Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => A Génese => Tópico iniciado por: Tibério em 04 de Março de 2014, 16:20

Título: raças
Enviado por: Tibério em 04 de Março de 2014, 16:20
Peço sua paciência, por favor, para esclarecer um trecho em: revista espírita 1862, pag. 150. Entendi ali afirmações racistas que inclusive endossam a dominação de uma raça por outra "mais desenvolvida".

Então corri para a Gênese (livro espírita), a muito empoeirada em minha estante e lá a revista é citada no cap. XI "encarnação dos espíritos".

Recebi um tópico da ATEA - Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos referenciando essa passagem.

Sou espírita a um bom tempo, embora não seja um grande estudioso do espiritismo, li as cinco principais obras espíritas.

Então como interpretar isso sem conotação racista, se é que é possível?!

abraço
Título: Re: raças
Enviado por: Brenno Stoklos em 04 de Março de 2014, 18:46


O assunto já se encontra suficientemente esclarecido em outros tópicos.

Sugiro ao amigo a leitura de:


http://www.forumespirita.net/fe/livros/obra-de-kardec-racista/

e

http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/kardec-era-racista/


Título: Re: raças
Enviado por: Kazaoka em 04 de Março de 2014, 19:29
A doutrina Espírita ao abordar a questão das raças, ela o faz referindo-se à forma animal que serve de meio de manifestação do Espírito nela encarnado. Não há racismo na forma como se aborda o assunto dentro do estudo doutrinário.

Sabemos que mesmo nos dias de hoje ainda existem sociedades humanas que vivem em estado de civilidade bem abaixo daquele que observamos no que chamamos de países desenvolvidos. Notamos que ali há um retardamento no ritmo da marcha do progresso e só com muita hipocrisia não admitimos que associado a este retardamento há um certo padrão étnico/racial.

Se há uma falta de recursos ou de educação que justifique isso entre estas raças é notável, também, que este padrão étnico/racial é um fato.
Título: Re: raças
Enviado por: Kazaoka em 05 de Março de 2014, 01:28
Tibério, procurei na revista espírita no volume e na página que você assinala e não encontrei nada sobre o que você aponta. Será que a indicação da revista de 1862 e a página 150 estão corretas?
Título: Re: raças
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Março de 2014, 02:12
Então como interpretar isso sem conotação racista, se é que é possível?!

Com a frieza e comprometimento de isenção que faltam àqueles que assinalam essas passagens com o objetivo de encontrar o que querem, agindo como pseudocientistas em estudos de observação com viés de análise.  Lembremos Kardec: “Sou um homem positivo, sem entusiasmo, que tudo julga friamente”.

Abraço,
Título: Re: raças
Enviado por: Tibério em 05 de Março de 2014, 15:17
Agradeço a resposta.

Li os tópicos citados, esclarecedor, porém ficou uma última questão para mim.
em anexo está um exceto da revista espírita 1862, pag 150.

naquele trecho em anexo o bisel analítico de Kardec alcança não apenas genericamente as experiências selvagens da humanidade, mas chega ao ponto de citar a raça negra como inferior!

compreendi a sucessão de raças explicada pelo mestre Kardec, mas se eu estivesse na pele negra me sentiria excluído da civilização moderna segundo o que está anexado. Como posso entender e explicar para alguém espírita ou não uma declaração como a citada?

Me ajude!
Título: Re: raças
Enviado por: Kazaoka em 05 de Março de 2014, 16:35
Tibério, para reunir subsídios para que você tenha uma opinião firme sobre o que Kardec discorreu e repassá-la de forma a não colocar em "xeque" o Espíritismo e um eventual sentimento sectário racial por parte daquele que codificou a doutrina, sugiro que estude com mais profundidade sobre os hontotontes, que é a raça negra que Kardec fez menção em suas observações.

A ciência dos dias de hoje tem comprovado que esta raça traz em sua genética características que a coloca como uma das mais próximas da forma primitiva humana, isso biologicamente falando e comprovado cientificamente. Quanto aos Espíritos que reencarnam nestes corpos, ai vale o que está dito na parte da revista Espírita de 1862 que você citou e que está no mês de Abril daquele volume, cujo título é;
Frenologia espiritualista e
espírita - Perfectibilidade da
raça negra
Revista Espírita, abril de 1862 Para maiores esclarecimentos deixo aqui um link onde encontra-se estas informações de uma forma mais detalhada.http://pt.wikipedia.org/wiki/Khoisan. Lembrando, ainda, que a fonte sugerida e o artigo apresentado na mesma não têm nenhum vínculo ou referência com a doutrina Espírita.

Nos contextualizando no que Kardec falava a respeito na sua época, e vendo o que a ciência nos apresenta como fatos nos dias de hoje, chegamos a duas conclusões;

1)- Os negros hotentotes que Kardec se referia não tem similitude com os negros  atuais e mesmo com outras linhagens negras dos últimos dois milênios.

2)- Que Kardec falava baseado em observações que a ciência moderna veio confirmar.
Título: Re: raças
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Março de 2014, 17:18
Olá

Não há dúvida que as pessoas são fisicamente diferentes, embora essa diferença tenha tendência para se esbater, via cruzamento das várias raças. A doutrina espirita é o que disseram os espiritos. Raças são grupos de pessoas que têm características físicas em comum. Mas a inteligência, as capacidades intelectuais dos homens nada têm a ver com isso. Os homens podem corpos diferentes, mas um só espécie de espírito. A doutrina espirita é o que disseram os espiritos:

Citar
Citação do Livro dos Espíritos:

Diversidade das raças humanas

52. Donde provêm as diferenças físicas e morais que distinguem as raças humanas
na Terra?

“Do clima, da vida e dos costumes. Dá-se aí o que se dá com dois filhos de uma
mesma mãe que, educados longe um do outro e de modos diferentes, em nada se
assemelharão, quanto ao moral.”

53. O homem surgiu em muitos pontos do globo?

“Sim e em épocas várias, o que também constitui uma das causas da diversidade das
raças. Depois, dispersando-se os homens por climas diversos e aliando-se os de uma aos de outras raças, novos tipos se formaram.”

a) - Estas diferenças constituem espécies distintas?

Certamente que não; todos são da mesma família. Porventura as múltiplas
variedades de um mesmo fruto são motivo para que elas deixem de formar uma só
espécie?”

54. Pelo fato de não proceder de um só indivíduo a espécie humana, devem os
homens deixar de considerar-se irmãos?

Todos os homens são irmãos em Deus, porque são animados pelo espírito e tendem
para o mesmo fim. Estais sempre inclinados a tomar as palavras na sua significação literal.”


Assim, o veredicto dos espiritos é claro: todos nós somos espiritos irmãos. O aspecto exterior do corpo não impede isso. Logo um negro não é superior nem inferior a um branco, a uma amarelo, a um pele vermelha. São todos iguais, do ponto de vista espiritual e humano. Jesus de Nazaré não disse para amar o próximo da mesma raça, nem sequer da mesma família, do mesmo país, etc. Disse para amar o próximo sem fazer distinções. E a doutrina espirita partilha esses princípios de Jesus de Nazaré.

A opinião de Allan Kardec refere-se à evolução dos corpos de carne ao longo da história. E não há dúvida que houve evolução desde o homem pré-histórico até hoje. Não há dúvida que, em paralelo com a evolução do espírito houve evolução do corpo de carne. E também houve evolução tecnológica. Todavia, segundo a doutrina espirita, o que é hoje de cor de pele negra amanhã pode encarnar com a cor de pele branca e vice-versa. E assim com todas as cores de pele, de cabelo, de olhos, etc.

Quem julgava a perfeição dos homens pelas raças dos corpos de carne eram os nazis. Não são são nem nunca foram os espíritas nem Kardec.

Na visão espiritualista todos os espiritos são iguais (todos são criados simples e ignorantes, com igualdade de oportunidades, todos evoluem, obrigatoriamente até Espíritos Puros). Deus é imparcial. Não há espiritos beneficiados nem prejudicados uns em relação aos outros, se analisarmos a vida milenar dos espiritos, ao longo de muitas encarnações. Se analisarmos uma só vida, na Terra, evidentemente que a vida não nos parece justa, de forma nenhuma, porque os habitantes da Terra, que a governam, ainda estão longe de atingir esse nível. 

bem haja
Título: Re: raças
Enviado por: HamLacerda em 05 de Março de 2014, 18:10

naquele trecho em anexo o bisel analítico de Kardec alcança não apenas genericamente as experiências selvagens da humanidade, mas chega ao ponto de citar a raça negra como inferior!



Caro Tibério, o termo inferior, dado por Kardec, não se refere à inferioridade moral ou espiritual, o que caracterizaria preconceito. Se refere a inferioridade no sentido de idade e apenas corporal, como por exemplo, um senhor de idade avançada é inferior físico e intelectualmente à um jovem em sua idade vigorosa. Entretanto, o seu espírito pode ser superior ao do jovem, pois apenas o seu corpo perdeu as funções para o espírito transmitir o seu pensamento.

A raça(etnia) negra, a puramente negra, a raça raiz, a origem, sem ter ainda cruzado com outras raças, é a raça mais antiga que ainda vive nesse planeta. Essa raça é inferior às outras porque é a mais velha, mas suas misturas podem ser inferiores ou não. Isso é muito relativo porque há também raízes da raça branca que são inferiores aos negros já avançados.


Acontece que o espiritismo fala apenas da raiz da raça negra, da raça mais antiga da humanidade, porque as misturas de negros, que derivaram da raça negra, não são citados por Kardec como inferiores porque não é mais possível distinguir qual corpo é inferior ao outro depois de certo progresso. É por isso que esse assunto gera tamanha confusão, porque as pessoas tem mania de generalizar para poder denegrir, ou por falta de estudo.

Daí surgiu a teoria da beleza, que trata unicamente dos traços físicos e da capacidade cerebral dos corpos, porque ela toma como base a raiz da raça negra e mostra a evolução dessa raça até chegar aos pontos belos e da capacidade cerebral que conhecemos hoje em vários negros, e compara com outras raças, que também estão aperfeiçoando seus traços e sua capacidade cerebral. O amigo tem alguma dúvida que os corpos de hoje são superiores aos corpos primitivos, isto é, que hoje é mais fácil para um Espírito transmitir seu pensamento e sua inteligência do que antigamente, em corpos inferiores em seu sistema orgânico?

Existe a raiz da raça branca, que embora seja mais avançada que a raiz da raça negra (avançada em idade porque é mais jovem) também é muito inferior à corpos negros modernos. Ou seja, um espírito já adiantado em inteligencia preferiria vestir um corpo negro já avançado do que um corpo branco primitivo, se tivesse somente estas duas opções.

A raiz destas primeiras raças estão quase desaparecendo.  As ultimas tribos da raiz da raça negra são chamados de Khoisan ou hotentotes http://pt.wikipedia.org/wiki/Khoisan


É dessa raça raiz que Kardec fala e que a ciência confirma:


Genética[editar | editar código-fonte]

Os khoisan possuem o mais elevado grau de diversidade do ADN mitocondrial de todas as populações humanas, o que indica que eles são uma das mais antigas comunidades humanas. O seu cromossomo Y também sugere que, do ponto de vista evolucionário, os khoisan se encontram muito perto da raiz da espécie humana. De acordo com um estudo genético autossômico de 2012, os khoisan podem ser divididos em dois grupos, correspondentes às regiões noroeste e sudeste do Kalahari, os quais se separaram dentro dos últimos 30.000 anos. Todos os indíviduos testados na amostra apresentaram ancestralidades de populações não-khoisan, que foram introduzidas no período de 1200 anos atrás, como resultado da expansão bantu. Além disso, os hadzas, um grupo de caçadores-coletores do Leste da África, que também utilizam uma língua baseada em cliques (como a dos khoisan), possuem um quarto de sua ancestralidade vindos de uma população relacionada aos khoisan, revelando uma ligação genética antiga entre o Sul da África e o Leste da África.4 Ou seja, as populações khoisan de Angola e da Namíbia teriam se separado daquelas da África do Sul entre 25000 e 40000 anos atrás.5





Um forista postou essas palavras de Emmanuel em outro tópico que vale ser postada aqui:


Do livro 'A Caminho da Luz', de Emmanuel:

Bem se vê que a maioria dos adeptos espiritas ainda não compreendeu as palavras do Codificador, e para tanto buscam as justificativas mais bizarras. Kardec advertiu-nos que a  cada 25 mil anos, aproximadamente, há uma renovação de raças-raizes, com as transformações geologicas no planeta. A raça-raiz negra pertence aos lemurianos, e atualmente estamos vivenciando a raça-raiz branca ariana (perispiritualmente aperfeiçoada, mais bela ou elegante).






Não há o menor preconceito nisso. É um estudo totalmente corroborado pela ciência, mas que as pessoas criaram um tabu, e os ateus aproveitam disso para denegrir a imagem do espiritismo.




HL
Título: Re: raças
Enviado por: Tibério em 05 de Março de 2014, 19:44
Agradeço muitíssimo.

Suas resposta me renderão riqueza de comentários para uma palestra no centro que frequento. Muito obrigado estou esclarecido.

Se tiverem mais um pouco de paciência, só mais uma questão desta vez puramente especulativa.

Lembrei-me das crianças lobos, macacos etc. que foram inusitadamente mantidas vivas por animais na selva por um certo período de tempo, mas depois deste período foram reintegradas a sociedade humana. Estes indivíduos apresentaram comportamento semelhante aos dos animais após a experiência na selva.
Vocês têm o conhecimento de algum indivíduo de tribos selvagens retirado ainda bebê do convívio tribal e criado aos costumes da sociedade moderna, porém com dignidade e não ao modo de escravo? como se comportou e como foi seu progresso?

Obrigado.
Título: Re: raças
Enviado por: R_ventura em 22 de Outubro de 2015, 18:15
Peço sua paciência, por favor, para esclarecer um trecho em: revista espírita 1862, pag. 150. Entendi ali afirmações racistas que inclusive endossam a dominação de uma raça por outra "mais desenvolvida".

Então corri para a Gênese (livro espírita), a muito empoeirada em minha estante e lá a revista é citada no cap. XI "encarnação dos espíritos".

Recebi um tópico da ATEA - Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos referenciando essa passagem.

Sou espírita a um bom tempo, embora não seja um grande estudioso do espiritismo, li as cinco principais obras espíritas.

Então como interpretar isso sem conotação racista, se é que é possível?!

abraço



Eu acredito que para este tema seja um pouco complexo, convido você a ler este artigo.

http://www.apologiaespirita.org/apologia/artigos/025_O_polemico_texto_de_Kardec_sobre_a_raca_negra.pdf

è uma materia bem legal e vai te ajudar a tirar suas conclusões.