Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 17 de Fevereiro de 2014, 10:36

Título: Quem é Jesus
Enviado por: dOM JORGE em 17 de Fevereiro de 2014, 10:36
                                                              VIVA JESUS!




              Bom-dia! queridos irmãos.


                       

                      Quem é Jesus




 O ano de 325 é especialmente importante para os cristãos, pois nele ocorreu o Concílio de Niceia, que oficialmente instituiu o Catolicismo ou Igreja Católica, que hoje é seguida por mais da metade dos cristãos espalhados pelo mundo, pois existem outras Igrejas, como a ortodoxa, a anglicana e outras que igualmente reúnem os cristãos (inclusive o Espiritismo). Até esse ano os cristãos não possuíam nenhuma estrutura oficial que os representasse, mas apenas a comunhão das diversas igrejas com troca de correspondência e visitação de quando em vez entre seus representantes. Isso implicou, com o passar do tempo, que uma certa estrutura acabasse surgindo. Antes do Concílio, os cristãos eram organizados sob três patriarcas, os bispos de Antioquia, de jurisdição sobre a Síria, a Ásia Menor e a Grécia; Alexandria, de jurisdição sobre o Egito, e Roma, de jurisdição sobre o Ocidente. Posteriormente os bispos de Constantinopla e Jerusalém foram adicionados aos patriarcas por razões administrativas. Não era uma hierarquia formal, mas os patriarcas (ou bispos) dessas localidades agiam no sentido de ajudar a resolver conflitos.

 No final do segundo século algumas divergências de interpretação quanto aos escritos sagrados começaram a ganhar terreno e a separar os pensadores cristãos. Uma dessas divergências foi fundamental para a convocação do Concílio de Niceia: a divindade ou não de Jesus. Para Alexandre, bispo de Alexandria, Jesus seria Deus, não poderia ser simplesmente um homem, filho do Pai Eterno. Entretanto, para Arrius, que pertencia a outra igreja, Jesus era simplesmente o filho de Deus, como todos os demais seres humanos. A decisão do Concílio foi que a ideia de Arrius era uma heresia, e ele foi banido da Igreja Católica, formada então nesse conclave.

 Lembremos que o mundo ainda estava sob domínio do Império Romano e que, apesar das intensas perseguições e martírios impostos aos cristãos, os seguidores de Jesus não paravam de crescer e contaminavam os próprios cidadãos romanos. Interessado em apaziguar o império e terminar com as disputas religiosas, o imperador Constantino ajudou a articular o Concílio de Niceia, levando os bispos a criarem uma igreja que, na verdade, mesclava o cristianismo com o paganismo, surgindo então a teologia católica, com a santíssima trindade, a divinização de Jesus, o dogma do mistério divino, os sacramentos, os rituais como a missa e assim por diante. Se, por um lado, tivemos o fato positivo do fim das perseguições aos cristãos, de outro lado tivemos a deturpação da mensagem de Jesus, que por séculos ficaria quase irreconhecível.

O pensamento espírita sobre Jesus

 Para o Espiritismo todos somos criados por Deus, ou seja, Ele é o incriado, e todos os demais são suas criaturas, inclusive Jesus, que, como qualquer um de nós, foi criado como Espírito, simples e ignorante, com o potencial divino em germe para, através da lei de evolução, chegar a seu destino, que é comum a todos: a perfeição. Portanto, Jesus não se confunde com Deus, é sua criatura. Como Espírito, Jesus é imortal, exatamente como todos os homens, pois todos somos filhos de Deus e todos chegaremos à perfeição.

 Quando Jesus esteve entre nós, isso há mais de dois mil anos, ele já envergava o status de Espírito perfeito, ou seja, através das reencarnações, realizadas em outros mundos por este universo, ele já havia alcançado o esplendor do amor e da sabedoria. Aqui na Terra, Jesus teve apenas essa encarnação, quando realizou a missão de trazer para a humanidade os conceitos do Evangelho, que exemplificou em espírito e verdade, legando aos homens o “amai-vos uns aos outros” e “fazei ao outro somente o que gostaríeis que o outro vos fizesse”.

 Segundo informações espirituais trazidas através de diversos médiuns em tempos e lugares diferentes, já nesse tempo Jesus era o governador planetário, tendo gerenciado a formação do nosso mundo, ou seja, ele foi, por assim dizer, cocriador, mas sem se confundir com Deus, que reverenciava como Pai, como Senhor do céu e da terra.

 Quando Jesus informou que “ele e o Pai eram um”, quis significar a perfeita comunhão de pensamento e de ideal com Deus, por isso ele era o messias que havia de vir, conforme constava das antigas profecias. Para diferençar a si mesmo de Deus, afiançou que bom somente o Pai Celestial, porque ele somente poderia receber o título de Mestre, por ser um Espírito perfeito.

 Para a Doutrina Espírita não há confusão nem mistério. Deus é o Criador de tudo o que existe no universo, a inteligência suprema, e Jesus é sua criatura, seu filho, um Espírito criado simples e ignorante que, com seus esforços e experiências reencarnatórias (realizadas em outros mundos), alcançou a perfeição. Portanto, Jesus não está distante dos homens, todos somos Espíritos imortais e todos, um dia, alcançaremos a perfeição. Isso não minimiza Jesus, não o torna menos importante, nem fragmenta sua comunhão com Deus, pelo contrário, o exalta e engrandece sua missão.

A literatura espírita sobre Jesus

 Da valiosa literatura espírita, temos que destacar alguns livros de leitura e meditação obrigatórias. Iniciemos pela trilogia romanceada de autoria do Espírito Emmanuel, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, constituída pelas obras Há Dois Mil Anos, Cinquenta Anos Depois  e Ave, Cristo!. Narrando os primórdios do cristianismo, e tendo no primeiro volume a presença de Jesus, compõem um manancial de aprendizados históricos e evangélicos de grande importância, impactando o leitor com narrativas repletas de emoção.

 Ainda da lavra mediúnica de Francisco Cândido Xavier, o tão conhecido Chico Xavier, temos igualmente que destacar o livro Boa Nova, autoria espiritual de Humberto de Campos, onde o autor reúne conteúdos sobre as lições de Jesus extraídos dos arquivos do mundo espiritual, fazendo revelações que impressionam, e levando o leitor a novas descobertas desse tesouro infindável que é o Evangelho.

 Da psicografia de Divaldo Pereira Franco, não podemos deixar de trazer a série de livros escritos pelo Espírito Amélia Rodrigues, com início em Primícias do Reino, trazendo Jesus para bem perto de todos nós, quando temos oportunidade de estar naqueles dias, assistindo aos fatos e lições imorredouras.

 De autores espíritas encarnados vamos fazer três destaques: Hermínio Miranda com seu belo trabalho  Cristianismo, a Mensagem Esquecida; Herculano Pires, com sua obra  Revisão do Cristianismo, e Pedro de Camargo com seus livros Em Torno do Mestre e Na Seara do Mestre.

 E não poderíamos deixar de citar duas obras imprescindíveis para estudo, ambas de Allan Kardec: O Evangelho segundo o Espiritismo, onde encontramos estudo sobre os ensinos morais de Jesus, e A Gênese, onde temos estudo sobre os milagres e predições do Evangelho. Nesses livros o codificador do Espiritismo comparece com estudos e reflexões da mais alta importância, sempre com aquele raciocínio agudo e lógico do mestre francês.

 Poderíamos trazer aqui outros autores, encarnados e desencarnados, mas não temos a pretensão de listar tudo o que existe sobre Jesus na literatura espírita. Apenas indicamos o que nos parece imprescindível à leitura, deixando o leitor à vontade para conhecer mais. 

Últimas palavras

 Jesus é o guia e modelo da humanidade, o Espírito mais perfeito que Deus concedeu ao homem conhecer. Segui-lo é o nosso dever. Manter seus ensinos como ele nos legou e praticá-los em todas as situações da vida é o que devemos fazer. Não esqueçamos: Jesus é o caminho, a verdade e a vida, e somente através dele estaremos com Deus, nosso Pai.


              Marcus De Mario









                                                                                                    PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Quem é Jesus
Enviado por: tauzene em 07 de Março de 2014, 08:42
Gostei do texto. Suficientemente esclarecedor.
Título: Re: Quem é Jesus
Enviado por: tauzene em 07 de Março de 2014, 08:45
Gostei do texto, suficientemente esclarecedor.
Título: Re: Quem é Jesus
Enviado por: lineu em 07 de Março de 2014, 12:08
(http://www.orientacaoespirita.org/Imagens/marcus_de_mario_01.jpg)

Marcus De Mario

Citação de: Marcus De Mario
Jesus é o guia e modelo da humanidade, o Espírito mais perfeito que Deus concedeu ao homem conhecer.

Belo texto de Marcus De Mario!

Parece ser, no entanto, admissível de pequena ressalva no trecho acima citado:

Jesus foi um homem animado pelo Cristo: o Espírito mais perfeito que Deus apresentou ao conhecimento da humanidade.

Assim, torna-se possível a formulação dos seguintes conceitos:

•   O Cristo é o Espírito perfeito a quem Deus outorgou a missão de guia da humanidade.

•   O homem conhecido na Terra como Jesus de Nazaré é quem constitui o modelo de humanidade.

***
Título: Re: Quem é Jesus
Enviado por: dOM JORGE em 06 de Dezembro de 2018, 05:21
                                                              VIVA JESUS!




              Bom-dia! queridos irmãos.




                       Sempre Jesus



             
A história do espírito encarnado no planeta não tem sido de jornada fácil. Dura tem sido a ascensão. Das bases primitivas para a angelitude, incessantemente trabalha o espírito em si, através do tempo, para sublimar-se. Bem o disse Jesus, longa é a jornada, difícil o caminho, estreita a porta. Aprendizado paulatino, vagaroso, para a conquista das virtudes.

Temos recebido muito do amor divino. Do espírito de Fénelon, numa linda página publicada em O Evangelho segundo o Espiritismo, no capítulo I, aqui transcrita, pela beleza da mesma: Um dia, Deus, na sua caridade inesgotável, permitiu ao homem ver a verdade dissipar as trevas; esse dia foi o advento do Cristo. Depois da luz viva, as trevas voltaram; o mundo, depois das alternativas de verdade e de obscuridade, se perdeu de novo. Então, à semelhança dos profetas do antigo testamento, os espíritos se põem a falar e a vos advertir; o mundo foi abalado em suas bases; o raio estourará; sede firmes!

Comenta Fénelon que, malgrado o sangue de tantos mártires, o reino do Cristo ainda não chegou. E conclama ele: Cristãos, tornai ao mestre que quer vos salvar!

Tornemos, sim, ao mestre! Estejamos com Ele, caminhemos com Ele!

O orgulho continua sendo a fonte dos males. Seguir a Jesus, nas atitudes, no pensamento, sendo reto e firme no seu esforço de crescimento e superação de suas mazelas, deve ser o trabalho cotidiano, daqueles que conhecem o evangelho. Humildade é fundamental. Conhecimento é libertador. Conhecereis a verdade e ela vos tornará livres.

Precisamos estar com Jesus, se desejamos um mundo melhor. Haverá uma época em que as leis dos homens serão as leis do Cristo. Elas regerão a Terra e a paz se fará entre todos. O comportamento do espírita verdadeiro e o do cristão devem ser uma e a mesma coisa.

Cada um se verifique, antes de observar as dificuldades do próximo, em que necessita melhorar. Estamos caminhando para uma era nova, onde o amor há de reger as relações dos homens, quando todos se verão como uma só humanidade, como irmãos. Para trás, pois, com costumes selvagens, com animosidades entre irmãos, com desavenças! Isso é infantil, falta evidente de maturidade de espíritos que a essas atitudes se entregam. A hora é de união com o Cristo. A hora é de estar com Jesus. Os grandes espíritos que outrora viveram neste planeta souberam vivenciar as virtudes. A humanidade precisa crescer.

Lembrando Auta de Souza, no Parnaso de Além-Túmulo, psicografado por Chico Xavier, aqui deixamos a poesia O Senhor Vem...

E eis que Ele chega sempre de mansinho.

Haja sol, faça frio ou tempestade;

Veste o manto do amor e da verdade,

E percorre o silêncio do caminho.

                     

Vem ao nosso amargoso torvelinho,

Traz às sombras da vida a claridade,

E os próprios sofrimentos da impiedade

São as bênçãos de luz do seu carinho.

 

Como o sol que dá vida sem alarde,

Vem o Senhor que nunca chega tarde,

E protege a miséria mais sombria.

 

Ele chega. E o amor se perpetua...

É por isso que o homem continua

Ressurgindo da treva a cada dia.


          Editorial- O Imortal









                                                                                                      PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Quem é Jesus
Enviado por: dOM JORGE em 20 de Dezembro de 2018, 20:17
                                                               VIVA JESUS!




             Boa-noite! queridos irmãos.




                   A Face de Jesus




             
Desde criança, me impressionei com o bilhete oração que São Francisco de Assis escreveu para Frei Leão, que seguia para longa viagem. O texto é quase assim: - “Deus te abençoe! Que o Senhor te mostre a sua face”.


“A face de Jesus!...Desde a escola primária perguntava a mim mesmo como seria o semblante d’Ele, o Benfeitor Incompassível! Muito cedo, caminhei para a mediunidade e indagava dos Espíritos amigos como seriam os traços fisionômicos do Senhor. Os Benfeitores Espirituais me determinavam procurá-los na crianças doentes e desamparadas e nas pessoas abatidas, sofredoras, andrajosas ou feridas. Certa vez, meu pai impressionado com a minha persistência em recortar retratos do Senhor de jornais e revistas, me perguntou:
- Chico, que nome terá Jesus no Céu?
Eu, que estava sempre induzido pelos Amigos Espirituais, a procurar a Divina Face nos sofredores nos infelizes, imaginei que o Senhor, sendo o conforto e a providência dos tristes e dos desventurados, deveria ter no Alto um nome de luz e respondi:
- Meu pai, eu penso que no Céu Jesus se chama Alegria, pois todos os que sofrem na Terra estão esperando por Ele.

E como era muito do gosto do meu pai celebrar o Natal, ele me solicitava acompanha-lo em dez noites consecutivas, para contar um pequeno hino de louvor, enquanto ele me acompanhava no violão.
O hino era ligeiro e cabia-me repeti-lo à porta de cada um de nossos numerosos amigos. Lembro-me perfeitamente da estrofe única de que se compunha: “Não quero que me dês prata. Nem cousa de maior valia. Só quero que abras a porta. E me mostres a Alegria”.
As casas se abriam, mas eu não encontrava o rosto de Jesus naqueles semblantes sorridentes e felizes e, no dia seguinte, ia procura-lo nas crianças paralíticas de nossa vizinhança ou nos velhinhos quase agonizantes do Abrigo São Vicente de Paulo, em Pedro Leopoldo.
Assim tem sido minha vida, uma busca incessante da Face Divina.
(Livro: 100 anos de Chico Xavier)








                                                                                                     PAZ, MUITA PAZ!