Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 05 de Janeiro de 2012, 17:17

Título: Compreendendo a dor
Enviado por: dOM JORGE em 05 de Janeiro de 2012, 17:17
                                           VIVA JESUS!


        Boa-tarde!queridos irmãos.

               Compreendendo a dor
 "(...) a dor é uma lei de equilíbrio e educação." 1



Dor-expiação: vem de dentro para fora, tendo como causa erros do passado, desta ou de outra vida. É a consequência da prática de algum mal, não necessariamente da mesma ordem que o que sofre. O orgulho, o egoísmo, os vícios, o ódio, a sexualidade irresponsável, entre outros sentimentos equivocados, desarmonizam o indivíduo desencadeando degenerações no corpo físico, manifestando-se através das doenças cármicas. É o caso do paralítico da piscina de Betesaida (Jo 5, 1 a 17), que, quando curado, ouviu de Jesus: “Vá e não peques mais para que não te aconteça coisa pior”.


"O sofrimento não tem exclusiva finalidade corretiva, senão educadora, abrindo percepções e facultando valores que não seriam conhecidos sem o seu contributo." 2


Dor-auxílio: programada antes da reencarnação, servindo como medida preventiva para evitar desvios no plano reencarnatório, ocasionar reflexões profundas pelas limitações que ocasiona ou evitar que o ser caia no mesmo erro de outra vida. Também se manifesta através de doenças prolongadas que antecedem o desencarne, a fim de proporcionar meditação e disciplina sadia. Assim, a expiação serve sempre de prova, mas nem toda prova é uma expiação, visto que pode ter sido pedida pelo Espírito em dor-auxílio.

 

"A dor é o aguilhão que o impele para frente, na senda do progresso."

 
Dor-evolução: vem de fora para dentro, um sacrifício, sem que o agente tenha dado causa ao sofrimento através de um erro do passado. Muitas vezes são simplesmente provas buscadas pelo Espírito para concluir sua depuração e ativar seu progresso. É o caso do cego de nascença (Jo 9, 1 a 12), que aceitou a cegueira a fim de cooperar com a causa do Messias, sendo por ele curado. Ele sofreu pela causa do Mestre e não por causa de um erro cometido. É também o caso dos missionários que aceitam sofrer males físicos, a fim de exemplificarem a resignação e aprimorarem o espírito. Essa dor é vivenciada de diferentes modos por todos os encarnados, sempre que um fato externo cause provação, exigindo paciência e calma. Pode ser encontrado no desemprego, na ingratidão dos filhos, no cônjuge difícil, entre tantas outras situações comumente vivenciadas.


"Esforça-te por seres a teu turno um exemplo para os outros; por tua atitude na dor, pelo modo voluntário e corajoso com que a aceites, por tua confiança no futuro, torna-a mais aceitável aos olhos dos outros."

 

 

Referências:
 

1 DENIS, Léon. O Problema do Ser, do Destino e da Dor. 22 ed., Rio [de Janeiro]: FEB, 2000, p. 372.


2 ÂNGELIS, Joanna. Otimismo. 5 ed., Salvador, Bahia: LEAL, p. 148.


           Claudia Schmidt




                                                         PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Compreendendo a dor
Enviado por: Conforti em 09 de Janeiro de 2012, 21:28
      Amigos, alguns comentários, para q reflitamos acerca do texto trazido por dOM Jorge (ref #0).

      Texto: “a dor é uma lei de equilíbrio e educação”. Dor-expiação: vem de dentro para fora, tendo como causa erros do passado, desta ou de outra vida.

      Cel: e porq erramos no passado? De onde nos vem a possibilidade de errar? Q é q nos leva aos erros? Nossa própria vontade? Isso significa q, se temos dois caminhos à nossa frente, um correto, o do bem, e outro incorreto, o do mal, raciocinamos sobre o q pretendemos fazer de errado, pesamos as conseqüências terríveis de enfrentarmos, por nos dirigir pelo caminho do mal, a lei de causa e efeito, com todos seus torturantes e insuportáveis sofrimentos, e depois, escolhemos e decidimos seguir pelo errado sem, ao menos, darmos atenção a essa terrível lei? Porq faríamos isso? Quem será o dementado q, podendo escolher ser mais feliz, escolhe ser mais infeliz?

      Texto: É a conseqüência da prática de algum mal, não necessariamente da mesma ordem que o que sofre. O orgulho, o egoísmo, os vícios, o ódio, a sexualidade irresponsável, entre outros sentimentos equivocados, desarmonizam o indivíduo desencadeando degenerações no corpo físico, manifestando-se através das doenças cármicas.

      Cel: e qual é a causa de todos esses defeitos morais? O espírito mesmo, q nenhum desses defeitos possuía antes, por livre e espontânea vontade e à força, decidiu colocar em sua própria natureza o egoísmo, o orgulho, os vícios, ódio, degenerações etc? Repito a pergunta anterior: afinal, quem é q, podendo escolher ser feliz, escolhe ser infeliz?

      Texto: "O sofrimento não tem exclusiva finalidade corretiva, senão educadora, abrindo percepções e facultando valores que não seriam conhecidos sem o seu contributo."

      Cel: isso, evidentemente significa que cânceres, demência, cegueira, aleijões, deformações físicas ou mentais, sofrer humilhações, injustiças e dores; ver a pequena e inocente filhinha, a alegria do lar, ser brutalmente estuprada e assassinada na sua frente; ter os pés amputados a machadadas e tantas coisas mais q conhecemos no dia-a-dia do mundo, fazem parte do processo “educativo” do Pai q é infinito amor, justiça e sabedoria? Que o Onisciente somente conseguiu elaborar para esta escola de espíritos (escola do bem e do mal, pois é ela q nos ensina tanto o bem qto o mal!) um plano de ensino cujo método mais eficiente sejam torturantes e insuportáveis sofrimentos, q poderão se estender por multiplicadas encarnações e por milhões de anos? Que esses horrores são bênçãos e manifestações do supremo amor e da suprema misericórdia e justiça do Criador, ao qual devemos agradecer por atingirem a nós e a nossos queridos? E, segundo a concepção de onisciência, q o Pai desde sempre sabe que cometeremos tais e tais absurdos, dá-nos possibilidades, aptidões, disposição para cometê-los e depois pune aqueles q desde sempre sabia q os cometeriam?!

      Texto: “A dor é o aguilhão que o impele para frente, na senda do progresso”.

      Cel: devemos crer q as palavras acima sejam uma verdade? Será q alguém, em sã consciência, poderá sequer imaginar o Criador Perfeito e de Perfeito e Infinito Amor, qual um verdugo, de chicote nas mãos, nos fazendo, à força de chicotadas, avançar pelo caminho da evolução?

      Abraços e boa reflexão para todos.