Forum Espirita

GERAL => Sexualidade => Psicologia & Espiritismo => Aborto => Tópico iniciado por: *Leni* em 25 de Março de 2009, 20:56

Título: O QUE NÃO TEVE A CHANCE DE NASCER
Enviado por: *Leni* em 25 de Março de 2009, 20:56




O QUE NÃO TEVE A CHANCE DE NASCER

Este texto é muito conhecido por todos os espírtas, mas como aqui sempre temos visitantes ...

05 de outubro.
- Hoje teve início a minha vida. Papai e mamãe não sabem. Eu sou menor que um alfinete, contudo, sou um ser individual.

- Todas as minhas características físicas e psíquicas já estão determinadas. Terei os olhos de papai e os cabelos castanhos e ondulados da mamãe. E isso também é certo: eu sou uma menina.

19 de outubro.
- Hoje começa a abertura de minha boca. Dentro de um ano poderei sorrir quando meus pais se inclinarem sobre meu berço.

- A minha primeira palavra será Mamãe. Seria verdadeiramente ridículo afirmar que eu sou somente uma parte de minha mãe. Isso não é verdade, pois sou um ser individual.

25 de outubro.
- O meu coração começou a bater. Ele continuará sua função sem parar jamais, sem descanso, até o fim dessa minha existência. De fato, é isso uma grande dádiva de Deus.

02 de novembro.
- Os meus braços e as minhas perninhas começaram a crescer até ficarem perfeitas para o trabalho; isto requererá algum tempo, mesmo depois de meu nascimento. Assim que for possível, enroscarei meus bracinhos no pescoço da mamãe e lhe direi o quanto eu a amo.

20 de novembro.
- Hoje, pela primeira vez, minha mãe percebeu, pelo seu coração, que me traz em seu seio. Acho que ela teve uma grande alegria.

28 de novembro.
- Todos os meus órgãos estão completamente formados. Eu sou muito grande.

02 de dezembro.
- Logo mais poderei ver, porém, meus olhos ainda estão costurados com um fio.

- Luz, cor, flores... como deve ser magnífico! Sobretudo, enche-me de alegria o pensamento de que deverei ver minha mãe... Oh! Se não tivesse que esperar tanto tempo! Faltam ainda mais de seis meses.

12 de dezembro.
- Crescem-me os cabelos e as sobrancelhas. Já imagino como minha mãe ficará contente com a sua filhinha!

24 de dezembro.
- O meu coraçãozinho está pronto. Deve haver crianças que nascem com o coração defeituoso. Nesse caso, precisam sujeitar-se a delicada cirurgia para corrigir o defeito. Graças a Deus o meu coração não tem nenhuma anomalia, e serei uma menina cheia de vida e forças. Todos ficarão alegres com meu nascimento.

28 de dezembro.
- Hoje minha mãe amanheceu diferente, está um pouco angustiada. Mas uma coisa é certa: nós vamos sair para um passeio. Creio que ela quer se distrair um pouco, talvez comprar roupinhas para mim. É isso mesmo, estamos saindo para algum lugar.

- Ih! Acho que estamos entrando em uma clínica. Deve ser para checar se a minha saúde vai bem. Que ótimo! Quando eu sair daqui, direi à minha mamãe o quanto lhe sou grata.

- O médico está chegando...

- Mas... esses instrumentos não são para um exame... Não, mamãe! Não o deixe se aproximar!

- Ai, que horror! Esta é uma clínica de aborto! Socorro! Deixem-me nascer!

- ... Ninguém escuta meus gritos!

- E meus sonhos de felicidade...

- Minha vontade de ver a luz, as flores, as cores...

- Tudo acabado...

- Sim... Hoje... Hoje minha mãe me assassinou...

A história é dramática e triste, mas, infelizmente, se repete diariamente nas clínicas de aborto do nosso país ou em casas de pessoas que se alimentam com o dinheiro ganho com o sangue de vítimas indefesas.

Hoje já não se pode mais alegar que o feto não é um ser individual, distinto da mãe, pois a ciência afirma o contrário todos os dias.

Assim, tanto quem pratica o aborto quanto quem o consente, deverá responder perante as Leis Divinas sobre esse crime.

DIÁRIO DE UMA CRIANÇA QUE NÃO NASCEU
Momento Espírita.




Título: Re: O QUE NÃO TEVE A CHANCE DE NASCER
Enviado por: lucineide.c em 28 de Março de 2009, 07:41
     Olá Leni,sempre  que leio este texto me emociono ,hoje bateu-me uma inspiração e fiz este poema :
       
                Nova oportunidade


                Mãe ,fui colocado em teu ventre
                Como foi grande a minha emoção !
                Fortes são as batidas do meu coração
                Sinto em ti  mãe , muita satisfação.

                Quero muito olhar  teus olhos
                Sentir  tuas mãos nas minhas.
                Oh minha querida mãezinha !
                Sei que não estou sozinha.

                Ah minha mamãe querida ,
                Quantos anos esperei !
                E de ti não me afastei,
                Nos teus sonhos eu andei .

               Te perdoei mamãezinha
               Mas foi difícil admitir
               Que não querias me assumir
               Arrancando-me de dentro de ti.
               


               Então  esperei você crescer
               Não sei quanto tempo passou
               Mas nova oportunidade chegou
               E Deus novamente me enviou.


              Agora vamos ser muito felizes
              Quero contigo aprender.
              A vida mãe,  vai florescer
              Teremos um novo amanhecer.
               


                                         Lucineide , março de 2009.
Título: Re: O QUE NÃO TEVE A CHANCE DE NASCER
Enviado por: *Leni* em 11 de Abril de 2009, 04:04


Gostei amiga.
E com direito a rimas, rsss.
Bjs Lu.