Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: HenriqueSouza em 04 de Julho de 2012, 01:50

Título: Dor que dói mais
Enviado por: HenriqueSouza em 04 de Julho de 2012, 01:50
Dor que dói mais


Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dóem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.

 Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e menos cabelos brancos. Dóem essas saudades todas.

Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer.

Martha Medeiros
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: aleal em 04 de Julho de 2012, 13:58
Esta dor parece nunca passar, nos muda de um jeito que perdemos aquela pessoa que eramos antes da dor, nos tornamos estranho a nós mesmos. Assim venho me sentindo, preciso ter um grande reencontro comigo mesmo para continuar minha evolução, o negócio é viver um dia por vez, abraço.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: pserapiao em 04 de Julho de 2012, 18:30
Eu entendo que é o percurso normal da vida. um desencarna antes do outro. Esse é o normal. Devemos desejar que nossa amada continue o caminho evolutivo. Mas tem dias (como hoje) que sinto MUITO sua falta. Falta de suas palavras, poder acarinha-la. Faze-la sentir-se mais próxima de mim.   Infelizmente tem dias (como hoje) em que as coisas ficam muito mais difíceis.
  Que os Santos Arcanjos me auxiliem como o têm feito até agora.   
   
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 05 de Julho de 2012, 03:12
Boa noite a todos,

“Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.”

Esse tipo de saudade é fácil de resolver. Basta uma ligação. O que não é fácil de resolver é o orgulho, a posse o egoísmo, etc... Muitos casais quando se separam se tornam desconhecidos e seguem suas vidas. Já passei por isso algumas vezes e percebo hoje que: Amar alguém é querer que essa pessoa seja feliz, nem que seja com outra pessoa, isso não é motivo para deixar de amá-la.

Em relação ao desencarne de entes queridos, não tenho nada a acrescentar.

Um abraço fraterno.

Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Antonio Renato em 06 de Julho de 2012, 11:21
Caros irmãos.Saudade é uma dor muito doída que é difícil de curar.
Fiquem na paz,e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: dOM JORGE em 06 de Julho de 2012, 14:00
                                                                     VIVA JESUS!



          Bom-dia! queridos irmãos.



                  Dor e coragem
 

Na Terra todos temos inimigos. Todos, sem exceção. Até Jesus os teve. Mas isso não é importante. Importante é não ser inimigo de ninguém, tendo dentro da alma a dúlcida presença do incomparável Rabi, compreendendo que o nosso sentido psicológico é o de amar indefinidamente.

Estamos no processo da reencarnação para sublimar os sentimentos. Por necessidade da própria vida, a dor faz parte da jornada que nos levará ao triunfo.

É inevitável que experimentemos lágrimas e aflições. Mas elas constituem refrigério para os momentos de desafio. Filhos da alma, filhos do coração!

O Mestre Divino necessita de nós na razão direta em que necessitamos dEle. Não permitamos que se nos aloje no sentimento a presença famigerada da vingança ou dos seus áulicos: o ressentimento, o desejo de desforçar-se, as heranças macabras do egoísmo, da presunção, do narcisismo. Todos somos frágeis. Todos atravessamos os picos da glória mas, também, os abismos da dor.

Mantenhamo-nos vinculados a Jesus. Ele disse que o Seu fardo é leve, o Seu jugo é suave. Como nos julga Jesus? Julga-nos através da misericórdia e da compaixão.

...E o Seu fardo é o esforço que devemos empreender para encontrar a plenitude.

Ide de retorno a vossos lares e levai no recôndito dos vossos corações a palavra libertadora do amor. Nunca revidar mal por mal. A qualquer ofensa, o perdão. A qualquer desafio, a dedicação fraternal. O Mestre espera que contribuamos em favor do mundo melhor, com um sorriso gentil, uma palavra amiga, um aperto de mão.

Há tanta dor no mundo, tanta balbúrdia para esconder a dor, tanta violência gerando a dor, que é resultado das dores íntimas.

Eis que Eu vos mando como ovelhas mansas ao meio de lobos rapaces, disse Jesus. Mas virá um dia, completamos nós outros, que a ovelha e o lobo beberão a mesma água do córrego, juntos, sem agressividade.

Nos dias em que o amor enflorescer no coração da Humanidade, então, não haverá abismo, nem sofrimento, nem ignorância, porque a paz que vem do conhecimento da Verdade tomará conta de nossas vidas e a plenitude nos estabelecerá o Reino dos Céus.

Que o Senhor vos abençoe , filhas e filhos do coração, são os votos do servidor humílimo e paternal, em nome dos Espíritos-espíritas que aqui estão participando deste encontro de fraternidade.

Muita paz, meus filhos, são os votos do velho amigo,

Bezerra.

Psicofonia de Divaldo Pereira Franco, em 25 de setembro de 2011, na Creche Amélia Rodrigues, em Santo André – SP.






                                                                                        PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: aleal em 06 de Julho de 2012, 17:03
Obrigado pela transmissão do recado, é o que estou precisando, me ajudou a vislumbrar o ponto em que estava me perdendo. Agora retorno ao caminho, grato.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 09:24
Bom dia a todos,
Esse tema exige muitas reflexões. Vou postar algumas mensagens para refletirmos. Eu espero que ajude.


" O trigo morre para nascer o pão: as flores para crescer os frutos: a crisálida, para surgir a borboleta. As sementes têm um poder de brotar e gerar vida nova. Nenhuma transformação é imediata: a Natureza exige constância e paciência como preço do desenvolvimento. Somos almas em crescimento, precisamos estar em harmonia com o processo da Vida, para liberarmos nossas potencialidades e fluirmos naturalmente.
                 A Natureza e o individuo fazem parte de um todo unificado. O homem é apenas uma parcela dessa grande sinfonia da evolução na Terra.
                                               ( pelo espírito HAMMED )

Um abraço Fraterno.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 09:27
Bom dia a todos,

"Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar...
Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim, aprender a amar o que nos foi dado.Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre..."

Bob Marley

 " Nem sempre temos a exata noção da sinfonia da vida, da qual participamos. Ela é muito maior do que podemos imaginar, e precisamos contribuir com nosso acorde para que a melodia se complete. "
                              ( pelo espírito HAMMED )

" A terra não pertence ao homem: o homem pertence à terra. Isso nós sabemos. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue que une uma família. O que quer que aconteça à terra acontece aos filhos da terra. O homem não teceu a trama da vida, ele é simplesmente um fio nela. O que quer que ele faça à trama faz a si mesmo. "

                    ( discurso de chefe indígena Seattle )

" A árvore que se nega à tempestade não enrijece o tronco da mesma forma que os metais que se recusam às altas temperaturas, na umidade são devorados pela ferrugem e a oxidação
              Tudo são lutas poderosas que forjam o herói e santificam o ser humano, arrancando-lhe os elos grosseiros que o prendem à retaguarda de onde procede, transformando-os em asas siderais que o alçam às celestes moradas.
              O Reino dos Céus está reservado somente àqueles que se sacrificam e se lhe tornam dignos de conquistá-lo."
                    ( do livro: Vitória Sobre a Depressão, de
                                    Joanna de Ângelis )


Um abraço fraterno.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 09:29
Bom dia a todos,

Somos como as folhas de uma grande árvore. Quando o vento passa, nos leva para onde a força da vida indicar.
Todos são espíritos.
Todos são imortais.
Nós não temos cor, não temos raça nem bandeira que limite a nossa ação.
Ás vezes é preciso que o vento nos leve até determinado lugar para aí desempenharmos uma tarefa. A gente se esconde num corpo quente, num coração amoroso e então renasce vestido de carne, com roupa branca ou preta, ou amarela; bonita ou feia.
Quando chega a hora e o vento sopra novamente, partimos, deixamos a roupa usada e rumamos para onde a vida nos conduzir, para viver outra experiência.
Por isso é que devemos nos desapegar das coisas do mundo, mesmo daquelas que são boas. Estamos de passagem. Somos todos peregrinos, romeiros da vida.
Em nossa viagem pelo mundo só possuímos, na verdade, aquilo que doamos que oferecemos á vida: o amor, as virtudes, o bom caráter. As outras coisas são muletas que usamos para ajudar na caminhada; assim que aprendemos a andar direito, com a cabeça erguida diante da vida, deixaremos tudo de lado para partir rumo a novo aprendizado. Ficará para trás tudo aquilo que nos prende ao chão, á retaguarda.
É preciso se desapegar do mundo. Usar as coisas que estão no mundo sem se submeter a elas. Essa, a verdadeira essência da sabedoria.
Somos todos imortais, espíritos, filhos da vida, de Deus. Coisas passageiras não fazem parte do que é eterno, e o que é eterno não pode ficar preso àquilo que é passageiro.
Pense nisso, meu filho.
(livro sabedoria de um preto velho – Robson Pinheiro – Desapego – Pai João de Arruanda)


Ó Deus!
Inspira-me o coração neste instante. Que eu possa te sentir atuando dentro de mim, conhecendo os meus mais íntimos pensamentos.
São criações minhas, Pai, os meus pensamentos encravados na minha mente. Compreendo que tudo o que fizer de mal resultará em dor para o meu futuro, assim como o meu mau passado está agindo em mim hoje, trazendo-me amarguras e desilusões. Não quero pensar mais em coisas negativas. Quero liberta-me, ser diferente do que era antes, começar uma vida nova, tocada pelo Teu amor. E Te prometo, com todas as forças da alma, que, de agora em diante, serei melhor. Procurarei esforçar-me ao máximo, para gostar das pessoas, mesmo das que não pensam como eu. Vou apreciá-las, valorizar as suas qualidades e silenciar ante os defeitos. Peço-te as forças para concretizar estas intenções.
Obrigado! Obrigado!
(Preces do Coração - Lourival Lopes)

Um abraço fraterno.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 09:31
Bom dia a todos,


É proibido:

Chorar sem aprender,
levantar-se um dia sem saber o que fazer,
ter medo de suas lembranças.

Não rir de seus problemas,
não lutar pelo que se quer,
não transformar sonhos em realidade.

Não demonstrar amor,
fazer com que alguém pague por suas dívidas ou mau humor.

Deixar os amigos, não tentar
compreender o que viveram juntos,
chamá-los somente quando necessita deles.

Não ser você mesmo diante das pessoas,
fingir que elas não lhe importaram,
ser gentil só para que se lembrem de você,
esquecer aqueles que gostam de você.

Não fazer as coisas por si mesmo,
não crer em Deus e fazer seu destino,
ter medo da vida e de seus compromissos,
não viver cada dia como se fosse o último suspiro.

Sentir saudades de alguém sem se alegrar,
esquecer seus olhos, seu sorriso,
só porque seus caminhos se desencontraram,
esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.

Não tentar compreender as pessoas,
pensar que as vidas delas valem mais que a sua,
não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.

Não criar sua história,
deixar de dar graças a Deus por sua vida,
não ter um momento para quem necessita de você,
não compreender que o que a vida lhe dá também lhe tira.

Não buscar a felicidade,
não viver sua vida com uma atitude positiva,
não pensar que podemos ser melhores,
não sentir que sem você este mundo não seria igual.
É proibido!

                   Pablo Neruda


" Narra-se que um sábio asceta recebeu a visita  de um admirador estrangeiro, que não pôde sopitar a decepção por encontrá-lo em ambiente simples, sem móveis nem utensílios numerosos. Surpreso indagou o visitante:
             Onde estão os vossos pertences?
             Ele respondeu, tranqüilo, interrogando:
             E os vossos?
             Mais surpresos ainda, contestou o interlocutor:
             Não os tenho porque estou em trânsito.
             Ao que o sábio, encerrando a entrevista, elucidou:
             Eu também... "

                                ( do livro: Iluminação Interior
                                               Joanna de Ângelis )

Um abraço fraterno.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 09:33
Bom dia,


Ainda que seja noite
o sol existe
por cima de pau e pedra
nuvens e tempestades
cobras e lagartos
o sol existe
ainda que tranquem o nosso quarto
e apaguem as luzes
o sol existe.

    autoria desconhecida
" Pudesse romper a petulância, por um momento, e examinar a delicada flor do campo, utilizando-se de um microscópio para bem penetrar-lhe a grandeza miniaturizada e, certamente, deslumbrar-se-ia com a magia da sua elaboração, alcançando mesmo o reino do infinitamente pequeno...
               ...E se olhasse com respeito um arquipélago de astros, imaginando o seu surgimento da poeira cósmica em infinitas variações, superando tudo quanto a imaginação pode elaborar, seria tentado a viajar um pouco pelo macrocosmo, no turbilhão das galáxias impenetráveis,  curvando-se ante a majestade do Sublime Dispensador.
                  Até onde o seu olhar alcançasse constataria a presença da ordem, de um programa, de leis de harmonia, de um projeto inconcebível para a mente humana com destinação adrede elaborada...
                  Inevitavelmente descobriria a sua mísera pequenez e insignificância que, no entanto, assumiria superior significado, porque nada existe no Universo que esteja em posição de inferioridade como ocorre num concerto sinfônico, especialmente nesse regido pelo Onipotente Compositor."
   
                        ( do livro: Vitória Sobre a Depressão
                                        de Joanna de Ângelis )

Perdoa a mágoa hostil que te consome,
Porque, no centro d’alma dolorida,
Há de travar-se com vigor sem nome,
A batalha que aflige mais que a fome,
Pela sublimação da própria vida.
               Cármem Cinira

Um abraço fraterno.

Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 09:35
Bom dia,


Ponderação

    Diante do mal quantas vezes!...
      Censuramos o próximo...
      Desertamos do testemunho da paciência...
      Criticamos sem pensar...
      Abandonamos companheiros infelizes à própria sorte...
      Esquecemos a solidariedade...
      Fugimos ao dever de servir...
      Abraçamos o azedume...
      Queixamo-nos uns dos outros...
      Perdemos tempo em lamentações...
      Deixamos o campo das próprias obrigações...
      Avinagramos o coração...
      Desmandamo-nos na conduta...
      Agravamos problemas...
      Aumentamos os próprios débitos...
      Complicamos situações...
      Esquecemos a prece...
      Desacreditamos a fraternidade...
      E, às vezes, olvidamos até mesmo a fé viva em Deus...
      Entretanto, a fórmula da vitória sobre o mal ainda e sempre é aquela de Jesus:

      AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI!...

                          Bezerra de Menezes
                    (do livro Meditações diárias)

Espero que ajude de alguma forma.

Um abraço fraterno.
Título: Re: Dor que dói mais
Enviado por: Mastomisto em 07 de Julho de 2012, 10:27
Bom dia a todos,

31
A razão da dor

Raquel, antiga servidora da residência de Cusa, ergueu a voz para indagar do Mestre por que motivo a dor se convertia em aflição nos caminhos do mundo.
Não era o homem criação de Deus? Não dispõe a criatura do abençoado concurso dos anjos?
Não vela o Céu sobre os destinos da Humanidade?
Jesus fitou na interlocutora o olhar firme e considerou:
—   A razão da dor humana procede da proteção divina. Os povos são famílias de Deus que, à maneira de grandes rebanhos, são chamados ao Aprisco do Alto. A Terra é o caminho. A luta que ensina e edifica é a marcha. O sofrimento é sempre o aguilhão que desperta as ovelhas distraídas à margem da senda verdadeira.
Alguns instantes se escoaram mudos e o Mestre voltou a ponderar:
—   O excesso de poder favorece o abuso, a demasia de conforto, não raro, traz o relaxamento, e o pão que se amontoa, de sobra, costuma servir de pasto aos vermes que se alegram no mofo...
Reparando, porém, que a assembléia de amigos lhe reclamava explicação mais ampla, elucidou fraternalmente:
       - Um anjo, por ordem do Eterno Pai, tomou à própria conta um homem comum, desde o nascimento. Ensinou-lhe a alimentar-se, a mover os membros e os músculos, a sorrir, a repousar e a asilar-se nos braços maternos. Sem afastar-se do protegido, dia e noite, deu-lhe as primeiras lições da palavra e, em seguida, orientou-lhe os impulsos novos, favorecendo-lhe o ensejo de aprender a raciocinar, a ler, a escrever e a contar. Afastava-o, hora a hora, de influências perniciosas ou mortíferas de Espíritos infelizes que o arrebatariam, por certo, para o sorvedouro da morte. Soprando-lhe ao pensamento ideias iluminadas aos clarões do Infinito Bem, através de mil modos de socorro imperceptível, garantiu-lhe a saúde e o equilíbrio do corpo. Dava-lhe medicamentos invisíveis, por intermédio do ar e da água, da vestimenta e das plantas. Vezes sem conta, salvou-o do erro, do crime e dos males sem remédio que atormentam os pecadores. Ao amanhecer, o Pajem Celestial acorria, atento, preparando-lhe dia calmo e proveitoso, defendendo-lhe a respiração, a alimentação e o pensamento, vigiando-lhe os passos, com amor, para melhor preservar-lhe os dons; ao anoitecer, postava-se-lhe à cabeceira, amparando-lhe o cor¬po contra o ataque de gênios infernais, aguardando-o, com maternal cuidado, para as doces instruções espirituais nos momentos de sono. No transcurso da vida, guiou-lhe os ideais, auxiliou-o a selecionar as emoções e a situar-se em trabalho digno e respeitável; clareou-lhe o cérebro jovem, insuflou-me entusiasmo santo, rumo àvida superior, e estimulou-o a formar um reino de santificação e serviço, progresso e aperfei¬çoamento, num lar... O homem, todavia, que nunca se lembrara de agradecer as bênçãos que o cercavam, fêz-se orgulhoso e cruel, diante dos interesses alheios. Ele, que retinha tamanhas graças do Céu, jamais se animou a estendê-las na Terra e passou simplesmente a humilhar os outros com a glória de que fora revestido por seu devotado e invisível benfeitor. Quando experimentou o primeiro desgosto, que ele mesmo provocou menosprezando a lei do amor universal, que determina a fraternidade e o respeito aos semelhantes, gesticulou, revoltado, contra o Céu, acusando o Supremo Senhor de injusto e indiferente. Aflito, o anjo guardião procurava levantar-lhe o ideal de bondade, quando um Anjo Maior se aproximou dele e ordenou que o primeiro dissabor do tutelado endurecido por excesso de regalias se convertesse em aflição. Rolando, mentalmente, de aflição em aflição, o homem começou a recolher os valores da paciência, da humildade, do amor e da paz com todos, fazendo-se, então, precioso colaborador do Pai, na Criação.
       Finda a historieta, esperou Jesus que Raquel expusesse alguma dúvida, mas emudecendo a servidora, dominada pela meditação que os ensinamentos da noite lhe sugeriam, o culto da Boa Nova foi encerrado com ardente oração de júbilo indefinível.
Livro: Jesus no Lar

Um abraço fraterno.