Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Artigos Espíritas => Tópico iniciado por: Espiritaonline em 25 de Setembro de 2008, 18:53

Título: A VERDADE E SUAS FACES
Enviado por: Espiritaonline em 25 de Setembro de 2008, 18:53
Verdade vem sendo motivo de intensas lutas íntimas por parte das criaturas.
Alguns querem retê-la em seus domínios, todavia, impossível, porque a Verdade é livre, não se subordina ao poder, à beleza física, aos paradigmas, aos preconceitos... A história da humanidade comprova a virtude da liberdade
que possui a Verdade, muitos foram aqueles que se julgaram Donos Absolutos dela, queriam encarcerá-la, contudo, ocioso dizer que foi inútil tentativa, porquanto, o Tempo, esse amigo sereno da Verdade, tratou de reconduzi-la a seu lugar de origem.
Mas ao mesmo tempo que a Verdade é desejada, seja para provar que temos razões em corriqueiras discussões familiares, ou absolver réus que estavam prestes à condenação, ela também é temida. Quem quer encarar de frente a Verdade dos fatos? Por que dói tanto saber que a Verdade é que somos nós mesmos os responsáveis pelos nossos pedagógicos fracassos?
Dirão alguns que temer a Verdade é como se auto proteger, esperando que vida por si só nos amadureça, e maduros, estaremos mais aptos a encará-la.
Mais simples mascarar a Verdade e colocar a responsabilidade pela nossa desdita em ombros alheios, até que a maturidade nos visite, contudo, este procedimento não é nada recomendável, porquanto:
A Verdade é inconveniente, pode cobrar seu preço a qualquer momento. Tanto é inconveniente que muitos se negam a enxergá-la, não querem vê-la, mesmo que ela esteja escancarada, é mais fácil tapar os olhos.
Um amigo que foi matricular o filho pequeno em uma escola, ao ver uma garota negra estudando, afirmou decisivo:
-Este ambiente não é para meu filho! E se retirou com o garoto.
Ilusão: “O pai julga que seu pequeno é melhor que o filho do outro”.
Verdade escancarada que não quer ser encarada: ”O filho desse pai é um ser humano igual a todos os outros”.
Resultado:
O garoto crescerá em um mundo de faz de conta, considerando-se acima do Bem e do Mal, e futuramente virão dores e dissabores, apresentada pela sempre sábia Verdade, a fim de despertá-los do sono dessa ilusão.
Sim, caro leitor, cedo ou tarde, maduros ou não, a Verdade nos cobrará os deslizes cometidos.
Quem sai da linha e procura dominá-la deve aprender que ela é Livre, e não se subordina aos padrões do mundo, quem a teme e procura as ilusões e fantasias, deve aprender que ela atropela, contudo, sempre visando nosso progresso como seres humanos.

Pensemos nisso.   

Wellington Balbo
Bauru/SP