Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: Felipa em 17 de Outubro de 2013, 01:32

Título: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Felipa em 17 de Outubro de 2013, 01:32
Bem aventurados os limpos de coração

Se aceitamos a crença numa continuação da vida, a prática religiosa se torna uma necessidade que nada pode suplantar, para preparar sua encarnação futura. Seja qual for o nome dessa religião, o fato de compreendê-la e praticá-la torna-se a base essencial de uma mente que está em paz, portanto, de um mundo em paz.

Se não há paz na mente, não pode haver paz alguma no modo como uma pessoa se relaciona com as outras, e, por conseguinte, não pode haver relações entre os indivíduos ou entre nações. (Dalai Lama 1.500 d.C)
Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: Claudemir dos Santos em 20 de Outubro de 2013, 22:01
Estar limpos de coração ainda é um sonho para nós,mas agora encaminhados que somos a essa bendita doutrina, o nosso sonho tem tudo para se tornar realidade. Abraços e muita paz.
Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: EsoEstudos em 21 de Outubro de 2013, 02:36
Desagrada-me na religiosidade a superficialidade, o segregacionismo e o salvacionismo.

Infelizmente essas características (umas mais, outras menos) costumam estar presentes na maioria (senão em todas) das religiões.
Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: lconforjr em 09 de Novembro de 2013, 17:39
Referencia: texto inicial deste tópico.

      Amigos,     

      Novamente, um texto que apenas ou ensina o que fazer, mas não o como fazer. Pois como fazer para limpar o coração?

      Qual será a causa disso senão que ninguém sabe ensinar o como fazer?

      Pois, quem é o limpo de coração? Quem sabe ensinar como limpar o coração, o que significa, é evidente, como colocar amor no coração? Ninguém, nenhum seguidor de qualquer dessas religiões conhecidas pelo mundo, e nenhuma religião ou doutrina; todos só sabem dizer o que fazer; <nunca> o como fazer!...

      Vejam, o texto somente diz o que fazer:

      - "tenha paz em seu coração, em sua mente, pois se não há paz na mente não pode haver paz entre as pessoas e não pode haver paz entre as nações”;

      - "limpe seu coração dos sentimentos baixos";

      - "não encha seu coração com o lixo da maledicência, da inveja, do orgulho e egoísmo, de desejos de vingança";

      - "varra de seu coraçãoe a sujeira dos desejos baixos ou inconfessáveis, da ambição e da cobiça etc etc”.

      Conf: E aí, minha gente, onde está o ensinamento de “como fazer” tudo isso? Como fazer tudo isso que, afinal, se resume numa coisa só: como fazer para possuir amor?!

      Do ensinamento de “o que fazer” estamos cansados de ver o tempo todo! Vamos procurar o ensinamento de “como fazer”!

      De que adianta essa chuva de conselhos, de poemas, de msg bonitas, de citações sem conta, de se dizer “Faça isso! Não faça aquilo! Seja assim! Ame! Perdoe! Creia!" ?

      O ensinamento de como fazer existe mas, para chegarmos a ele, temos de fazer uma coisa que, pelo que tantas vezes percebemos, parece ser extremamente difícil para muitos: abandonar tolas preocupações de magoar quem nos encaminhou para a crença que temos, ou parentes, ou amigos, ou de magoar mentores, ou de estar perdendo tempo devido a não crermos que esse ensinamento nos leve a algum lugar, de acreditarmos que seja tolo ou absurdo; ou de crer que ainda não nos é permitido conhecê-lo!

      E a isso, sem dúvida, some-se o que é nada mais do que puro e nocivo preconceito. E qualquer preconceito retarda nossa caminhada em direção ao aperfeiçoamento necessário.

      Texto:... a prática religiosa se torna uma necessidade que nada pode suplantar, para preparar sua encarnação futura. Seja qual for o nome dessa religião, o fato de compreendê-la e praticá-la torna-se a base essencial de uma mente que está em paz, portanto, de um mundo em paz.

      Conf: Novamente aí está apenas “o que fazer”:

      - compreenda sua religião,

      - pratique sua religião, que sua mente se tornará em paz etc...

      Conf: E daí, meus amigos, quem é que sabe o “como fazer” isso?!!!

      Percebam que todos os problemas do mundo, em particular os de relacionamentos, da ausência de paz, resultam de um único problema: da falta de amor, certo?

      E se é esse o único problema e como ele só poderá ser resolvido com uma única solução que é possuir a virtude tão enaltecida por todos, o “amor”, quem sabe o como fazer isso, o como substituir a falta de amor, por presença de amor?

      Quem sabe como verdadeiramente perdoar os inimigos, como oferecer a outra face, amar aqueles que não nos amam, que nos odeiam que nos trazem infelicidades sem conta a nós e a nossos queridos?

      Minha gente, "como"???

      Ficamos lendo textos e mais textos e... nada mais! Talvez nos embalem por um minuto ou dois e... nada mais!

      Mas, meus amigos, esse <como fazer> existe e, sem dúvida, o primeiro passo para encontrá-lo deve estar na DE, no sábio conselho que está no LM, cap 3, item 35. Leiam lá!
.................
Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: Gabri-El em 09 de Novembro de 2013, 20:59
"Bem-aventurados os puros de Coração porque eles verão a Deus", diz-nos o ensinamento evangélico.

O irmão lconforjr fez uma observação muito interessante. Porém, ninguém poderá oferecer o "como fazer" sem que antes tenha realizado por si mesmo. E ainda assim, não há um único modo, pois cada indivíduo possui uma evolução e, portanto, experiências peculiares na senda evolutiva. O que podemos fazer é compartilhar vivências pessoais que podem ser úteis ao aprendizado comum e também estudarmos a vida dos homens e mulheres que se enobreceram pela virtude e pela autorrealização, vivenciando a Presença de Deus em si mesmos. O cotidiano é o nosso laboratório, no qual nos deparamos com situações variadas que nos exigem uma ou mais virtudes. Mas, como adquirir virtudes? Conhecendo a nós mesmos! Se pela autoanálise observamos que possuímos orgulho em nossas ações, desde o modo de pensar, trabalhemos a humildade quando surgir a ocasião. E como trabalhar a humildade? Comecemos com o silêncio quando alguém nos dirigir uma palavra grosseira e tivermos o ímpeto de revidar. Com o tempo a virtude suplantará o vício e as próprias vivências pessoais nos ensinarão o como fazer de maneira cada vez melhor e acertada.

Existe um estado de autorrealização no qual podemos perceber e sentir em todos os níveis de nosso ser, a Presença de Deus. A medida que se vivencia o êxtase de comunhão com nossa Essência Divina, pode-se perceber que a crença religiosa, seja qual for a denominação, jamais poderá oferecer tal Graça. Sendo religioso ou não, qualquer ser humano pode ter essa vivência, bastando dedicar-se com sincera aspiração ao seu aperfeiçoamento de caráter, vivendo seus dias com gratidão e alegria em tudo o que fizer, dando igual importância à prática meditativa diária. Após certo tempo de prática vemos a ilusão de nossas autoafirmações personalísticas e a realidade do espírito divino.

A pureza de Coração através da qual vemos a Deus não é uma condição apenas de espíritos já totalmente purificados. Possuindo uma relativa purificação relacionada à Terra, mesmo ainda tendo ajustes a efetuar diante da LEI, abre-se para nós as Portas do Reino de Deus, pelas quais fruímos a Bem-Aventurança, estando encarnado ou desencarnado. O mundo oferece muitos exemplos de homens e mulheres, no passado e no presente, que conquistaram essa autorrealização, que está muito além da crença religiosa, seja uma crença estritamente cega ou pautada em uma filosofia de vida respeitável.

Christós ensinou sobre o Reino de Deus e o Cristianismo, que não foi estabelecido por Jesus, é uma crença respeitável, mas apenas se aderindo convencionalmente ao Cristianismo, não é possível obter a vivência do Reino de Deus, que está dentro de nós. Assim igualmente em todas as demais religiões.

Fraternalmente...
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: wender100%espirita em 10 de Novembro de 2013, 00:03
 Estamos ainda na faixa de criancas que precisam obedecer pra ganhar um presente, tipo olha faca o bem pra ir pro paraiso, somos tao imperfeitos que necessitamos ganhar algo em troca, o dia que fizermos o bem desinteressadamente sem querer recompenssa  , dai sim estaremos rumo a sermos um Espirito puro quando poderemos ver e entendermos Deus! paz e luz
Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Novembro de 2013, 04:37

Novamente.............
..............................mais!



Amar também é um aprendizado.


Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Novembro de 2013, 04:42

O irmão l..................
............................religiões.

Fraternalmente...


Não há "iluminação"!


192. Pode alguém, por um proceder impecável na vida atual, transpor todos os graus da escala do aperfeiçoamento e tornar-se Espírito puro, sem passar por outros graus intermédios?

“Não, pois o que o homem julga perfeito longe está da perfeição. Há qualidades que lhe são desconhecidas e incompreensíveis. Poderá ser tão perfeito quanto o comporte a sua natureza terrena, mas isso não é a perfeição absoluta. Dá-se com o Espírito o que se verifica com a criança que, por mais precoce que seja, tem de passar pela juventude, antes de chegar à idade da madureza; e também com o enfermo que, para recobrar a saúde, tem que passar pela convalescença. Demais, ao Espírito cumpre progredir em ciência e em moral. Se somente se adiantou num sentido, importa se adiante no outro, para atingir o extremo superior da escala. Contudo, quanto mais o homem se adiantar na sua vida atual, tanto menos longas e penosas lhe serão as provas que se seguirem".

                                                                  O Livro dos Espíritos

Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: lconforjr em 10 de Novembro de 2013, 22:27
Re: Bem aventurados os limpos de coração

      Wender (#6, 10.qq.13)
      Brenno  (#7, 10.11.13)

      Wender escreveu que todos nós somos como crianças que, para fazer o que é correto (isto é, para obedecer às leis divinas), é preciso que nos prometam presentes, isto é, que somos tão imperfeitos que se não houver alguma vantagem ou ganho para nós, nunca faremos o que é correto fazer, pois que nunca fazemos o bem desinteressadamente.

      Amigo Wender, primeiramente pergunto se, como manda a doutrina, o amigo já raciocinou, já refletiu profundamente, para tentar entender qual é a causa de nós sermos assim como vc diz? Para tentar entender qual é a causa de sermos tão imperfeitos, que só agimos por interesse próprio?

      Isso que vc apresenta é um retrato exato dos homens e do mundo. Se não houver promessas de ganho, ou ameaças de perdas, o homem não segue, de livre vontade e por livre escolha, pelo caminho do bem.

      Por isso, todas as religiões e doutrinas, sem exceção de nenhuma, apregoam as vantagens que a seus adeptos virão, se seguirem seus preceitos, e as desgraças, se não os seguirem. 

      Mas é necessário que se entenda que isso se deve, é mais do que evidente, à natureza que o Criador deu a todas as coisas, a nós e ao mundo, às circunstâncias da própria escola da vida, na qual somos, conforme a DE ensina, forçosamente, colocados por Deus, e que tem aquelas duas portas já bem conhecidas de todos:

      - a da “perdição”, larga, aparentemente de fácil passagem, que nos chama e nos atrai sem cessar, pois está cheia de atrativos perceptíveis aos nossos sentidos; atrativos que causam prazer aos nossos ouvidos, ao tato, aos olhos, ao paladar, ao olfato, palpáveis, concretos, visíveis, belos, inebriantes, de possibilidades e promessas de prazer e de felicidades que julgamos sem fim, de alegrias, de adrenalina, sexo, poder, beleza, fama, riquezas, prestígio, vicios etc,

      - ao passo que a outra, a da “salvação”, a estreita, é, para nós, uma porta apenas imaginada, oculta, fria, cujos atrativos estão apenas em nossa suposição e  imaginação, pois sempre estão enevoados, ocultos aos nossos sentidos, pois só aparecem nas palavras dos pregadores, das escrituras, nos conselhos etc.

      Sem dúvida, sendo assim, quem se aventurará a entrar pela porta estreita e a  seguir por um caminho desconhecido e que não se mostra fácil e prazeroso aos olhos dos homens? Quem entrará pela porta estreita, enevoada, apenas imaginada, mas não palpável, senão aqueles que estão começando a perceber a realidade, ou aqueles que têm medo das ameaças apregoadas, das conseqüências do fato de não seguirem as regras e as leis ditas divinas?
...
      Brenno escreveu que amar também é um aprendizado. E lhe digo que tem razão, mas que é um aprendizado, mas um aprendizado que ninguém consegue ensinar e que ninguém consegue aprender, com conselhos, ensinamentos, nem com exemplos de quem quer que sejam, mesmo que sejam do mestre Jesus.

      O aprender a amar e o fazer nascer amor no coração, ao ponto de “ter" de dá-lo aos semelhantes vem, mas apenas eventualmente, de uma profunda observação da vida, de como é a vida com humanos e não humanos, que todos sofrem, desde os mais leves sofrimentos, aos mais torturantes e insuportáveis, e da percepção de que o mundo, com todas suas ciências, medicinas, psicologias, filosofias, religiões, doutrinas, não tem a solução para acabar com esses sofrimentos!

      Daí, sim, “pode” nascer o amor. De nada mais.
..................
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: wender100%espirita em 11 de Novembro de 2013, 23:37
amigo nao coloque palavras que nao escrevi, eu nao disse , a onde eu escrevi que nunca, leia o que postei antes de comentar, eu disse o  que si praticarmos o bem desinteressadamente estaremos rumo,  ou seja no caminho certo a nos tornarmos Espiritos puros, foi apenas uma analogia .paz e luz
Título: Re: Bem aventurado os limpos de coração
Enviado por: Brenno Stoklos em 12 de Novembro de 2013, 02:29

escreveu que............
.....................mais.



                                                           A lei de amor

8. O amor resume a doutrina de Jesus toda inteira, visto que esse é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso feito. Em sua origem, o homem só tem instintos; quando mais avançado e corrompido, só tem sensações; quando instruído e depurado, tem sentimentos. E o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior que condensa e reúne em seu ardente foco todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. A lei de amor substituía personalidade pela fusão dos seres; extingue as misérias sociais. Ditoso aquele que,ultrapassando a sua humanidade, ama com amplo amor os seus irmãos em sofrimento! ditoso aquele que ama, pois não conhece a miséria da alma, nem a do corpo. Tem ligeiros os pés e vive como que transportado, fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou a divina palavra -amor, os povos sobressaltaram-se e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo.
O Espiritismo a seu turno vem pronunciar uma segunda palavra do alfabeto divino. Estai atentos, pois que essa palavra ergue a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, triunfando da morte, revela às criaturas deslumbradas o seu patrimônio intelectual. Já não é ao suplício que ela conduz o homem: condu-lo à conquista do seu ser, elevado e transfigurado. O sangue resgatou o Espírito e o Espírito tem hoje que resgatar da matéria o homem.
Disse eu que em seus começos o homem só instintos possuía. Mais próximo, portanto, ainda se acha do ponto de partida, do que da meta, aquele em quem predominam os instintos. A fim de avançar para a meta, tem a criatura que vencer os instintos, em proveito dos sentimentos, isto é, que aperfeiçoar estes últimos, sufocando os germes latentes da matéria. Os instintos são a germinação e os embriões do sentimento; trazem consigo o progresso, como a glande encerra em si o carvalho, e os seres menos adiantados são os que, emergindo pouco a pouco de suas crisálidas, se conservam escravizados aos instintos. O Espírito precisa ser cultivado, como um campo. Toda a riqueza futura depende do labor atual, que vos granjeará muito mais do que bens terrenos: a elevação gloriosa. E então que, compreendendo a lei de amor que liga todos os seres, buscareis nela os gozos suavíssimos da alma, prelúdios das alegrias celestes.
                                                                                                                           Lázaro

                                                      O Evangelho segundo o Espiritismo


Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: lconforjr em 12 de Novembro de 2013, 02:33
      Wender, como o amigo não indicou a quem são endereçadas as palavras de sua msg #5, de 10.11.13, penso que foram para mim.

      Se foi para mim, lhe peço desculpas por ter interpretado incorretamente suas palavras; acreditei que fosse sua a msg abaixo, em que fala que somos ainda como crianças, que só agem se lhes prometem presentes, que somos tão imperfeitos que precisamos ganhar algo em troca etc. Foi isso que entendi e, por isso, perguntei se o amigo já raciocinou profundamente, como manda a doutrina, sobre qual é a causa de sermos ainda assim.

      A mensagem sua é a que cito abaixo; se a interpretei erradamente, me perdoe.

      ”Estamos ainda na faixa de crianças, que precisam obedecer pra ganhar um presente, tipo olha faça o bem pra ir pro paraíso, somos tao imperfeitos que necessitamos ganhar algo em troca, o dia que fizermos o bem desinteressadamente sem querer recompenssa  , dai sim estaremos rumo a sermos um Espirito puro quando poderemos ver e entendermos Deus!”.
.............
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: lconforjr em 12 de Novembro de 2013, 02:44
      Brenno

      Pois é isso, meu amigo e, como vc viu, essas tão belas palavras de OESE que vc citou, também, não ensinam a "como fazer" para que o amor cresça em nosso coração, pois, como já foi antes afirmado, a amar e a ter amor ninguém ensina e ninguém aprende, senão por uma profunda observação de o que é a vida, para humanos e não humanos.
............
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Kazaoka em 12 de Novembro de 2013, 10:21

      Pois, quem é o limpo de coração? Quem sabe ensinar como limpar o coração, o que significa, é evidente, como colocar amor no coração? Ninguém, nenhum seguidor de qualquer dessas religiões conhecidas pelo mundo, e nenhuma religião ou doutrina; todos só sabem dizer o que fazer; <nunca> o como fazer!...

      Vejam, o texto somente diz o que fazer:

      - "tenha paz em seu coração, em sua mente, pois se não há paz na mente não pode haver paz entre as pessoas e não pode haver paz entre as nações”;

      - "limpe seu coração dos sentimentos baixos";

      - "não encha seu coração com o lixo da maledicência, da inveja, do orgulho e egoísmo, de desejos de vingança";

      - "varra de seu coraçãoe a sujeira dos desejos baixos ou inconfessáveis, da ambição e da cobiça etc etc”.

      Conf: E aí, minha gente, onde está o ensinamento de “como fazer” tudo isso? Como fazer tudo isso que, afinal, se resume numa coisa só: como fazer para possuir amor?!

      Do ensinamento de “o que fazer” estamos cansados de ver o tempo todo! Vamos procurar o ensinamento de “como fazer”!

      De que adianta essa chuva de conselhos, de poemas, de msg bonitas, de citações sem conta, de se dizer “Faça isso! Não faça aquilo! Seja assim! Ame! Perdoe! Creia!" ?

      O ensinamento de como fazer existe mas, para chegarmos a ele, temos de fazer uma coisa que, pelo que tantas vezes percebemos, parece ser extremamente difícil para muitos: abandonar tolas preocupações de magoar quem nos encaminhou para a crença que temos, ou parentes, ou amigos, ou de magoar mentores, ou de estar perdendo tempo devido a não crermos que esse ensinamento nos leve a algum lugar, de acreditarmos que seja tolo ou absurdo; ou de crer que ainda não nos é permitido conhecê-lo!

      E a isso, sem dúvida, some-se o que é nada mais do que puro e nocivo preconceito. E qualquer preconceito retarda nossa caminhada em direção ao aperfeiçoamento necessário.

      Texto:... a prática religiosa se torna uma necessidade que nada pode suplantar, para preparar sua encarnação futura. Seja qual for o nome dessa religião, o fato de compreendê-la e praticá-la torna-se a base essencial de uma mente que está em paz, portanto, de um mundo em paz.

      Conf: Novamente aí está apenas “o que fazer”:

      - compreenda sua religião,

      - pratique sua religião, que sua mente se tornará em paz etc...

      Conf: E daí, meus amigos, quem é que sabe o “como fazer” isso?!!!

      Percebam que todos os problemas do mundo, em particular os de relacionamentos, da ausência de paz, resultam de um único problema: da falta de amor, certo?

      E se é esse o único problema e como ele só poderá ser resolvido com uma única solução que é possuir a virtude tão enaltecida por todos, o “amor”, quem sabe o como fazer isso, o como substituir a falta de amor, por presença de amor?

      Quem sabe como verdadeiramente perdoar os inimigos, como oferecer a outra face, amar aqueles que não nos amam, que nos odeiam que nos trazem infelicidades sem conta a nós e a nossos queridos?

      Minha gente, "como"???

      Ficamos lendo textos e mais textos e... nada mais! Talvez nos embalem por um minuto ou dois e... nada mais!

      Mas, meus amigos, esse <como fazer> existe e, sem dúvida, o primeiro passo para encontrá-lo deve estar na DE, no sábio conselho que está no LM, cap 3, item 35. Leiam lá!
.................

O chamamento de atenção do "o que fazer" é feito de forma generalizada porque gerais são, também, as necessidades. Porém estas necessidades gerais são formadas à partir das necessidades individuais, ou seja, cada um tem a sua e de acordo com o grau de aperfeiçoamento que já tenha alcançado. Portanto, o "o que fazer" é ordem geral, e o "como fazer" tem um caráter individual e cada Espírito deverá encontrar pelo seu próprio esforço, os procedimentos necessários para que sua reforma moral estabeleça.
O "o que fazer" é uma receita com várias opções de ingredientes, e o "como fazer" é de cada um e de acordo com os ingredientes que tenha em mãos.
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: lconforjr em 12 de Novembro de 2013, 15:37
     
      Kazaoka   (ref #13, de 11.11.13)

      Meu querido jovem e distinto amigo Kazaoka, descendente de povo de além-mar, disse que: "o que fazer" (para ter amor) é uma receita com várias opções de ingredientes, e o "como fazer" (para ter amor) é de cada um e de acordo com os ingredientes que tenha em mãos.

      Pois, meu jovem, me perdoe, mas discordo totalmente de vc; estamos falando de "limpar o coração" e, para isso, não existem “várias” opções de ingredientes, mas uma única; o ingrediente, o remédio, é um só: o amor.

      A "doença" é uma só: a falta de amor, e a receita é uma só: adquirir, "comprar" esse ingrediente, esse medicamento, o amor, tê-lo em nosso íntimo.

      Por isso todos os Grandes, Sábios e Mestres enalteceram o amor, o único remédio para por fim â doença do mundo!


      Mas o "como fazer" para ter esse ingrediente “não” é de cada um, não! É verdade que cada um deve e tem de chegar por si mesmo, mas o caminho é um só para todos: a compreensão!

      Compreensão que só vem, e eventualmente, de uma profunda observação de o que é a vida para humanos e não humanos; de que todos, sem exceção, sofrem e de que o mundo não tem a solução para acabar com esse sofrimento.

      Ou o que mais, além dessa compreensão, lhe poderá fazer nascer amor no coração? Existe alternativa? Vc não encontrará nenhuma!

      O amigo diz que o "como fazer" é de “cada um” e de acordo com os ingredientes que tenha em mãos, certo? E quais são os ingredientes que vc tem em mãos para que seu coração se encha de amor?

      E se vc já tem em mãos os ingredientes a usar para limpar o coração, já aprendeu a como limpá-lo? Já aprendeu como fazer para que em seu coração nasça e frutifique o amor desinteressado e sem motivo? Já aprendeu como substituir a falta de amor, por presença de amor?

      O amigo diz que o "como fazer" é de cada um e lhe pergunto: se é de cada um, se cada um tem, ou conhece o seu "como fazer", lhe pergunto: e o seu, qual é o seu “como fazer”?
..............
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Gabri-El em 12 de Novembro de 2013, 17:01

O irmão l..................
............................religiões.

Fraternalmente...


Não há "iluminação"!


192. Pode alguém, por um proceder impecável na vida atual, transpor todos os graus da escala do aperfeiçoamento e tornar-se Espírito puro, sem passar por outros graus intermédios?

“Não, pois o que o homem julga perfeito longe está da perfeição. Há qualidades que lhe são desconhecidas e incompreensíveis. Poderá ser tão perfeito quanto o comporte a sua natureza terrena, mas isso não é a perfeição absoluta. Dá-se com o Espírito o que se verifica com a criança que, por mais precoce que seja, tem de passar pela juventude, antes de chegar à idade da madureza; e também com o enfermo que, para recobrar a saúde, tem que passar pela convalescença. Demais, ao Espírito cumpre progredir em ciência e em moral. Se somente se adiantou num sentido, importa se adiante no outro, para atingir o extremo superior da escala. Contudo, quanto mais o homem se adiantar na sua vida atual, tanto menos longas e penosas lhe serão as provas que se seguirem".

                                                                  O Livro dos Espíritos



Quanto à minha postagem anterior e a referência da questão 192 de O Livro dos Espíritos que o irmão postou, não há nenhuma contradição!
A denominada Iluminação espiritual é um estado de consciência, de percepção intuitiva profunda que a Alma realiza, após gradual autoaprimoramento em várias experiências reencarnatórias.

Não se trata de nenhuma manifestação fenomênica de faculdades físicas e psíquicas, porque o ser humano que se iluminou é aquele que transpôs a névoa da ignorância de si mesmo, relativa ao máximo de evolução possível de se chegar neste mundo, o que já é uma verdadeira libertação das prisões mentais e emocionais que sujeitam a Alma à reencarnações compulsórias. Mas o ser espiritual ainda reencarna ou utiliza-se de um envoltório próprio, que não é semelhante ao corpo físico terreno, noutros mundos de ordem superior à Terra para ulteriores aprimoramentos e em mundos menos evoluídos para missões definidas, porém, com maior discernimento para conduzir-se, sendo senhor de si mesmo a fim de não se perder no torvelinho das paixões humanas, quando encarnado nestes mundos de progresso inferior.

Fraternalmente...
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: wender100%espirita em 12 de Novembro de 2013, 20:58
      Wender, como o amigo não indicou a quem são endereçadas as palavras de sua msg #5, de 10.11.13, penso que foram para mim.

      Se foi para mim, lhe peço desculpas por ter interpretado incorretamente suas palavras; acreditei que fosse sua a msg abaixo, em que fala que somos ainda como crianças, que só agem se lhes prometem presentes, que somos tão imperfeitos que precisamos ganhar algo em troca etc. Foi isso que entendi e, por isso, perguntei se o amigo já raciocinou profundamente, como manda a doutrina, sobre qual é a causa de sermos ainda assim.

      A mensagem sua é a que cito abaixo; se a interpretei erradamente, me perdoe.

      ”Estamos ainda na faixa de crianças, que precisam obedecer pra ganhar um presente, tipo olha faça o bem pra ir pro paraíso, somos tao imperfeitos que necessitamos ganhar algo em troca, o dia que fizermos o bem desinteressadamente sem querer recompenssa  , dai sim estaremos rumo a sermos um Espirito puro quando poderemos ver e entendermos Deus!”.
.............

amigo essas palavras foi eu mesmo que postei, apenas fiz uma observacao no seu comentario em acrescentar a palavra "nunca" na minha postagem,eu nao mencionei essa palavra apenas isso, apenas releia seu comentario que vai entender .paz e luz
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Kazaoka em 12 de Novembro de 2013, 21:01
Respondendo ao Coronel.
Quem reconhece, mesmo que intimamente, que é avaro e que isso não é bom. Para ele a receita é dominar este impeto em si.
Quem percebe que, ainda que raramente, mas é orgulhoso. Para ele é combater o orgulho.
Quem percebe que é egoísta. Para ele, o ingrediente é combater o egoismo.
Então, os ingredientes que temos são nossas imperfeições e a forma de nos aproximarmos do amor é combater em nós mesmos os males identificados.
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Brenno Stoklos em 13 de Novembro de 2013, 08:15
      Brenno

      Pois é isso, meu amigo e, como vc viu, essas tão belas palavras de OESE que vc citou, também, não ensinam a "como fazer" para que o amor cresça em nosso coração, pois, como já foi antes afirmado, a amar e a ter amor ninguém ensina e ninguém aprende, senão por uma profunda observação de o que é a vida, para humanos e não humanos.



A fim de avançar para a meta, tem a criatura que vencer os instintos, em proveito dos sentimentos, isto é, que aperfeiçoar estes últimos, sufocando os germes latentes da matéria.........O Espírito precisa ser cultivado, como um campo..............compreendendo a lei de amor que liga todos os seres.........

                                                 O Evangelho Segundo o Espiritismo


Eis o "como"!


Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Brenno Stoklos em 13 de Novembro de 2013, 08:31

Quanto .....................
...........................inferior.

Fraternalmente...


No responder #4 o amigo faz a seguinte afirmação:

A pureza de Coração através da qual vemos a Deus não é uma condição apenas de espíritos já totalmente purificados.

Tal afirmação é refutada pela questão 192, de OLE, e também pela questão 10 do mesmo:

10. Pode o homem compreender a natureza íntima de Deus?

“Não; falta-lhe para isso o sentido".

                                                                      O livro dos Espíritos

Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Gabri-El em 14 de Novembro de 2013, 02:57

Quanto .....................
...........................inferior.

Fraternalmente...


No responder #4 o amigo faz a seguinte afirmação:

A pureza de Coração através da qual vemos a Deus não é uma condição apenas de espíritos já totalmente purificados.

Tal afirmação é refutada pela questão 192, de OLE, e também pela questão 10 do mesmo:

10. Pode o homem compreender a natureza íntima de Deus?

“Não; falta-lhe para isso o sentido".

                                                                      O livro dos Espíritos



Minha postagem não se constituiu apenas desta frase, portanto, o irmão está apenas preocupado em combater minhas colocações com as respostas dos Instrutores espirituais da Codificação Espírita e não meditou devidamente antes, não aprofundou-se além do raciocínio analítico, pois, repito, não há qualquer contradição. Em muitas questões de ordem espiritual as divergências, quase sempre, são aparentes. Por essa razão é necessário desenvolvermos a capacidade intuitiva profunda, advinda de hábito meditativo.
O raciocínio passa a ser então apenas o auxiliar na organização e exposição no plano das ideias concretas, daquilo captado pela percepção intuitiva em níveis acima da razão analítica.

Quanto à questão 10 de O Livro dos Espíritos e seguinte, também não estão em desacordo, senão aparente. A resposta de que o Homem não pode compreender a natureza íntima de Deus, não se aplica a todos os seres humanos, já que sempre houve e ainda há Almas encarnadas na Terra que se aperfeiçoaram suficientemente para compreenderem o Mistério da Divindade, embora não sejam Almas que se encontram no máximo patamar de perfeição e pureza que um Espírito pode chegar na Hierarquia espiritual, pois quando chegarem a este patamar, certamente a compreensão será mais perfeita.

A compreensão, digamos parcial, essa vivência íntima da Alma, foi denominada por Christós como sendo o Reino de Deus, possível de alcançar neste mundo, e todos os Seus Ensinamentos à Humanidade terrestre, não obstante deturpados pela ignorância e perversidade humana, têm como foco a realização do Reino de Deus no Homem.

É exatamente a essa compreensão vívida e íntima que somos chamados a realizar, a fim de manifestar na Terra, ações que expressem este estado de espírito.

Mas, como o irmão sempre está a incluir trechos das Obras básicas para dar fundamento, o que é perfeitamente útil e válido para nossos estudos no Fórum Espírita, menciono também um pequeno trecho de O Livro dos Espíritos, na Escala Espírita, no item 107, Segunda Ordem - Espíritos Bons: "Compreendem Deus e o Infinito e já gozam da felicidade dos bons"

Sabemos que nunca faltou em nosso orbe mesmo no plano físico, a presença de Espíritos bons, sábios e verdadeiramente superiores, conhecedores profundos dos Mistérios Sagrados, por isso a resposta do item 10 não se aplica absolutamente a todos os seres humanos que já viveram e vivem atualmente em corpo físico na Terra.

Fraternalmente...
Título: Re: Bem aventurados os limpos de coração
Enviado por: Brenno Stoklos em 14 de Novembro de 2013, 04:21

Minha ....................
...................................... Terra.

Fraternalmente...




O raciocínio passa a ser então apenas o auxiliar na organização e exposição no plano das ideias concretas, daquilo captado pela percepção intuitiva em níveis acima da razão analítica.

O raciocínio lógico é uma conquista de milhões, quiça bilhões, de anos de Evolução do Espírito! Não há que ser trocado por ilusórias divagações meditativas.


sempre houve e ainda há Almas encarnadas na Terra que se aperfeiçoaram suficientemente para compreenderem o Mistério da Divindade

Isso não corresponde a verdade, pois que mesmo os Espíritos Superiores que aqui encarnaram em missão não contavam ainda com o sentido próprio para essa compreensão. Não eram, ainda, Espíritos Puros.