Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Artigos Espíritas => Tópico iniciado por: *Leni* em 17 de Março de 2009, 00:29

Título: "DICAS"PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA
Enviado por: *Leni* em 17 de Março de 2009, 00:29





"DICAS"PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA

Para pensar:

"A melhor forma de se matar uma idéia é tornar a sua divulgação monótona e enfadonha" (Divaldo Franco)

FINALIDADE DA CASA ESPÍRITA:

Divulgação doutrinária (L.M. Estatuto da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, cap.I , art. 1o.)

MEIOS DE DIVULGAÇÃO DOUTRINÁRIA:  

Palestras Públicas, Cursos regulares de Estudo, Artigos, Revistas, etc..

O QUE É O ESPIRITISMO?

Um corpo de Doutrina com bases filosóficas e científicas com aplicações morais (éticas)
Não se deve dissociar o Estudo do Espiritismo deste tríplice aspecto:

CIÊNCIA:
Quando perante o fenômeno se pergunta:

 COMO FUNCIONA?

FILOSOFIA: Quando se pergunta:

 POR QUE?

RELIGIÃO (ou moral, ou ética);   Quando a pergunta é:

 PARA QUE SERVE?, ou QUAL A APLICAÇÃO PRÁTICA DESSE CONHECIMENTO?

Vamos chegar então ao objetivo da Palestra Pública:

Através do conteúdo científico/filosófico do Espiritismo, divulgá-lo como ferramenta evolutiva do ser humano (operacionalização do Evangelho).

COMO SE COMPÕE UMA PALESTRA (ou Exposição Doutrinária)?

De: Princípio, Meio e Fim.

Parece óbvio, mas nem sempre se tem sucesso porque é preciso dar lógica, clareza e sentido ao tema exposto.

ETAPAS DE UMA PALESTRA:

 ABERTURA,
 APRESENTAÇÃO DO TEMA,
 APROFUNDAMENTO DO TEMA,
 CONCLUSÃO.


ALGUMAS NOÇÕES BÁSICAS DE COMUNICAÇÃO;

A Comunicação é o estudo da arte de se comunicar (e a expressão "arte" está sendo usada de forma proposital)

O que é comunicar?

É expor uma idéia ou raciocínio a uma pessoa ou a um grupo de forma compreensível para esta pessoa ou grupo.

Importante:

A comunicação só se realiza quanto o outro ENTENDE a mensagem. Não basta expor, é preciso se fazer entender ou compreender.

A primeira etapa para que a Comunicação se realize é a de conquistar a atenção daqueles com quem estamos tentando nos comunicar (o público)

A ABERTURA:
 
A "Abertura" da exposição doutrinária serve para o expositor "ganhar" a atenção do público. È uma etapa decisiva para o sucesso da exposição.

Um dos melhores métodos de se conseguir "prender" a atenção é a narrativa de uma estória. Jesus o Mestre dos Mestres usava esse recurso pedagógico simples e eficiente para passar o Seu ensinamento. A Comunicação moderna usa o mesmo recurso, por exemplo nas novelas: através do enredo se influenciam comportamentos, se formam opiniões, se vendem produtos (merchandising), etc..

Um outro recurso eficiente é se iniciar com uma afirmação absurda. Um exemplo clássico: DEUS NÃO EXISTE (numa entonação de voz mais alta), é o que afirmam os materialistas (baixando o tom de voz).

A APRESENTAÇÃO DO TEMA:

A palestra espírita "vende" a filosofia espírita e busca "influenciar" o comportamento através do convite a aplicação dos conceitos doutrinários ao cotidiano das criaturas.

Em linhas gerais e resumidas a filosofia espírita ensina que: se somos responsáveis por nossos atos, a qualidade de nossa vida depende da qualidade dos nossos atos.

Está é a "idéia a ser vendida" na Apresentação do Tema.

O APROFUNDAMENTO DO TEMA:

Já apresentamos o "produto" e já dissemos a finalidade da nossa tarefa que é "vender" o produto.

O que é "vender"? Vender é influenciar (convencer) uma pessoa a adquirir algo (seja um bem ou uma idéia), porque ela foi convencida da necessidade de possuir o objeto da venda.

Como Vender?

Este é o aprofundamento do tema.

Tendo a Doutrina Espírita uma base científica ela demonstra e prova a lógica da sua argumentação sobre "fatos". Isto dá uma ferramenta de convencimento ao expositor de usando o "como funciona?", responder ao "por que?", levando o público a desejar adquirir ou usar.

A CONCLUSÃO:

É a hora do "fechamento da venda".

A conclusão deve ser sempre moral, ou seja, qual o benefício que eu vou ter para modificar o meu "modus vivendi" e experimentar outro modelo comportamental?

A técnica é a mesma que se leva a convencer uma pessoa a trocar o seu aparelho celular por outro: mostrando as vantagens do investimento no novo produto.

Qual é a "vantagem" da aplicação dos conceitos doutrinários (ou evangélicos) no cotidiano?

A resposta será sempre: A FELICIDADE.  

Jesus já ensinava que quando um negociante de jóias encontra uma pérola de grande valor ele não se incomoda em vender todas as suas jóias para adquirir aquela pedra.

Voltando um pouco à APRESENTAÇÃO e ao APROFUNDAMENTO DO TEMA:  

a idéia básica é "vender" ao público a noção da sua responsabilidade na construção da sua Felicidade. O sujeito é o "agente causal" do seu estado de Dor ou Felicidade. Mudando-se as causas mudam-se os efeitos.

Voltando à CONCLUSÃO:  

Deverá sempre se buscar convidar, através do tema exposto, a uma reflexão das pessoas sobre as causas que originam o seu sofrimento e oferecer uma proposta comportamental nova (boa nova, ou em outras palavras a "operacionalização" dos ensinamentos de Jesus).

Todos nós, ou pelo menos a grande maioria de nós:

TEMOS:
 Um modelo comportamental já automatizado pelas nossas vivências pretéritas.

DESEJAMOS:
 Viver melhor, mais harmonizados,mais equilibrados, com mais Paz.

SABEMOS (ou precisamos saber):
 Que muitas vezes o modelo comportamental já instalado (o homem velho) "joga contra" os nossos anseios superiores.

NECESSITAMOS:
 De uma forte motivação para opor resistência às tendências que "jogam contra" os nossos desejos superiores

A Finalidade da Exposição Doutrinária é esse constante convite ao aprofundamento do estudo das causas que existem na criatura e que estão causando o sofrimento (autoconhecimento), buscando dar a motivação necessária através do oferecimento de novas propostas (novas notícias, boa nova), demonstrando com fatos (suporte científico da doutrina) a qualidade do resultado desta troca de modelo comportamental.

ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS PARA FACILITAR A COMUNICAÇÃO:

 Lembrar que a comunicação só se faz quando o interlocutor "entende" o que foi dito.

 Que o público de uma reunião é heterogêneo no que diz respeito à escolaridade e ao conhecimento doutrinário.

 Portanto, deve-se usar de uma linguagem e termos doutrinários acessíveis a TODOS os presentes.

 Temas polêmicos ou controversos não têm o seu foro apropriado de discussão numa palestra pública. Devem ser reservados para os cursos e encontros.

Um cuidado especial com os vícios de linguagem: né..né, ta..ta, aí então você entende né?, sabe?

Outro cuidado é a com a atitude conselheira:

O expositor é um membro da comunidade, experimentando as mesmas dificuldades e tendo os mesmos anseios de Felicidade que o público presente e não um ser superior "já resolvido ditando regras para os seus discípulos".

O Mestre é Jesus, mensagem é Dele, nós outros somos apenas divulgadores.

A QUESTÃO DA FORMAÇÃO DOUTRINÁRIA DO EXPOSITOR:

É fundamental possuir um grau elevado de familiarização com as Obras Básicas.

Obras complementares ajudam, são importantes para ilustrar e aprofundar os conceitos explanados,,porém os conceitos são tirados das Obras Básicas.

Fidelidade doutrinária é essencial. Idéias pessoais ou mal resolvidas não podem ser passadas numa palestra.

Estamos divulgando uma Doutrina que não é nossa é dos Espíritos Superiores dirigidos pelo Cristo portanto nossas opiniões pessoais não podem "contaminar" a exposição.

Casos pessoais devem ser evitados. Se precisar usa-los use um sujeito indefinido. Exp.: tenho um amigo que....

DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA:

Lembrar SEMPRE e CONFIAR na sustentação espiritual do trabalho.

TODO expositor, sem exceção, é sustentado pela equipe espiritual da instituição responsável pela tarefa de exposição doutrinária. É um trabalho de equipe, sendo assim, como em todo trabalho de equipe, deve-se estar "ligado", "sintonizado" com a equipe espiritual que vai "inspirar" o expositor.

TODO expositor é "médium Inspirado e Intuído".

L.M. cap. XV, 180 e 182: "médium intuído" - tira os "recursos" do seu próprio Espírito; "médium inspirado": recebe pelo seu pensamento idéias externas.

A NECESSIDADE DO ESTUDO E DO APERFEIÇOAMENTO CONSTANTES:

Por força da Mediunidade de Intuição, quanto mais "recursos" o Espírito do expositor possuir, mais ele poderá ser ajudado por estes mesmos recursos.

Por força da Mediunidade de Inspiração, quanto mais "recursos" o Espírito possuir, mais facilmente a Direção Espiritual do trabalho poderá inspirá-lo (Jesus já ensinava que àquele que já tem mais lhe será dado e àquele que não tem, até aquilo que ele pensa que tem lhe será tirado).

Alguns exemplos do exposto acima: é comum o expositor ter um plano já definido do que vai falar e durante a exposição alterar este plano de forma quase que inconsciente (inspiração) ou, então se "lembrar de repente" no meio da palestra de um fato ou ensinamento que ele nem cogitava de usar (intuição)

Marlio Lamha

Engenheiro e Administrador de Empresas.
Palestrante Espírita.
Grupo Rita de Cássia de Estudos Espíritas.

BOA SORTE A TODOS.
SORRIA. :)
JESUS NOS AMA.  





Título: Re: "DICAS"PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA
Enviado por: *Leni* em 18 de Março de 2009, 21:27



MAIS DICAS PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA

Você tem Horror de Falar em Público?  

Se a resposta é sim, saiba que você está na companhia de quase toda a humanidade, temos conselhos práticos para que supere esse duro obstáculo ao sucesso e se junte à minoria que brilha

Falar em público é um dos atributos mais importantes para alguém.

Calma. Não estamos a colocá-lo com um microfone diante de 100 mil pessoas num estádio de futebol. Estamos a falar de coisas menos espectaculares, como, por exemplo, discursar para meia dúzia de pessoas numa reunião e, perante essa pequena plateia, vender uma ideia ou entrar numa discussão.

Falar em público, é quase sempre assim. Tão simples e, ao mesmo tempo, tão complicado. Ainda que para reuniões pequenas, inspira medo, às vezes até terror. Esse medo é um dos males mais comuns para um iniciante. Se a dificuldade de falar em público não for contornada desde o início com todos as suas técnicas e dicas, depois torna-se mais difícil.

Uma pesquisa realizada com 10 mil australianos mostra que um terço dos entrevistados prefere a morte a falar em público. Você pode não ter chegado a esse ponto, o que é bem razoável, mas tente lembrar-se de quantas vezes quis desaparecer quando soube que teria que fazer uma apresentação. Ou ficou calado numa reunião, com medo de dar a sua opinião.

No no livro "A Fácil Arte de Falar em Público" de Jack Valenti, ele diz que a respeito disso há duas notícias:

 A má notícia:  
Vencer esse medo é fundamental para você ter probabilidades de sucesso.

 A boa notícia:  
É possível dominar esse medo e até fazê-lo trabalhar a seu favor.

Concluimos dai que:

«Não existe nada realmente especial em falar em público».
«Não é um dom genético herdado, mas, uma palestra espírita tem inspiração divina»,
«É um ofício que se aprende.»

Valenti é um orador muito requisitado. Ele foi redator dos discursos do presidente americano Lyndon Johnson e é, desde 1966, porta-voz da indústria de distribuição e produção de filmes nos Estados Unidos.

Por Laura Somoggi.



Título: Re: "DICAS"PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA
Enviado por: *Leni* em 22 de Março de 2009, 02:11




Conheça os sete passos que irão ajudá-lo a vencer este obstáculo.

 Saiba o que vai dizer:

1- A primeira coisa que você deve ter em mente quando for falar em público é:
Saiba o que vai dizer. Leia, pesquise, interesse-se, domine o assunto.

  2- É preciso ter intimidade com o assunto:  

Uma boa história pode ser muito mais eficiente para passar a sua mensagem. Conheça o máximo que puder. É importante que sobre informação.

  3- Voz, linguagem corporal e conteúdo:

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia mostra que apenas 7% do impacte provocado no público vem da parte verbal da apresentação. Os maiores impactos vêm da voz (38%) e da linguagem corporal (55%). O que não quer dizer que não deva dar a máxima atenção ao conteúdo, que é a razão de ser de qualquer apresentação.

 4- Só não faça dele uma fonte inesgotável de ansiedade:  

Concentre-se naquilo que você quer que fique na cabeça das pessoas. Outro dado para ajudar a diminuir o seu medo: quando esquecemos uma palavra, o branco que parece durar uma eternidade demora apenas alguns segundos para quem nos escuta.

  5- Não seja arrogante:  

Lembre-se também que dificilmente você será requisitado para falar de algo que não entenda. Mas não seja arrogante nem subestime a inteligência de quem está a ouvi-lo. Seria um grande erro.

  6- Conheça o terreno em que vai pisar:

Nunca faça uma apresentação sem conhecer algumas informações básicas: para quem vai falar, o que esse público quer ouvir, quanto tempo terá, se você será o único orador, qual a ordem das apresentações, se haverá um período para perguntas e respostas, etc.

Prepare-se para todo o tipo de perguntas. É inevitável que o público levante questões menos exploradas na sua apresentação. Se você realmente dominar o assunto, tem como prever muitas dúvidas e possíveis objecções, se houver  um momento de embaraço, não desespere. Avalie a situação.

Veja se é possível confessar que não sabe o que responder (essa pode não ser uma boa saída), ou então use outros artifícios. Devolva a pergunta para a plateia, alguém pode saber a resposta. Ou dê referências sobre o assunto, mesmo que não saiba a resposta exata.

  7- Seja breve:

«É muito difícil fazer um mau discurso de um discurso pequeno». Seja breve. Não canse o seu público. Ele vai ficar inquieto, vai começar a conversar, e você vai ficar inseguro. Saia sempre no auge da festa. Onde quer que esteja, você deve parar de falar quando os seus ouvintes esperam e desejam que você continue.

A duração deve variar dependendo do horário da casa Espírita. Há ainda mais um motivo para que não faça apresentações intermináveis: ninguém vai guardar tudo o que você disser. Numa hora de palestra, só 50% serão realmente ouvidos. Portanto, metade do que você disser não será compreendido. A concisão é uma grande virtude numa apresentação.

Por Laura Somoggi.





Título: Re: "DICAS" PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA
Enviado por: *Leni* em 22 de Março de 2009, 21:15





Aprenda a relacionar-se com o público:
Tire da cabeça a ideia de que o público está lá para o criticar. Ele está ali porque quer ou porque precisa de o ouvir.

Quase todos os palestrantes dão uma sugestão:

Olhar para o público:
Escolha algumas pessoas e foque o seu olhar nelas. Tente criar uma certa intimidade.

Adeqúe a linguagem ao seu público:
Nem sempre falar para um grande público é pior do que fazê-lo para poucas pessoas. Quando você fala para pouca gente, as reacções são mais visíveis.

Relaxe também em relação ao comportamento de quem está a ouvi-lo. O fato de alguém bocejar pode significar apenas que ele (ou ela) passou a noite a adormecer o filho.

E se o público for hostil?  
A melhor forma de lidar com ele é amortecer as perguntas agressivas. Continue a ser simpático. Não responda em cima da pergunta, agradeça, respire fundo, ganhe alguns segundos.

Seja você mesmo:
Crie o seu estilo. Não diga piadas se não é naturalmente engraçado.

Uma das piores sensações do mundo é o silêncio que paira no ar depois de se fazer uma gracinha.

Não ande pelo palco, ou onde quer que esteja, se isso não for confortável para si. Há outros pontos importantes para conquistar a audiência. Sorrir é um deles. Ser humilde e não ficar excessivamente preocupado com o que os outros estão a pensar pode também garantir uma certa tranquilidade.

Treine, treine, treine e treine:
Agora, só a prática lhe vai dar mais segurança. O mais eficaz antídoto para o medo do palco é uma preparação total. Concentre-se um pouco mais no começo da apresentação. É a fase de maior nervosismo e o momento fundamental para criar empatia com o público. Saiba muito bem como vai começar e respire fundo.

Vá em frente, mesmo com um friozinho na barriga:
A inexperiência também gera insegurança. E a melhor forma de superá-la é enfrentar as situações que aparecerem. Quem costumava fazer perguntas na sala de aula e apresentar os trabalhos em grupo na época da escola provavelmente não fica tão intimidado na hora de se expor. Não recuse convites, não fuja de reuniões nem tente adiar alguma apresentação. Seja persistente.

Mesmo com todo o treino do mundo, é bom saber que mãos suadas e um pouco de ansiedade são comuns, e praticamente inevitáveis nos minutos que antecedem uma apresentação. Esses sintomas acompanham os oradores mais hábeis e até atores de muito sucesso.

É preciso aprender a conviver com isso.

Por Laura Somoggi.



Título: Re: "DICAS"PARA INICIANTES EM PALESTRA ESPÍRITA
Enviado por: FENet em 20 de Julho de 2010, 19:02
Alguns recursos úteis para realizar uma palestra:
http://www.momento.com.br/pt/produtos.php (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5ici9wdC9wcm9kdXRvcy5waHA=)  histórias em áudio para complementar tema

http://www.slideshare.net/decomfeees/como-criar-boas-apresentaes-em-powerpoint-palestra-esprita (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zbGlkZXNoYXJlLm5ldC9kZWNvbWZlZWVzL2NvbW8tY3JpYXItYm9hcy1hcHJlc2VudGFlcy1lbS1wb3dlcnBvaW50LXBhbGVzdHJhLWVzcHJpdGE=) dicas de como fazer palestras

http://www.vademecumespirita.com.br/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy52YWRlbWVjdW1lc3Bpcml0YS5jb20uYnIv) índice de bibliografias