Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: WRossetti em 07 de Fevereiro de 2011, 17:49

Título: Amor ao próximo.
Enviado por: WRossetti em 07 de Fevereiro de 2011, 17:49
Amor ao próximo


Como é difícil colocar em nossas mentes tamanha faculdade que reza amar nossos semelhantes como irmãos! Como é difícil compreender que tudo se baseia nisso!

A máxima do Cristo consiste em amar o próximo como a ti mesmo. Tudo o que há de adjacente em relação à esta idéia, está no campo do complemento doutrinário em busca da evolução.

Os exemplos são escassos na Terra, mas abundantes em planos superiores. As informações que orientam nossa conduta existem, e ninguém pode alegar ignorância, mas mesmo assim, quando se encerram os dias, as somas do que fizemos em prol dos nossos próximos calculam ínfimos números ante todas as possibilidades que temos de fazer o bem.

É claro que vivemos em tempos turbulentos, e é claro que, mais do que nunca, se tem luz para enxergar o que é necessário fazer, por onde devemos trilhar no caminho para o alto.

Mas por onde começar?
Por uma outra máxima: Faça aos outros o que gostaria que fizessem para você!

Você gosta de receber gentilezas, ofereça gentileza.
Você gosta de receber sorrisos, ofereça sorrisos.
Você gosta da sinceridade que orienta e conforta, oriente e conforte com a sua sinceridade aqueles que precisam.
Você se sente bem quando valorizado e considerado, observe na simplicidade de cada boa ação alheia o valor que elas proporcionam, e considere-as.
Você gosta que orem pelos seus problemas, experimente orar pelos que sofrem e sinta a paz que isso lhe proporciona, a comunhão com as energias sublimes que alimentam o espírito.

Tanto mais posso citar... Fica a cargo de todos a meditação sobre o tema.

É importante a conscientização de que, em tudo, no âmbito físico e espiritual, o amor ao próximo é o melhor método para o exercício da caridade.

Taubaté, 07 de fevereiro de 2011.

Um amigo.
Título: Re: Amor ao próximo.
Enviado por: guilherme.fraenkel em 07 de Fevereiro de 2011, 23:05
Acho que nossa dificuldade em colocar em prática este ensinamento e começarmos a amar mais ao próximo reside no fato de não nos amarmos realmente.
Agimos movidos pelas paixões, motivados pelas questões materiais e somos quase cegos acerca de nossa realidade espiritual.
Acho que no momento em que conseguirmos praticar o amor a si mesmo desprovido do egoísmo e humildemente reconhecendo a nossa paternidade divina, conseguiremos colocar em prática o amar ao próximo como a si mesmo com mais facilidade
Título: Re: Amor ao próximo.
Enviado por: WRossetti em 08 de Fevereiro de 2011, 10:19
Bom dia, Guilherme!

Antes de mais nada, obrigado por expressar sua opinião.

O amor próprio é característica importante, sem dúvida. Devemos cuidar muito bem de nós mesmos.

As vezes, porém, deixamos que esse "amor próprio" se torne fonte de egoísmo, pois acabamos por pensar demais em nós mesmos, deixando de lado a dose necessária de altruísmo que tanto conta em nossa evolução.

A forma como você colocou me parece correta, do ponto de vista de nos enxergarmos como filhos de Deus, e, conseqüentemente, ter a iluminação de ver as pessoas como irmãos, acendendo a chama do amor fraternal.


Um grande abraço,

Rossetti
Título: Re: Amor ao próximo.
Enviado por: guilherme.fraenkel em 08 de Fevereiro de 2011, 10:38
Oi Rossetti,

Acho que a idéia é exatamente esta.

Se nos vemos como filhos de Deus, desprovidos da visão egocentrica, seremos capazes de enchergar o universo em sua amplitude máxima e, consequentemente, amaremos mais abertamente a todos que nos cercam, nossos irmãos.

Acho que nosso exercício deva ocorrer nos três planos, conforme a proposta de Jesus.

No plano divino. "Amar a Deus sobre todas as coisas". Devemos buscar compreender a divindade, conhecê-la da melhor forma possível e, consequentemente amá-la

No plano coletivo. "Amar ao próximo". Precisamos perceber o outro, amá-lo e talvez aí resida a chave para desmontarmos o nosso egoísmo

No plano individual. "Amar a si mesmo". Precisamos percebermo-nos de forma correta para que possamos nos sentirmos plenos.

Acho que a vida vivenciada nestas três vertentes ampliará nossos horizontes e nos capacitará a viver em plenitude.