Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 03 de Maio de 2011, 10:10

Título: Mãe brasileira: o produto de três raças tristes
Enviado por: dOM JORGE em 03 de Maio de 2011, 10:10
                                         VIVA JESUS!


          Bom-dia! queridos irmãos.

                  Mãe brasileira: o produto de três raças tristes
Um longo estudo que demorou três anos para ser concluído, conduzido pela equipe do professor Sérgio Danilo Pena, da Universidade Federal de Minas Gerais, concluiu que o Brasil é, de fato, o país da miscigenação, onde há brancos que geneticamente são negros e negros que são geneticamente brancos.   

A pesquisa, baseada nas leis da Genética, fundamentou-se na amostra de DNA de 247 brasileiros e teve o mérito de traçar, pela primeira vez, o retrato molecular de nosso país, em que a esmagadora maioria – 97% dos brasileiros – provém de um tronco paterno europeu, enquanto o tronco materno divide-se em três partes: européia (39%), ameríndia (33%) e africana (28%).

O resultado obtido pela equipe de pesquisadores de Minas Gerais confirma não só os dados que conhecemos relativamente à história do povoamento do Brasil, mas também as informações divulgadas por Humberto de Campos (Espírito) em sua monumental obra Brasil: Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, psicografada em 1938 por Francisco Cândido Xavier.

O colonizador branco, sobretudo o português, manteve relações tanto com mulheres brancas, quanto com africanas e ameríndias, fato que não ocorreu da mesma forma com o macho oriundo da África e com o indígena, restritos ambos à sua comunidade.

Diz Humberto de Campos, na obra citada, que a alma brasileira é, na expressão harmoniosa de um seus poetas mais eminentes, “a flor amorosa de três raças tristes”, e que isso não se deu por acaso.

Na formação da alma coletiva do povo que surgiria com o advento do descobrimento do Brasil, primeiro compareceram os simples de coração, os primitivos habitantes, que foram os índios; em segundo lugar, os sedentos da justiça divina, os portugueses, muito deles exilados de Portugal por ordem da Coroa; e, por último, os humildes e aflitos, os escravos oriundos da África. Eis aí, pois, segundo a ciência e segundo a revelação espírita, a origem de nossas mães queridas.
 
                          Editorial-O Consolador


                                                                  PAZ, MUITA PAZ!