Acho estranhissimo essa tendencia perniciosa de misturar o joio com o trigo, e oferecer como um produto saudável. Por acaso, pode-se culpar Ramatis pelo Apocalipse anunciado a mais de dois milênios, e quanto ele nos alerta sobre a responsabilidade da reforma íntima nesta hora profética de transição planetária ?

Não podemos culpar Ramitís pelo apocalipse anunciado há mais de dois milénios mas podemos culpar o autor (será sempre o mesmo Ramatís?) que afirma que chegou a sua hora, sem que para isso detenha em si mesmo o mínimo de fundamento, conhecimento ou credibilidade racional. Cada um de nós é livre de dizer aquilo que muito bem lhe apetecer… quando a mim me apetece abordar esse tipo de assunto, através do qual exercito a minha imaginação e criatividade, escrevo um guião cinematográfico. Garanto-te que é muito divertido.

Já agora uma questão amigo… se isso tivesse o mínimo de fundamento só a Ramatís (?) caberia a preocupação de o divulgar, sendo que mais nenhum mentor espiritual o faça em todo o mundo? Só contaram para você? (Como dizia um actor seu compatriota há una anos atrás.)  :D

Citar
Refere-se à transição planetária ?
É por demais conhecido que o planeta está em vias de transição.

Refere-se ao aquecimento global ?
Ramatis abordou este assunto faz mais de 50 anos. E Kardec o fez no século XIX.

Exactamente… refiro-me a essas que apontas e também aquelas que omites por saberes terem sido comprovadamente desmentidas pelos factos e outras ainda de tal forma irracionais que nem merecem consideração. Como a repetição da mesma e sempre da mesma mensagem que é a forma como se processa a nossa evolução na direcção do amor, aquela que desde sempre aos Homens foi ensinada e que de novo está a ser divulgada através da espiritualidade superior e que já está escrita e reescrita por aqueles a quem esse papel coube na sua missão dentro da história da humanidade, nada resta aqueles que disso necessitam, que encontrar novos motivos que promovam o consumar dos seus objectivos difusos e obscuros na sua finalidade e utilidade doutrinária.

Citar
Ramatis não incentiva o uso de métodos alternativos para a cura da saúde física, apenas expõe aquilo que é de conhecimento meu ou seu, enfim de todos nós, que é a existencia destes tipos de auxilio aos necessitados. Enfim, ele não se preocupa com a saúde física, mas da cura da alma, que doentia, necessita do Evangelho de Jesus - o mais perfeito dos médicos.

Extrato da sinopse do livro "Mediunidade de cura"
Citar
consagrada como um manual clássico da matéria, em mais de uma dezena de sucessivas edições, é leitura indispensável para quantos se interessam pelos processos da chamada cura espiritual, pela extensão e profundidade de análise dos mecanismos ocultos  ::) da mediunidade curadora.

Ora aqui está um bom exemplo de um tema que é de certo um êxito garantido, tendo em conta a quantidade de irmãos que se dedicam à cura através destes métodos alternativos à medicina e ao grande potencial de mercado que contém.

Diegas, na minha actividade profissional lido com marketing e campanhas publicitárias… este extracto que aqui coloca da sinopse é um clássico, algo gasto e antiquado. As palavras a negrito são escolhidas a dedo!

Não te parece que devemos ter o máximo cuidado quando se nos depara esta realidade mercantilista da qual este é um ínfimo exemplo? A muitos e muitos mais isto se aplica.

Utilizei este exemplo aproveitando a oportunidade de explicar na prática aquilo que se passa no mundo editorial e que deve ser tomado em consideração por todos aqueles que a este campo de estudo se dedicam e não como um mau exemplo acerca das matérias que parece abordar.

Citar
Só que há um predicado, não sei se negativo ou positivo, e o confesso publicamente, que é de não saber ler e nem ouvir calado, principalmente quando trata-se do desrespeito às instituições sérias, bem quando se pretende insultar/desmoralizar os mentores espirituais.

Esta não entendi… necessito que se puderes te expliques melhor. Queres dizer que devemos nos manter calados quando as instituições sérias (quem as classifica?) e os menores espirituais (quem os define?) falarem, aceitando submissos tudo aquilo que eles dizem?

Um abraço amigo!
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 26 de Fevereiro de 2009, 03:13
Eu estou na lista dos que não compreendem pelo que solicitaria ao amigo alguma ilucidação ...

Olá, Fernão.

Há individuos que não compreendem o motivo do falar/escrever, e isto depende muito da relação assunto/psicologia/maturidade, enfim da simpatia ou antipatia por determinado assunto. Por exemplo, as mulheres adoram falar mal dos homens, e os homens só querem o bem das mulheres. Portanto, o interesse ou desinteresse tem muito a ver com a índole psicologica de cada um.

O Taprobana alegou ser fundamentalista com o time do coração (deve ter sofrido muito com a derrota do Sporting pela Eurocopa). Então, poderíamos ficar a noite/madrugada toda apontando os prós e os contras. Há até os que se desinteressam por total desconhecimento de alguns assuntos, ou quando imaginam  dominá-lo como um profissional da área. Que interesse haveria de uma criança de 5 anos em estudar matemática avançada: trigonometria, derivadas ou exponenciais ?

Mas se atentar há vários foristas que se interessam em conhecer a vida em outros mundos. Vide a quantidade de tópicos abertos questionando sobre a possibilidade de vida em colonias espirituais ou nos mundos planetários. Na própria Codificação, não há capítulos extensos informando-nos da existencia de vida em outros mundos, inclusive a ocorrencia de espiritos que se disseram pertencer a Jupiter ?

Algum valor deve haver para tais revelações estarem na Codificação, disto eu não tenho dúvida.



Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 26 de Fevereiro de 2009, 03:57
'...Reconheço que se tal acontece-se adoptaria a mesma atitude, ou melhor, adopto e como sabes, exactamente a mesma atitude acerca das matérias que abordam temas que somente visam satisfazer a curiosidade dos Homens...'

Olá, Taprobana.

O que fez mover o  mundo foi a curiosidade em se descobrir a roda.

Cito:

Citar
591. Nos mundos superiores, as plantas são de natureza mais perfeita, como os outros seres?
“Tudo é mais perfeito. As plantas, porém, são sempre plantas, como os animais sempre animais e os homens
sempre homens.”

Pois...pois...há quem prefira fechar os olhos a estas realidades, considerando-as curiosidades impróprias e/ou desnecessárias.

Citar
Já agora uma questão amigo… se isso tivesse o mínimo de fundamento só a Ramatís (?) caberia a preocupação de o divulgar, sendo que mais nenhum mentor espiritual o faça em todo o mundo? Só contaram para você? (Como dizia um actor seu compatriota há una anos atrás.)  :D

Se voce não se prendesse somente à Codificação, tal como um um crente que se prende à Biblia, temeroso dos demonios, saberia que há muitos livros e mentores que propagam a transição planetária.

Joana de Ângelis:

 
Citar
Opera-se, na Terra neste largo período, a grande transição anunciada pelas Escrituras e confirmada pelo Espiritismo.
O planeta sofrido experimenta convulsões especiais, tanto na sua estrutura física e atmosférica, ajustando as suas diversas camadas tectônicas, quanto na sua constituição moral.
Isto porque, os espíritos que o habitam, ainda caminhando em faixas de inferioridade, estão sendo substituídos por outros mais elevados que o impulsionarão pelas trilhas do progresso moral, dando lugar a uma era nova de paz e de felicidade.
Os espíritos renitentes na perversidade, nos desmandos, na sensualidade e vileza, estão sendo recambiados lentamente para mundos inferiores onde enfrentarão as consequencias dos seus atos ignóbeis, assim renovando-se e predipondo-se ao retorno planetário, quando recuperados e decididos ao cumprimento das leis de amor.
Por outro lado, aqueles que permaneceram nas regiões inferiores estão sendo trazidos à reencarnação, de modo a desfrutarem da oportunidade de trabalho e de aprendizado, modificando os hábitos infelizes a que se têm submetido, podendo avançar sob a governança de Deus.
Caso se oponham às exigências da evolução, também sofrerão um tipo de expurgo temporário para regiões primárias entre as raças atrasadas, tendo o ensejo de ser úteis e de sofrer os efeitos danosos da sua rebeldia.
Concomitantemente, espíritos nobres que conseguiram superar os impedimentos que os retinham na retaguarda, estarão chegando, a fim de promoverem o bem e alargarem os horizontes da felicidade humana, trabalhando infatigavelmente na reconstrução da sociedade, então fiel aos desíginios divinos.
Da mesma forma, missionários do amor e da caridade, procedentes de outras Esferas estarão revestindo-se da indumentária carnal para tornar essa fase de luta iluminativa mais amena, proporcionando condições dignificantes que estimulem ao avanço e à felicidade.
Não serão apenas os cataclismos físicos que sacudirão o planeta, como resultado da lei de destruição, geradora desses fenômenos, como ocorre com o outono que derruba a folhagem das árvores, a fim de que possam enfrentar a invernia rigorosa, renascendo exuberantes com a chegada da primavera, mas também os de natureza moral, social e humana que assinalarão os dias tormentosos, que já se vivem.
Os combates apresentam-se individuais e coletivos, ameaçando de destruição a vida com hecatombes inimagináveis.
A loucura, decorrente do materialismo dos indivíduos, atira-os no abismos da violência e da sensatez, ampliando o campo do desespero que se alarga em todas as direções.
Esfacelam-se os lares, desorganizam-se os relacionamentos afetivos, desestruturam-se as instituições, as oficinas de trabalho convertem-se em áreas de competição desleal, as ruas do mundo transformam-se em campos de lutas perversas, levando de roldão os sentimentos de solidariedade e de respeito, de amor e de caridade…
A turbolência vence a paz, o conflito domina o amor, a luta desigual substitui a fraternidade.
… Mas esses ocorrências são apenas o começo da grande tranformação.
A fatalidade da existência humana e a conquista do amor que proporciona plenitude
Há, em toda a parte, uma destinação inevitável, que expressa a ordem universal e a presença de uma Consciência Cósmica atuante.
A rebeldia que predomina no comportamento humano elegeu a violência como instrumento para conseguir o prazer que lhe não chega de maneira espontânea, gerando lamentáveis consequências, que se avolumam em desaires continuos.
É inevitável a colheita da sementeira por aqueles que a fez, tornando-se rico de grãos abençoados ou de espículos venenosos.
Como as leis da vida não podem ser derrogadas, todo objeção que lhes faz converte-se em aflição, impedindo a conquista do bem-estar.
Da mesma forma, como o progresso é inevitável, o que não seja conquistado através do dever, selo-á pelos impositivos estruturais de que o mesmo se constitui.
A melhor maneira, portanto, de compartilhar conscientemente da grande transição é através da consciência de responsabilidade pessoal, realizando as mudanças íntimas que se tornem próprias para a harmonia do conjunto.
Nenhuma conquista exterior será lograda se não proceder das paisagens íntimas, nas quais estão instalados os hábitos. Esses, de natureza perniciosa, devem ser substituídos por aqueles que são saudáveis, portanto, propiciatórios de bem-estar e de harmonia emocional.
Na mente está a chave para que seja operada a grande mudança. Quando se tem domínio sobre ela, os pensamentos podem ser canalizados em sentido edificante, dando lugar a palavras corretas e a atos dignos.
O indivíduo, que se renova moralmente, contribui de forma segura para as alterações que se vêm operando no planeta.
Não é necessário que o turbilhão dos sofrimentos gerais o sensibilize, a fim de que possa contribuir eficazmente com os espíritos que operam em favor da grande transição.
Dispondo das ferramentas morais do enobrecimento, torna-se cooperador eficiente, em razão de trabalhar junto ao seu próximo pela mudança de convição em torno dos objetivos existenciais, ao tempo em que se transforma num exemplo de alegria e de felicidade para todos.
O bem fascina todos aqueles que o observam e atrai quantos se encontram distantes da sua ação, o mesmo ocorrendo com a alegria e a saúde.
São eles que proporcionam o maior contágio de que se tem notícia e não as manifestações aberrantes e afligentes que parecem arrastar as multidões. Como escasseiam os exemplos de júbilo, multiplicam-se os de desespero, logo ultrapassados pelos programas de sensibilização emocional para a plenitude.
A grande transição prossegue, e porque se faz necessária, a única alternativa é examinar-lhe a maneira de como se apresenta e cooperar para que as sombras que se adensam no mundo sejam diminuidas pelo Sol da imortalidade.
Nenhum receio deve ser cultivado, porque, mesmo que ocorra a morte, esse fenômeno natural é veículo da vida que se manifestará em outra dimensão.
A vida sempre responde conforme as indagações morais que lhe são dirigidas.
As aguardadas mudanças que se vêm operando trazem uma ainda não valorizada contribuição, que é a erradicação do sofrimento das paisagens espirituais da Terra. Enquanto viceje o mal, no mundo, o ser humano torna-se-lhe vítima preferida, em face do egoísmo em que se estorcega, apenas por eleição espiritual.
A dor momentânea que o fere, convida-o por outro lado, à observância das necessidades de seguir a correnteza do amor no rumo do oceano da paz.
Logo passado o período de aflição, chegará o da harmonia.
Até lá, que todos os investimentos sejam de bondade e de ternura, de abnegação e de irrestrita confiança em Deus.


(Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, no dia 30 de Julho de 2006, no Rio de Janeiro, RJ. Publicada na revista Presença Espírita, setembro/outubro 2006, Nº 256, páginas 28 e 29)

Depois transcreverei um texto de Emmanuel que se encontra no livro 'A Caminho da Luz'; mais adiante um de Edgard Armond; depois um dos evangelistas; outro do próprio Kardec. Aliás, parece-me que todos concordam entre si, levando-me a conclusão de que estes fatos foram, conforme a sua afirmativa, todos desmentidos.

Tá combinado nesta ordem ? Considera suficiente estes autores ?

Assim perceberá que não sou detentor de nenhuma exclusividade, mesmo por que são todos textos de dominio público.

Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Marden em 26 de Fevereiro de 2009, 13:06
Estou chateado comigo mesmo....

A muito tempo me prometi que não tomaria parte neste tipo de debate... por algum tempo vou me dar umas broncas. Não me acrescenta nada, chega às vezes a perder o nível de qualidade e ainda por cima, pode  causar mal estar entre as pessoas.

Pra mim basta...
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Carlos Ribeiro em 26 de Fevereiro de 2009, 13:21
Para mim também basta.
As asneiradas que o ramatis diz nos seus livros e a forma obsessiva como certas pessoas o defendem, já me chegam para chegar á conclusão que estamos perante um caso de espírito pseudo-sábio e de uma mistificação.
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Taprobana em 26 de Fevereiro de 2009, 14:23
O Taprobana alegou ser fundamentalista com o time do coração (deve ter sofrido muito com a derrota do Sporting pela Eurocopa).

Olá Diegas! Eu não sou do Sporting! Sou do FC Porto.  :P  :D

No entanto voltando ao tema, penso que concordas que já expressamos o que pensamos... proponho voltarmos a conversar acerca disto numa próxima oportunidade, assim talvez com outro enquadramento temático possamos ter melhores condições de nos entendermo-nos melhor.

Achas bem?

Um abraço amigo.

Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: Diegas em 26 de Fevereiro de 2009, 15:05
'...Eu não sou do Sporting! Sou do FC Porto.  :P  :D

Olá, Taprobana.

Errei o nome do time portugues que perdeu ontem na Eurocopa = Copa dos Campeões ?... Estava acompanhando Real Madri X  Liverpol e só via disparar os gols do outro jogo sem tomar atenção para quem perdia. Sei que o time portugues vestia camisa listrada... ;D

Penso estar bem quanto a querer terminar o enredo cinematográfico desta nossa conversa. Há amigos que se lamentaram tanto que pareciam recem-saidos de uma guerra mundial.


Abç
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: _Fernando _ em 24 de Maio de 2010, 01:38
Roustaing teve um casal de filhos.

Ramatis e Joanna De Angelis, dai chamou o Divaldo para batiza-los.
Título: Re: Ramatís Pelo orador espírita Ari Lex
Enviado por: _Fernando _ em 24 de Maio de 2010, 01:58
Ramatis, não é tão pseudo-sábio assim como muitos querem crer.

Penso, ele ser mais pseudo do que sábio.

Se fosse ele, mais sábio que pseudo.

Teria ele ditado toda aquelas asneiras para mais uma meia dúzia de médiuns.

Dai, ele teria conseguido a tal da Comprovação Universal dos Espíritos.

Pessoal, esta tal confirmação de vários médiuns de nada vale, hoje em dia.

Se o Espírito é Zombeteiro e quer rir da cara dos menos avisados, é só o tal do Pseudo-Sábio sair ditando suas "obras" nos quatro cantos do mundo.


A Espiritualidade Maior, (comandada por Deus), consente que estas coisas aconteçam, justamente para testar e ajudar na inteligência do homem.

Uma pessoa ler de capa a capa um livro de Ramatis ........comprar outro livro...+ outro....ler de capa a capa e sair dizendo que o Sofredor é um Espírito de Luz!!!!!!

Simplesmente lamentável..........