Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Livros Espíritas => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 18 de Junho de 2016, 01:49

Título: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: dOM JORGE em 18 de Junho de 2016, 01:49
                                                               VIVA JESUS!




             Boa-noite! queridos irmãos.

                        



 Kardec corrigindo os possíveis erros da codificação?




Somos informados por alguns confrades de que Allan Kardec apresentou equívocos em suas obras e está presentemente fazendo as devidas correções.

E eu entendo que existem sim no que concerne à letra, isto dito nas traduções, algumas colocações que não correspondem à lógica apresentada no conceito geral do Espiritismo. Mas eu pergunto: se o contexto da codificação é completo, encerra uma lógica inconfundível, é lógico e racional estarmos corrigindo a obra, modificando-lhe o conceito, pois a filosofia espírita é racional; nesta nossa atitude não estamos manifestando um egocentrismo equivocado e tolo?

E não podemos nos esquecer ainda de que toda essa grandiosidade, toda essa lógica e racionalidade, toda essa beleza que a mesma nos apresenta está contida em síntese nas obras básicas.

Tenho dito em outras oportunidades e volto a reprisá-lo: o Espiritismo é um edifício infinito; nele são tratadas todas as questões que se manifestam na vida do universo.

Entretanto, na míope visão em que nos demoramos, não temos sequer conseguido extrapolar algumas questões apresentadas em O Livro dos Espíritos de forma correta, pois várias delas são extrapoladas de forma equivocada.

Emmanuel esteve nos definindo de forma maravilhosa o que é o Espiritismo quando nos informou de que o Espiritismo é a religião universal do amor e da sabedoria que palpita inevitável no coração de cada criatura; é o encontro marcado com as lições do Cristo de Deus.

E os amigos que estão vivendo essa tarefa inglória me dirão: mas é o próprio mestre de Lyon quem está tomando esta iniciativa. Será?

Vamos analisar a possibilidade de ser Kardec o interessado, e mais, de ser ele o Espírito que, se incorporando, esteja fazendo esta correção.

O primeiro ponto a ser analisado é que, sendo Kardec quem está realizando essa revisão, o correto é que o faça em original, em francês, pois os equívocos apresentados estão na tradução – equívocos esses que não passam da palavra, como retro informado – e se o mesmo apresentar essa correção em português estará apenas corrigindo a tradução.

Se for corrigida apenas a tradução, o possível equívoco permanecerá e novos tradutores estarão reapresentando o mesmo equívoco, então, entendemos que Kardec não viveria esta visão míope, pois nosso amigo enxerga mais longe.

E mais, com todo respeito ao médium que serve de instrumento para que o Espírito de Kardec se comunique, este oferece realmente condições vibracionais, condições sintônicas para que esta comunicação seja possível?

Não podemos nos esquecer de que quando Kardec reencarnou para codificar o Espiritismo ele já era um Espírito superior, e após haver realizado sua missão com sublime êxito, evoluiu ainda infinitamente mais – isto nos é evidente, pois no pouco que temos realizado a favor da doutrina, nos apercebemos haver acontecido um crescimento espiritual avantajado. Então perguntamos: esse médium oferece sintonia para que o Espírito iluminado de Kardec se comunique?

Não vai aqui um julgamento, mas desejaríamos conhecer melhor esse médium.

No meu entender, se houvesse a necessidade de corrigir as obras básicas, Kardec o teria feito através do Chico, pois este médium tinha os requisitos necessários que correspondiam às vibrações sintônicas requeridas por Kardec.

Francisco Cândido Xavier era disciplinado, humilde. Foi um homem Amor, pois seu ser exalava o amor, se sacrificou mesmo a favor do Espiritismo, lógico que não era um Deus, é um Espírito que reencarnou como tarefeiro e acabou se transformando em um missionário, pois ele foi um médium ímpar.

Este médium tinha as faculdades mediúnicas plenamente afloradas; era médium de incorporação, de vidência, de desdobramento, de psicografia, e de efeitos físicos, e ele comprovou possuir a faculdade de efeitos físicos, pois, quando quiseram iniciá-lo neste trabalho, Emmanuel se materializou e disse: eu não quero que Chico seja médium de efeitos físicos. Foi a única vez que Emmanuel se pronunciou na primeira pessoa do singular, pois sempre o fazia na primeira pessoa do plural, nós.

Não foi apenas um bom médium pelas faculdades afloradas que possuía, mas pelas virtudes adquiridas, pelo amor com que se dedicou à doutrina espírita; e, com todo respeito, eu pergunto: o médium que permite a comunicação de Kardec tem esses requisitos?

E como é natural, sendo espírita como sou, ciente de que o Espiritismo é a religião dos Espíritos, eu desejaria apresentar, ao Espírito que responde como Kardec, três questões de “O Livro dos Espíritos”, apenas três já é o suficiente para corroborar se o Kardec que está fazendo essas correções é autêntico.

Amigos, não me interpretem mal, estou apenas procurando passar pelo crivo da lógica e da razão tudo o que vier dos homens ou dos Espíritos, e eu entendo que vocês ficarão contentes com minha atitude, pois é isto que nos pede Kardec.

Eu desejaria contatar vocês, pois o meu primeiro passo deve ser conhecer melhor o médium e, sem dúvida, também o Espírito, pois tenho certeza de que muitos confrades desejam a mesma coisa.


           José Sola Gomes






                                                                                                  PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 18 de Junho de 2016, 16:33
Acredito que o texto deveria ser em torno do conteúdo
das possíveis correções

Dos assuntos tratados pelo próprio Kardec
Claro!
Segundo o Livro

E ai sim de posse destes temas que mereceram tais correções
iniciar-se-ia um debate com caráter de estudos e apontamentos
que propiciaria mais uma oportunidade de reestudarmos a Doutrinas dos espíritos

Mas com o assunto exposto
Apresentou mais uma colocação
sobre opiniões de quem é ou deixa de ser O médium Francisco Xavier
do que o próprio tema

E se viesse por Chico Xavier
tal assunto
Não modificaria em nada
Tal aplicação para os estudos sérios

Minha opinião

Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: lconforjr em 18 de Junho de 2016, 19:00
Re: Kardec corrigindo os possíveis erros da codificação?

      Ref msg inicial deste tópico

      A msg inicial cita texto de José Sola Gomes, no qual ele diz:

      Texto: ... Mas eu pergunto: se o contexto da codificação é completo, encerra uma lógica inconfundível...?

      Conf: não entendo que se diga que o contexto da codificação é completo, e nem mesmo que encerre uma lógica inconfundível, pois, até hoje, já século e meio passado da chegada da codificação, ainda nem mesmo sabemos o que é fundamental para que se entenda a doutrina: quais são as causas de um ser bom e outro ser mau!

      E é verdade que muitos dos ensinamentos ou questões da codificação necessitam ser repensados pra, se for o caso, que sejam corrigidos ou melhor esclarecidos, pois, como ocorre com as demais doutrinas religiosas, nela há questões obscuras, incompreensíveis e mesmo contraditórias.

      Texto: ... o Espiritismo...; nele são tratadas todas as questões que se manifestam na vida do universo.

      Conf: não entendo pois, como já coloquei acima, no espiritismo nem mesmo são tratadas as questões que mostram qual é a causa de um ser bom e outro ser mau, da terrível desigualdade que existe entre espíritos que, ao serem criados, são perfeitamente iguais!

      Texto: Entretanto, na míope visão em que nos demoramos, não temos sequer conseguido extrapolar algumas questões apresentadas em O Livro dos Espíritos de forma correta...

      Conf: mas, se é devido a nossa “visão míope” que não conseguimos ainda entender muito do que a doutrina ensina, qual é a causa de nossos sofrimentos por transgredir as leis divinas?

      Texto: Emmanuel esteve nos definindo de forma maravilhosa o que é o Espiritismo quando nos informou de que o Espiritismo é a religião universal do amor e da sabedoria que palpita inevitável no coração de cada criatura; é o encontro marcado com as lições do Cristo de Deus.

      Conf: aqui está um ponto estranho que precisa ser explicado: porq se dá tanta atenção ao que diz esse grande mentor Emmanuel, se ele escreveu várias obras alicerçadas em conceitos de Paulo, e se a estes a doutrina nem mesmo se refere, nem mesmo tenta explicar porq não considera dignos de estudos muitos de seus esclarecedores ensinamentos?

      Texto: Não podemos nos esquecer de que quando Kardec reencarnou para codificar o Espiritismo ele já era um Espírito superior, e após haver realizado sua missão com sublime êxito, evoluiu ainda infinitamente mais...

       Conf: outro ponto a ser explicado: quem tem ou teve ascendência espiritual, ou moral, sobre Kardec para avalia-lo e constatar que, qdo esteve aqui, já era um espírito superior, e ainda mais, para firmar que, depois, ele já evoluiu infinitamente mais?

      E mais um ponto: se Chico Xavier era disciplinado, humilde, cheio de amor, um homem exemplar, porq tantos não eram e ainda não são assim como ele? Porq ele adquiriu tantas virtudes e tantos outros não as adquiriram? Qual é o erro que estamos cometendo devido ao qual ainda estamos moralmente tão longe dele? 
...............
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: SimonB em 18 de Junho de 2016, 21:10
Eu não ouvi falar a respeito de possíveis correções, mas é inquestionável que certos assuntos tratados na Codificação merecem ser revisados. Faço aqui alusão principalmente aos equívocos científicos em A Gênese. Pessoalmente, acredito que tais modificações sempre deveriam ser anexadas como notas da editora, de preferencia no texto original em francês. É também altamente possivel que Kardec, enquanto encarnado, enxergava certos conceitos de uma maneira diferente que o faria uma vez no mundo espiritual. Ao mal grado de muitos puristas e espiritas 'ortodoxos', o próprio Kardec escreveu, reiteradas vezes, que o Espiritismo é uma revelação progressiva e jamais teve a presunção de encerrar nos seus livros as considerações finais sobre a Vida, o Universo e Deus.
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Junho de 2016, 15:59
Não devemos confundir
Principios doutrinário
Base doutrinária

Com teorias escritas nas obras de Kardec

Devemos diferenciar tais assuntos

Aja visto a Sra. dona Bíblia
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Ace em 19 de Junho de 2016, 21:19
E mais um ponto: se Chico Xavier era disciplinado, humilde, cheio de amor, um homem exemplar, porq tantos não eram e ainda não são assim como ele? Porq ele adquiriu tantas virtudes e tantos outros não as adquiriram? Qual é o erro que estamos cometendo devido ao qual ainda estamos moralmente tão longe dele? 
...............


Egoísmo, orgulho, inveja, vaidade e por aí vai...


Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: HamLacerda em 19 de Junho de 2016, 23:23
Vamos analisar a possibilidade de ser Kardec o interessado, e mais, de ser ele o Espírito que, se incorporando, esteja fazendo esta correção.

Se eu entendi bem, Kardec está encarnando para corrigir supostos erros na codificação?

Mas não seria melhor e mais práticos se ele e sua equipe trabalhassem para inspirar os escritores, lideres espíritas, e médiuns, para poder entender melhor a parte moral da doutrina, em vez de gastar uma encarnação apenas para corrigir supostos erros científicos, que não causam o menor problema para a marcha do espiritismo, e apenas para agradar um pequeno grupo de intelectuais espiritas?



E como é natural, sendo espírita como sou, ciente de que o Espiritismo é a religião dos Espíritos, eu desejaria apresentar, ao Espírito que responde como Kardec, três questões de “O Livro dos Espíritos”, apenas três já é o suficiente para corroborar se o Kardec que está fazendo essas correções é autêntico.


É bem provável que Kardec daria essa mesma resposta:


Revista Espírita 1867 » Março » Dissertações espíritas » Tudo vem a seu tempo

(Odessa, grupo de família, 1866 ─ Médium, senhorita M...)


Pergunta. ─ Lendo, na Vérité de 1866, as experiências magnéticas, eu estava maravilhado e pensava intimamente que essa força admirável talvez pudesse ser a causa de todas as maravilhas, de todas as belezas, incompreensíveis para nós, dos planetas superiores, e cuja descrição nos dão os Espíritos. Peço aos bons Espíritos me esclareçam a respeito.

Resposta. ─ Pobres homens! A avidez de saber, a devoradora impaciência de ler no livro da criação, tudo vos vira a cabeça e deslumbra os vossos olhos habituados à escuridão, quando caem sobre algumas passagens que vosso espírito, ainda escravo da matéria, não pode compreender. Mas tende paciência, porquanto os tempos são chegados. Já o grande arquiteto começa a desenrolar ante os vossos olhos o plano do edifício do Universo; ele já levanta uma ponta do véu que vos oculta a verdade, e um raio de luz vos ilumina. Contentai-vos com essas premissas; habituai os vossos olhos à doce claridade da aurora, até que possam suportar o esplendor do sol em todo o seu brilho.

Agradecei ao Todo-Poderoso, cuja bondade infinita poupa a vossa vista fraca, erguendo gradualmente o véu que a cobre. Se ele o levantasse de uma vez, ficaríeis deslumbrados e nada veríeis; recairíeis na dúvida, na confusão, na ignorância da qual apenas saís. Já vos foi dito que tudo vem ao seu tempo: não o precipiteis pela vossa grande avidez por tudo saber. Deixai ao Senhor a escolha do método que julgue mais conveniente para vos instruir. Tendes ante vós uma obra sublime: “a Natureza, sua essência, suas forças”. Ela começa pelo á-bê-cê. Para começar, aprendei a soletrar, a compreender essas primeiras páginas; progredi com paciência e perseverança, e chegareis ao fim, ao passo que saltando páginas e capítulos, o conjunto vos parece incompreensível. Ademais, não está nos desígnios do Todo-Poderoso que o homem tudo saiba. Conformai-vos, pois, com a sua vontade, que tem por objetivo o vosso bem.

Lede no grande livro da Natureza; instruí-vos, esclarecei o vosso espírito, contentai-vos em saber o que Deus julga a propósito vos ensinar durante a vossa passagem pela Terra; não tereis tempo de chegar à última página, e só a lereis quando estiverdes desligados da matéria, quando vossos sentidos espiritualizados vos permitirem compreendê-la.

Sim, meus amigos, estudai e instruí-vos, e, antes de tudo, progredi em moralidade pelo amor ao próximo, pela caridade, pela fé: é o essencial, é o passaporte à vista do qual as portas do santuário infinito vos são abertas.

HUMBOLDT.
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Diegas em 20 de Junho de 2016, 16:35
Olá, Hamlacerda


Citar
Se eu entendi bem, Kardec está encarnando para corrigir supostos erros na codificação?



José Sola Gomes - o autor do texto - foi informado por alguns confrades de que Allan Kardec apresentou equívocos em suas obras e está presentemente fazendo as devidas correções, por meio de um determinado medium.

E Sola coloca em duvida a veracidade desse tipo de informação.


Aliás, convenhamos, falta um pouquinho de humildade em alguns confrades que enxergam equivocos e contradições em Kardec ! Não seria muito mais sensato que ficassem convencidos que o unico e maior equivoco encontra-se na propria cabecinha de quem enxerga contradições ?  Que culpa tem Kardec ou os Espiritos responsáveis pela DE se há individuos que não sabem interpretar e/ou dominar um determinado assunto codificado ?



Abç





Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: lconforjr em 20 de Junho de 2016, 19:02
Re: Kardec corrigindo os possíveis erros da codificação?

      Ref resp #5 em: 19 06 16, às 21:19, de Ace

      Olá, Ace, boa-tarde.

      Citação de: lconforjr em 18 de Junho de 2016, 19:00: E mais um ponto: se Chico Xavier era disciplinado, humilde, cheio de amor, um homem exemplar, porq tantos não eram e ainda não são assim como ele? Porq ele adquiriu tantas virtudes e tantos outros não as adquiriram? Qual é o erro que estamos cometendo devido ao qual ainda estamos moralmente tão longe dele? 

       Ace respondeu: Egoísmo, orgulho, inveja, vaidade e por aí vai...

       Conf: mas, meu amigo Ace, é exatamente a respeito disso que estamos falando, sobre porq (=qual a causa de) espíritos criados perfeitamente iguais e sem nenhuma inclinação para o mal, se tornam tão gigantescamente desiguais e tão profundamente inclinados para o mal! No princípio, ninguém era egoísta, orgulhoso, invejoso, vaidoso etc, certo? Porq se tornaram com todos esses defeitos morais, porq se tornaram egoístas, orgulhosos etc?
..........
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Junho de 2016, 15:33
Olá amigos

Queria salientar que há grandes diferenças entre Allan Kardec e Chico Xavier.

Enquanto que Allan Kardec fazia o papel de organizador das mensagens dos espíritos, que eram realizadas através de diversos médiuns diferentes, Chico Xavier era um médium. São papéis muito diferentes.

Uma coisa me parece certa, se Kardec viesse na mesma postura, embora com outro corpo, ele jamais aceitaria grande parte dos livros psicografados por Chico Xavier sem uma análise comparativa e detalhada prévia. E teria de sanar todas as contradições. Caso contrário não publicaria.

Nenhuma contradição entre a Codificação e esses livros, quando não fossem romances de ficção,  passaria em branco sem uma tomada de decisão, pois só uma das versões seria válida.

Essas contradições, quanto a mim, não são muito saudáveis para a doutrina espirita, pois há quem se debata pela Codificação ou por Chico Xavier, como se fosse uma guerra de credibilidade pessoal entre Chico e Kardec. Gera-se divisão, e a divisão descredibiliza, em relação aqueles que chegam aos Centros Espiritas sem conhecimentos. Mas que essas contradições existem, existem, pelo menos aparentemente, dependendo de tomarmos a linguagem dos espíritos mais ou menos à letra.

Homens que falam em nome de organizações espíritas, bem intencionados, não promovem a divisão. Logo não tomam partido em relação ás contradições, senão sabem qual é a versão correcta, ou se têm dúvidas se há mesmo contradição. Nesse caso fazem uma análise comparativa, de forma fria, isenta, sem tomar partido. Se chegarem a alguma conclusão publicam, falam das coisas em publico. Senão omitem-nas.

Os espiritos não escolhem os médiuns pela popularidade que eles têm, mas pela capacidade de fazer uma comunicação o mais fiel possivel daquilo que eles querem transmitir. Suponho que tb não escolherão médiuns que tenham uma conduta que possa por em dúvida a credibilidade das comunicações. Um homem conhecido por ser charlatão, por exemplo, não seria um bom médium para passar mensagens doutrinárias. Não por o espirito o estar a julgar moralmente mas por poder comprometer o objectivo.

Bem hajam
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Diegas em 21 de Junho de 2016, 19:19
Olá, Vitor



Uma coisa me parece certa, se Kardec viesse na mesma postura, embora com outro corpo, ele jamais aceitaria grande parte dos livros psicografados por Chico Xavier sem uma análise comparativa e detalhada prévia. E teria de sanar todas as contradições. Caso contrário não publicaria...'

De certo, faria uma análise bem minuciosa e publicaria todos os livros.



Citar
'...Nenhuma contradição entre a Codificação e esses livros, quando não fossem romances de ficção,  passaria em branco sem uma tomada de decisão, pois só uma das versões seria válida.

Não há a mínima contradição nos livros psicografados por Xico, quando confrontados com a Codificação.


Citar
'...Essas contradições, quanto a mim, não são muito saudáveis para a doutrina espirita, pois há quem se debata pela Codificação ou por Chico Xavier, como se fosse uma guerra de credibilidade pessoal entre Chico e Kardec. Gera-se divisão, e a divisão descredibiliza, em relação aqueles que chegam aos Centros Espiritas sem conhecimentos. Mas que essas contradições existem, existem, pelo menos aparentemente, dependendo de tomarmos a linguagem dos espíritos mais ou menos à letra...'

Perceba que a guerra/censura sempre tem um sentido/direção, enquanto os leitores de Xico sempre recomendam Kardec. Então, infelizmente, se há culpados pelo divisionismo o mesmo deve ser debitado tão-somente aos ortodoxos.


Abç.

Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Junho de 2016, 11:47
Olá amigo Diegas

Citar
Não há a mínima contradição nos livros psicografados por Xico, quando confrontados com a Codificação.

O amigo pode afirmar o que quiser, tal como eu, ou qualquer outra pessoa. Ficará a opinião de um e a opinião do outro, em oposição.  Classificar os outros de "ortodoxos", como você faz, contudo, já não é admitir que existem opiniões diferentes. O amigo está a dizer que há um grupo de pessoas que tomaram um partido, que não crêem em nada o que não tenha sido publicado por Allan Kardec. Podem existir pessoas assim, admito, mas já não admito que estenda essa classificação ao meu caso.

Eu já contei isto aqui no fórum. Mas repito. O meu trajecto foi, primeiro que tudo, o estudo do Novo Testamento da Biblia comum, católica. Eu quis conhecer o que Jesus ensinou por mim mesmo, com o mínimo de intermediários. Nessa altura, eu não conhecia espíritas, nem a doutrina espirita. Para mim, espirita era curandeiro, daqueles que se aproveitam da desgraça alheia para ganhar bom dinheiro, vigaristas.

Assim que encontrei o Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, eu reconheci que se tratava de uma interpretação das palavras de Jesus lógica, e que ía mais adiante, explicando as coisas mais ao pormenor. Li aquele livro quase de repente, e nunca mais saiu da minha mesa de cabeceira. A minha intuição aceitou o Livro dos Espíritos, o que não quer dizer que aceitou tudo, tudo. Percebi que espiritismo era algo sério, com lógica, a doutrina espiritual mais avançada que tinha conhecido, até aquele momento.   

Depois comecei a investigar na internet. Eu não sabia que era Chico Xavier, Emmanuel, André Luiz, Divaldo, Raul Teixeira, etc., etc.  Não tinha preconceitos contra eles porque, pura e simplesmente não sabia quem eram. Mas, como aprendi que a doutrina espirita era algo de sério, também os levei a sério. E fui ler o Nosso Lar, de André Luiz. Ao contrário do que me aconteceu com o Livro dos Espíritos a minha intuição rejeitou aquilo como obra doutrinária. Podia ser uma obra de ficção, podia ser uma interpretação de experiências passadas por um espirito, que não devia ser tomada à letra, podia ser tudo, menos algo que a minha intuição aceitasse como uma sequência doutrinária da obra de Kardec. 

Isso não foi pacifico nem agradável para mim. Mas um problema. Seria que afinal a doutrina espirita era algo diferente daquilo que eu lia em Kardec, que afinal a minha intuição a rejeitava, em grande parte? Era desagradável estar a ouvir as pessoas a falar de obras que a minha intuição rejeitava, nas palestras. Eu sentia-me até mal, pois parecia que era algo tão fácil de entender para toda a gente e, para mim, tão difícil. Eu não estava nem estou a armar em esperto, pois isso ainda me faz confusão e me tira liberdade para falar à vontade, em certos meios espíritas, pois as pessoas levam a mal as minha dúvidas. E, pior que isso, não conseguem explicar-me porque devo acreditar naquilo, se interpretado à letra, pelo menos.

Há falta de tolerância, as pessoas começam-nos a chamar ortodoxos, como o amigo gosta de fazer, em vez de nos tentarem ajudar a alcançar a tal fé raciocinada (fé em algo coerente numa explicação lógica). Se não podem ajudar, se não podem contribuir para o esclarecimento, paciência, ninguém é obrigado a isso, mas a intolerância é desagradável.
 
Era mais agradável para mim crer em certas coisas que quase todos os espíritas crêem, porque é o que lhes é dito nos Centros. Isso abalou-me um pouco a fé. Não fora ela mais forte do que isso e eu hoje seria ateu materialista. Felizmente tenho hoje evidências credíveis do essencial da doutrina espirita. Quando começamos a ver um pouco o lado prático das coisas, a nossa perspectiva muda. E esse tipo de divergências fica em segundo plano. Eu conhecia muitas pessoas que contestavam as minhas opiniões apenas numa base da credibilidade pessoal dos médiuns, independentemente das obras em jogo. Isso tinha em mim o efeito oposto. Eu pensava: se contestam assim é porque não têm algo de melhor...

Mas sempre senti algum constrangimento por não ter uma crença mais parecida com a do espirita mais comum. Até que um dia descobri os videos de Sérgio Aleixo. Ele fazia uma análise muito interessante e muito lógica das coisas, com uma base bastante boa, e, como eu, também não acreditava em muitas coisas que a minha intuição negava. Espirito não come, não bebe, não se veste, não toma banho, não se veste (o perispirito é modelado pela mente). Tudo o que os espiritos dizem a esse respeito parece ser na base da imaginação, baseados na experiência de ter tido um corpo de carne.
 
A partir daí fiquei mais descansado, porque afinal eu não era o único "patinho feio" da ninhada. Ortodoxo, isso não sou, lhe garanto. Eu sou uma pessoa racional e lógica, nesse tipo de coisas, para além de contar com a minha intuição, a mesma que me levou a aceitar o Livro dos Espíritos de imediato.  Se eu devo entender as coisas de outra forma ainda não chegou esse  momento, para mim. Admito que possa chegar, mas, até lá, como não sou hipócrita digo o que penso.

Bem haja
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Diegas em 22 de Junho de 2016, 13:43
Olá, Vitor



O amigo pode afirmar o que quiser, tal como eu, ou qualquer outra pessoa. Ficará a opinião de um e a opinião do outro, em oposição.  Classificar os outros de "ortodoxos", como você faz, contudo, já não é admitir que existem opiniões diferentes. O amigo está a dizer que há um grupo de pessoas que tomaram um partido, que não crêem em nada o que não tenha sido publicado por Allan Kardec. Podem existir pessoas assim, admito, mas já não admito que estenda essa classificação ao meu caso...


O termo ortodoxia (em letra minuscula) pode significar conformidade com os princípios de qualquer doutrina geralmente aceite. E, pelo que compreendo a sua intuição encontra-se em perfeita conformidade às obras de Kardec. Por isso, não há nada de mau/ruim em ser um ortodoxo espirita, ou defender Kardec, desde que se respeite os que pensam diferente.

Somente aproveitei as suas palavras para evidenciar que nunca parte dos espiritas leitores de Xico a proclamada guerra ou divisão espirita (vc mencionou). Perceba que há um inconformismo dos ortodoxos por que aceitamos com naturalidade os livros de Xico, inclusive, há entre esses doutos senhores (não é o seu caso) os que nos 'classificam' de Emmanuelitas ou Andreluzitas numa clara tentativa de menosprezo à inteligência.



Abç

Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: lconforjr em 22 de Junho de 2016, 19:50
Re: Kardec corrigindo os possíveis erros da codificação?

      Ref resp #10 em: 21 06 16, às 19:19, de Diegas

      Tendo o amigo Diegas afirmado que nenhuma contradição existe entre a codificação e os livros psicografados por Chico, embora eu não possa dizer que existe, pois não me lembro de tudo que li psicografado por ele, tenho a dizer que há estranhezas difíceis de serem compreendidas.
 
      Uma, de que me recordo agora, refere-se à questão que tenho trazido muitas vezes ao fórum, mas que ninguém, até agora, procurou solucionar: porq a doutrina, ou seus adeptos, aceitam muitos dos ensinamentos desse conceituado mentor que é Emmanuel, contidos em livros psicografados pelo Chico, alicerçados em ensinamentos do apóstolo Paulo, se não aceita muitos ensinamentos graves, esclarecedores e importantes desse apóstolo, nem mesmo se dá ao trabalho de explicar porq não os aceita. São aceitos alguns ensinamentos de Paulo, enquanto outros são considerados absurdos, errados!!
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 22 de Junho de 2016, 21:23
Parece-me que seu a explicação devida
o texto inicial que gerou o tópico ficará a ver navios

O assunto trata-se de um médium que recebe o Espírito de kardec
e este corrige a Doutrina

Eis;

https://books.google.com.br/books?id=A3-wCQAAQBAJ&pg=PA44&lpg=PA44&dq=livros+diz+espirito+de+kardec+corrige+a+doutrina&source=bl&ots=D7WJOlSDlF&sig=PwhnPixZtdu9odjKu-AD_8KOjB8&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwi5nbf3urzNAhWCqB4KHYsrD1wQ6AEIPDAE#v=onepage&q=livros%20diz%20espirito%20de%20kardec%20corrige%20a%20doutrina&f=false
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: VLRC em 23 de Junho de 2016, 15:42
Bom Dia

Creio que Não ha nenhuma novidade em dizer que pode ter havido erros na codificação e menos ainda em dizer que a doutrina espirita é uma doutrina progressiva. Kardec deixou isso muito bem definido em seus escritos.

Caminhando de par com o progresso, o Espiritismo jamais será ultrapassado, porque, se novas descobertas lhe demonstrarem estar em erro acerca de um ponto qualquer, ele se modificará nesse ponto. Se uma verdade nova se revelar, ele a aceitará (A Gênese)


Se A Kardec quisesse passar algum novo conceito sobre a codificação ele mais do que ninguém se serviria do método ensinado por ele mesmo quando encarnado(CUEE) enviando msgs por vários médiuns desconhecidos entre si através de diversos espíritos( falange do espirito A Verdade)e em pontos diferentes do globo terrestre e não apenas para um único médium. 

Uma só garantia séria existe para o ensino dos Espíritos: a concordância que haja entre as revelações que eles façam espontaneamente, servindo-se de grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em vários lugares. Kardec

VLRC
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 23 de Junho de 2016, 21:07
Fico pensando
Se não engessamos muito a Doutrina em Kardec
Numa exclusividade

E esquecemos uma observação criteriosa

Kardec em terra e o Espírito de Verdade no Plano espiritual

Enfim

Há uma distância bem grande sobre estas correções
e o entendimento da Doutrina e por onde veio

Penso nisto
Título: Re: Kardec corrigindo possíveis erros da codificação?
Enviado por: Vitor Santos em 24 de Junho de 2016, 12:25
Citar
Fico pensando
Se não engessamos muito a Doutrina em Kardec
Numa exclusividade

E esquecemos uma observação criteriosa

Kardec em terra e o Espírito de Verdade no Plano espiritual

Enfim

Há uma distância bem grande sobre estas correções
e o entendimento da Doutrina e por onde veio

Penso nisto

A Doutrina Espirita, por definição, é a que surgiu na Terra por intermédio de Kardec. Podemos obter correcções, alterações, ampliações, como aditamento. A Doutrina Espirita é um aditamento ao Novo Testamento. Não nos passaria pela cabeça chamar Novo Testamento à obra de Kardec, como não faz sentido dizer que outras obras são a Doutrina Espirita. Podemos chamar-lhes, por exemplo, "aditamento à Doutrina Espirita".

Uma coisa é a Doutrina Espirita outra é a realidade da vida, em todos os sentidos. A realidade é independente do que está escrito nos livros. O livros que possuímos são apenas interpretações da realidade espiritual. E como foram escritos para os encarnados entenderem, a explicação dessa realidade será sempre limitada, pois a linguagem e os conceitos humanos não são suficientes para expressar determinadas realidades sem termos de comparação, aqui na Terra, para nós. Curiosamente nós vemos que os desencarnados, por vezes, também têm dificuldade de entender, como nós. Agora nós, presos a um corpo de carne carne, sem memória da vida anterior, temos muitos obstáculos.


Seria limitador excluir das explicações da realidade espiritual tudo o que não seja de Kardec. Concordo perfeitamente com isso.


O problema, como em qualquer área do conhecimento, é saber se a fonte de informação é mais ou menos segura. Fontes de informação perfeitas, aqui na Terra não existem. E se existissem, ainda assim, a nossa interpretação delas podia ser errada e/ou variar de pessoa para pessoa.

Se as coisas ficam demasiado no vago, perdemos referências, ficamos perdidos; se são levadas com excesso de rigidez é porque não temos a noção das nossas limitações e das limitações das fontes de informação que temos. A evolução da nossa compreensão da realidade, traduzida nos livros que lemos, vídeos ou palestras presenciais que ouvimos/ vemos, e obtida também pela nossa própria experiência de vida, não pode basear-se é em nomes de personalidades ás quais passamos cheques em branco, como critério de credibilidade. Nem a nós mesmos podemos passar cheques em branco. O engano, a ilusão acontece a todos, mesmo com as melhores intenções

E, se há divergências entre fontes de informação elas têm de ser resolvidas, não tomando partidos, mas analisando os dados que possuímos com critérios lógicos, transparentes, isentos. Tal como quando se faz uma investigação policial de um crime. E, como no caso do crime, nas questões espirituais um indicio ou uma evidência só pode ser tomada como válida para a explicação com base nas conclusões da investigação. Se o resultado for inconclusivo, temos de aguardar mais dados, com paciência.

Há um tipo de obtenção de informação que é a intuição. Essa informação pode levantar pistas novas, fazer-nos ver as coisas de outros ângulos, mas depois tem de ser confirmada pelos factos, pelo raciocínio lógico. Pois sabemos que as origens da intuição podem ser diversas.       

Tal como o conhecimento cientifico não se pode basear no nome do cientista que descobriu algo, tem de ser confirmada por outros, de vários pontos de vista, com a metodologia que for possível e adequada, também os conhecimentos de natureza espiritual não devem depender se foi Kardec que os coligiu, se foram obtidos pelo médium Chico Xavier, se foram obtidos pelo médium Divaldo Pereira Franco, etc., ou se foram obtidas no Brasil, no Peru, nos Estados Unidos, etc.

O problema que eu vejo é que as pessoas idolatram determinadas pessoas e rotulam-nas de infalíveis. E se alguém coloca em questão alguma coisa desses idolatrados é "excomungada". Isso é considerado uma falta de respeito ao idolatrado. Se este for muito popular, então... Quando alguém argumenta dizendo apenas: tem que ser verdade porque foi este ou aquele médium que obteve, é porque não tem melhores argumentos. E esses são fracos. Os médiuns são intermediários, não autores das mensagens mediunicas.

Se temos dúvidas isso é saudável. E os espíritos não se vão zangar de dúvidas de pessoas sinceras e bem intencionadas que tentam esclarecer-se mas ficam na mesma na dúvida. Se se zangarem fico desconfiado.

Bem hajam