Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 27 de Outubro de 2014, 22:18

Título: Capa, galochas e guarda-chuvas
Enviado por: dOM JORGE em 27 de Outubro de 2014, 22:18
                                                               VIVA JESUS!




            Boa-noite! queridos irmãos.



                   Capa, galochas e guarda-chuva



As novas gerações certamente jamais usaram galochas. Referimo-nos à população brasileira, porque não sabemos que procedimento adotam os estrangeiros, sobretudo nas regiões em que chove muito.

Os brasileiros mais antigos, porém, conhecem e devem ter usado, em algum momento da vida, um bom par de galochas, uma espécie de calçado feito de borracha que se põe por cima dos sapatos, com vistas a preservá-los da umidade, da chuva e do barro.

Anos atrás, um conhecido escritor e palestrante respondia às perguntas que o público lhe encaminhava, uma vez finda sua exposição doutrinária inicial.
Em dado momento, uma jovem mãe de filhos adolescentes formulou uma pergunta que todas as mães, em igual situação, certamente fariam:

– Que fazer para preservar os filhos ante os perigos da convivência social, em que as drogas e a gravidez precoce haviam se tornado, em sua cidade, uma ocorrência comum?

Para justificar a pergunta, a mulher acrescentou que os pais podem até levar os filhos a uma festa, ao clube, à balada; mas, evidentemente, não podem permanecer junto deles e, assim, evitar que algum mal lhes aconteça.

O palestrante respondeu-lhe fazendo inicialmente uma pergunta:

– Que fazemos quando saímos de casa para o trabalho em um dia de chuva muito forte seguida de enxurrada?   

Continuando a falar, ele próprio respondeu:

– Na cidade onde moro, em face de um dia assim, utilizamos um par de galochas, uma capa e um bom guarda-chuva.

Ele explicou, então, que nossos filhos adolescentes devem sair para seus encontros sociais munidos de iguais recursos, que cabe aos pais providenciar e pôr à disposição deles, quanto antes, porque o que se vê lá fora, não só nas grandes cidades, é um verdadeiro temporal – um temporal, obviamente, de natureza moral.

Por galochas, capa e guarda-chuva entende-se uma boa educação que transmita aos filhos a consciência perfeita do que significa a vida e quais os seus objetivos. É isso que pode proteger nossos jovens ante os perigos da convivência social a que a jovem mãe se referira.

Vigilância e oração!

Eis um antigo preceito proposto por Jesus que continua mais atual do que nunca, seja qual for a faixa etária em que nos encontremos.

Escreveu Paulo aos seus companheiros de Corinto: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas me convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam”. (1ª Epístola aos Coríntios, 10:23.)

Se tivéssemos sempre em mente esses dois preceitos, muitas contrariedades e decepções evitaríamos.

Seria, pois, importante que nossos filhos também soubessem disso.


                Editorial-O Consolador









                                                                                                    PAZ, MUITA PAZ!