Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Artigos Espíritas => Tópico iniciado por: Victor Passos em 09 de Outubro de 2007, 17:33

Título: Madalena nunca foi prostituta
Enviado por: Victor Passos em 09 de Outubro de 2007, 17:33


   “Madalena nunca foi prostituta”

      “Quando escuto palestrantes falando na prostituição de Maria de Magdala, reflicto silenciosamente sobre os efeitos da nossa falta de atenção. Nada existe nos Evangelhos que possa provar esta caluniosa difamação. Porém entendo meus confrades, pois geralmente não gostamos de estudos aprofundados. Eu mesmo passei a meditar sobre esse tema quando li um livros do escritor Hélio da Silveira Pinto, cujo título é: Já Estava Escrito.

      Na referida obram o autor menciona o engano que tem sido divulgado através dos séculos. Existe uma notável confusão na cabeça de vários Teólogos improvisados e que vamos analisar. Em parte alguma o nome de Madalena é citado como prostituta. Tudo não passa de maldosa interpretação, como provarei adiante:

      Vemos no Evangelho de Lucas, capítulo 7 vs. 37 e 38, a seguinte narrativa envolvendo Jesus e uma anónima pecadora: E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento. E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os seus cabelos da cabeça e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com ungüento.

      Em nenhuma frase do texto essa mulher foi identificada com o nome de Maria Madalena. Conforme Hélio Pinto escreveu, vou citar textualmente: Prestem atenção, a prostituta não era doente nem louca e foi embora após recomendação de Jesus. Nada há que induza ao contrário. Quem ler o trecho verificará que Lucas não faz nenhuma alusão ao nome da prostituta.

    Já o Evangelista João, no cap. 8 e vs. 3 a 11, refere-se a uma mulher adúltera, tão desconhecida quanto foi a prostituta, que beijou os pés do Mestre. Tal mulher não era louca e não tinha qualquer perturbação espiritual. Além disso no episódio da adúltera, Madalena já andava há muito tempo com Jesus e seu grupo, ela certamente não exercia a faculdade de bicorporeidade e já estava liberta da obsessão.

     Ainda no cap. 8 de Lucas vs. de 1 a 3, lemos sobre Jesus de Nazaré: E aconteceu, depois disso, que andava de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o Evangelho do reino de Deus; e os doze iam com ele, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e enfermidades. Maria, chamada Madalena, da qual saíra sete demónios; e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana e muitas outras que o serviam com suas fazendas.

      O Movimento Cristão tem divulgado levianamente essa maledicência incomparável. Maria de Magdalena deve tê-los perdoado, lá do plano espiritual. Aos que lembram do livro Boa Nova, de Humberto de Campos, psicografado por Chico Xavier, Hélio refuta: Na página doze do livro Boa Nova está escrito que ali estão transcritos episódios do folclore de lendas, crenças populares, canções, sem maior compromisso com os fatos reais.
    Concluo sugerindo que não existe contradição, o mesmo raciocínio vale para Emmanuel, orientador espiritual do médium Francisco Cândido Xavier...!

 

 Marciano Medeiros
Título: Re: Madalena nunca foi prostituta
Enviado por: Gigii em 09 de Outubro de 2007, 23:28
Boa noite!

É um tema para meditar. Eu li o livro Boa Nova e fiquei com a ideia de Madalena ser um espirito já com muitos conhecimentos para a época, sendo incrivel o momento onde Jesus lhe fala no Amor universal a que todos somos chamados.
Confesso que partilho da opinião desse companheiro que afirma ser uma invenção humana o sinónimo, tão pouco nobre que deram a essa nossa irmã.

Em estudos paralelos (não espiritas) já vi afirmarem que Madalena seria inclusive uma das seguidoras de Jesus, e que pelo facto de ser mulher, a igreja desprezou a sua importancia, pois na idade média, como sabemos, ás mulheres não lhes era permitido o conhecimento.

Mas pouco sabemos da vida desses personagens, e acredito que de Jesus, apenas ficaram os relatos mais fantasticos, que mais impressionaram, e assim marcaram a época, de forma a passar de geração em geração.

Um grande abraço a todos
Gi