Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => A Génese => Tópico iniciado por: *Leni* em 08 de Dezembro de 2008, 03:57

Título: Alma dos Animais
Enviado por: *Leni* em 08 de Dezembro de 2008, 03:57



Os animais possuem uma inteligência que lhes faculta certa liberdade de ação, os animais possuem um princípio independente da matéria que sobrevive ao corpo. É também uma alma, se quiserdes, dependendo isto do sentido que se der a esta palavra. É, porém, inferior à do homem.

Há entre a alma dos animais e a do homem distância equivalente à que medeia entre a alma do homem e Deus. [9a pag 296 ques. 596]

Após a morte, a alma dos animais conserva a sua individualidade. Mas, quanto à consciência do seu eu, não. A vida inteligente lhe permanece em estado latente. [9a pag 296 questão 598]

Sobrevivendo ao corpo em que habitou, a alma do animal depois da morte fica numa espécie de erraticidade, pois que não mais se acha unida ao corpo, mas não é um Espírito errante. O Espírito errante é um ser que pensa e obra por sua livre vontade. De idêntica faculdade não dispõe o dos animais. A consciência de si mesmo é o que constitui o principal atributo do Espírito. O do animal, depois da morte, é classificado pelos Espíritos a quem incumbe essa tarefa e utilizado quase imediatamente. Não lhe é dado tempo de entrar em relação com outras criaturas. [9a pag 296 questão 600]

A vida do animal não é propriamente missão, apresentando, porém, uma finalidade superior que constitui a do seu aperfeiçoamento próprio, através das experiências benfeitoras do trabalho e da aquisição, em longos e pacientes esforços, dos princípios sagrados da inteligência. [41a pag 82] Emmanuel - 1940

Quanto mais inferior é o Espírito, tanto mais apertados são os laços que o ligam à matéria. Não o vedes? O homem não tem duas almas; a alma é sempre única em cada ser. São distintas uma da outra a alma do animal e a do homem, a tal ponto que a de um não pode animar o corpo criado para o outro. Mas, conquanto não tenha alma animal, que, por suas paixões, o nivele aos animais, o homem tem o corpo que, às vezes, o rebaixa até ao nível deles, por isso que o corpo é um ser dotado de vitalidade e de instintos, porém ininteligentes estes e restritos ao cuidado que a sua conservação requer. [9a pag 298 questão 605]

À alma dos animais não é dado escolher a espécie de animal em que encarne, pois que lhe falta livre-arbítrio. [9a pag 296 questão 599]   

O Espírito que animou o corpo de um homem não poderia encarnar num animal. Isso seria retrogradar(voltar para trás; recuar) e o Espírito não retrograda. [9a pag 302 questão 612]

Os mamíferos que se ligam a nós outros por extremos laços de parentesco, em se desencarnando, agregam-se aos ninhos em que se lhes desenvolvem os companheiros e, qual ocorre entre os animais inferiores, nas múltiplas faixas evolutivas em que se escalonam, não possuem pensamento contínuo para a obtenção de meios destinados à manutenção de nova forma. Encontram-se, desse modo, aquém da histogênese espiritual, inabilitados a mais amplo equilíbrio que lhes asseguraria ascensão a novo plano de consciência.

Em razão disso, efetuada a histólise dos tecidos celulares, nos sucessos recônditos da morte física, dilata-se-lhes o período de vida latente, na esfera espiritual, onde, com exceção de raras espécies, se demoram por tempo curto, incapazes de maliar os órgãos do aparelho psicossomático que lhes é característico, por ausência de substância mental consciente.

Quando não se fazem aproveitados na Espiritualidade, em serviço ao qual se fluam durante certa quota de tempo, caem, quase sempre de imediato à morte do corpo carnal, em pesada letargia, semelhante à hibernação, acabando automaticamente atraídos para o campo genésico das famílias a que se ajustam, retomando o organismo com que se confiarão a nova etapa de experiência, com os ascendentes do automatismo e do instinto que já se lhes fixaram no ser, e sofrendo, naturalmente, o preço hipotecável aos valores decisivos da evolução. André Luiz  [56  pag 87]

Os animais têm a sua linguagem, os seus afetos, a sua inteligência rudimentar, com atributos inumeráveis. São eles os irmãos mais próximos do homem, merecendo, por isso, a sua proteção e amparo.

Seria difícil ao médico legista determinar, nas manchas de sangue, qual o que pertence ao homem ou ao animal, tal a identidade dos elementos que o compõem. A organização óssea de ambos é quase a mesma, variando apenas na sua conformação e observando-se diminuta diferença nas vértebras.

O homem está para o animal, simplesmente como um superior hierárquico.

- Nos irracionais desenvolvem-se igualmente as faculdades intelectuais. 
- O sentimento de curiosidade é, na maioria deles, altamente avançado 
- E muitas espécies nos demonstram as suas elevadas qualidades, exemplificando o amor conjugal, o sentimento da paternidade, o amparo ao próximo, as faculdades de imitação, o gosto da beleza. 

Para verificar a existência desses fenômenos, basta que se possua um sentimento acurado de observação e de análise.

Inúmeros espíritos trouxeram à luz o fruto de suas pacientes indagações, que são para vós elementos de inegável valor. Entre muitos, citaremos Darwin, Gratiolet e vários outros estudiosos dedicados a esses notáveis problemas.

1- Os mais ferozes animais têm para com a prole ilimitada ternura. 

2- Aves existem que se deixam matar, quando não se lhes permite a defesa das suas famílias. 

3- Os cães, os cavalos, os macacos, os elefantes deixam entrever apreciáveis qual idades de inteligência. É conhecido o caso dos cavalos de um regimento que mastigavam o feno para um de seus companheiros, inutilizado e enfermo. 

4- Constitui um fato observável a sensibilidade dos cães e dos cavalos ao elogio e às reprimendas.

5- Conta-se que uma fêmea de cinocéfalo, muito conhecida pela sua mansidão, gostava de recolher os macaquinhos, os gatos e os cães, dos quais cuidava com desvelado carinho; certo dia, um gato revoltou-se contra a sua benfeitora, arranhando-lhe o rosto, e a mãe adotiva, revelando a mais refletida inteligência, examinou-lhe as patas, cortando-lhe as unhas pontiagudas com os dentes.

Longe iríamos com as citações. O que podemos assegurar é que, sobre os mundos, laboratórios da vida no Universo, todas as forças naturais contribuem para o nascimento do ser. [71 pag 96]  Emmanuel - 1938 

Depois de sete anos analisando o cérebro de vários animais, um grupo liderado pelo neurocientista Erich Jarvis, da Universidade de Duke (EUA), chegou à conclusão de que os pássaros são mais espertos e adaptáveis do que se imaginava. Seu cérebro é tão desenvolvido e capaz quanto o dos mamíferos. Dois exemplos são emblemáticos:

Os corvos, que fazem ferramentas, 
E os papagaios, que imitam a voz humana com perfeição.

Revista ISTOÉ/1843 - 9/2/2005




Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: psi em 25 de Setembro de 2009, 04:04

O texto do Livro dos Espíritos não dá margem a nenhum típo de dúvida.Ele diz:"São nos seres inferiores da criação que o princípio inteligente se elabora, se individualiza pouco a pouco, em seguida ao qual, o princípio inteligente sofre uma transformação e se torna Espírito.É então que começa para ele o período de humanidade, e com este, a consciência de seu futuro,a distinção do bem e do mal e a responsabilidade de seus atos."
Isso quer dizer que todos nós que hoje somos espíritos, já fomos outrora um princípio inteligente, e como tal, percorremos toda a cadeia evolutiva de nosso planeta.
Se eu pudesse escolher uma palavra que qualificasse a doutrina espírita, essa palavra
seria EVOLUÇÃO. Assim, o princípio inteligente evolui desde a ameba até o hominídio,
para então ser promovido a espírito e animar a espécie mais evoluída do nosso planeta, o homo sapiens, nossa espécie animal. Começamos então, a adquirir o livre arbítrio e a consciência de si mesmos, respondendo pelos nossos atos perante as Leis de Deus. 
Nesta contínua evolução, os espíritos no livro de Kardec nos dão uma idéia da distância que temos a percorrer, comparando o abismo que existe entre o princípio inteligente, o espírito,
e a própria divindade. Por isso, devemos respeitar todos os animais, pois eles estão estagiando para um dia se tornarem espíritos como nós.

Um abraço,

PSI
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2009, 15:59
Mano PSI,
tudo que sofre uma transformação, já demonstra não ser mais o mesmo. Este é um fatop.
No caso do P.I., este fato é mais gritante ainda, pois os mesmos Espíritos afirmam que houve tal transformação, e que por isso mesmo o homem é um elo a parte na creação.
Por que elo a parte? Exatamente por causa desta transformação, que pariu um ser totalmente diferenciado, mas que guarda, apenas materialmente, como último abraço à animalidade, alguns processos orgânicos.
Eis ai a diferença que o amigo quando generaliza, deixa de compreender.
Abraços,
Moura
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: psi em 25 de Setembro de 2009, 20:18
Mano Moura Rego,

O fato de ter ocorrido uma transformação, isso não implica que o P.I. tenha perdido a sua individualidade. Esta se mantém ao longo de toda a cadeia evolutiva.
A lagarta, ao se transformar em borboleta, é o mesmo ser, não mudou a sua individualidade, apenas trata-se de estágios evolutivos diferentes do mesmo ser.
A evolução é um processo contínuo, e vale tanto para o P.I. como para os animais.Aliás,
a evolução do P.I caminha de mãos dadas com a evolução das espécies. É exatamente
a experiência acumulada por ele, animando seres inferiores da criação que o habilitou a
ser transformado em espírito e poder atuar sobre um corpo físico complexo como o nosso.
Na senda evolutiva, a experiência é acumulada e a individualidade não se perde, do contrário de que serviria toda a experiência acumulada na sua ação sobre a matéria?
A individualidade não pode se dissociar. Isso contraria o processo de continuidade da lei
da evolução espírita. Os próprios espíritos, já prevendo melindres nas pessoas mais susceptíveis,dizem:"Nada há da nossa origem que deva humilhar o homem. Os grandes gênios sentem-se humilhados por terem sido fetos informes no ventre materno?", ou seja,não devemos nos sentir humilhados por nossa inteligência individualizada já ter animado
seres inferiores da criação.
Um abraço,

PSI.
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2009, 21:18
Mas mano PSI, é de individualização que falamos.
O PI passa por este período se individualizando nas espécies e essências pelos tres reinos. Após o que, veste-se (individualiza-se) na forma hominal.
Ora, voce pode afirmar que um bolo, depois de feito, seja a mesma coisa de cada ingrediente?
Logo, após qualquer individualização não se tem mais a espécie fundamental mas sim uma transformação individualizada dela. Depois disso surge o Espírito.
Abraços,
Moura
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: psi em 25 de Setembro de 2009, 21:52
Mano Moura,

O que o amigo está me dizendo, partindo do exemplo que eu dei é que o ser, depois de transformado em borboleta, não tem nada a ver com a crisálida e a lagarta. Percebeu a incoerência? A borboleta se individualizou? Não, ela apenas foi transformada a partir dos seus estágios anteriores, os quais já eram o mesmo ser vivo individualizado, sem o qual a borboleta jamais nasceria. O mesmo ocorre com o espírito, que foi transformado a partir do P.I. , sem o qual o espírito não existiria. Resumindo, a individualidade é uma só
que sofreu uma transformação.
O amigo tem dificuldades em entender isso, porque não consegue entender que o ser humano é o ponto final da evolução das espécies em nosso planeta, como prega a teoria de Darwin, endossada pelos espíritos no livro A Gênese.
Um abraço,

PSI. 
Título: essencia"
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2009, 22:03
Pegando o teu gancho mano PSI dou como exemplo uma brincadeira que faço muito em palestras:
conta a história que no tempo que os bichos falavam, certa vez, em plena selva, um gatinho perdido por uma família encontrou um leão enorme.
Ora, pensou o bichano, sou um felino tal qual ele, para que ter medo? E tranquilo se aproximou do leão.
Pois bem, as mesmas bocas contam, que o rei da selva então, felídeo que é,  papou o bichano sem problema ou remorso algum... contam ainda que por se tratar de um leão espiritualizado, após comer o pobre gato esquecido, elevou-se numa sentida prece de agradecimento onde dizia: Senhor, obrigado pela alimento que acabo de sorver.
Compreendeu mano? por isso é que a primeira edição de OLE diz na resposta ao item 127: "Cada ser só evolui em sua espécie e em sua Essencia".
Se a lagarta, que gerará a crisálida de onde sair a borboleta, for de uma essencia, por certo em nada haverá de se parecer, com as outras, embora guardando a mesma forma, mas são mesmo os que nos avisam "A forma é nada".
A espécie e a essencia deverão ser da mesma categoria para que haja não a similaridade, mas sim a igualdade.
Abraços,
Moura
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Vitor Santos em 25 de Setembro de 2009, 23:58
Olá Mano Moura Rego

Aqui não estamos de acordo. Ou então é tudo uma questão de palavras.

Deus criou o espirito (ou o principio inteligente, se gostar mais desta última expressão). O espirito (ou principio inteligente...) percorreu a primeira parte do caminho a encarnar em animais. A certa altura começou a encarnar em homens.

Análogamente ao acontece connosco quando encarnamos (começamos pela infância e depois vamos evoluindo até adultos), também o espirito (ou o principio inteligente, como queira) se desenvolveu ao longo de inumeras reencarnações até começar a encarnar num corpo humano.

Tal como o adulto já não é a criança, assim a alma dos homens também já não é tão simples e ignorante como o principio inteligente que lhe deu origem e que foi criado por Deus (segundo dizem.. ).

Na realidade há uma continuidade e não há salto nenhum, tudo é progressivo. Não há nenhuma fronteira. Até porque os homens mais primitivos pouco mais inteligentes são do que alguns animais mais inteligentes aqui da terra, como os chimpanzés, por exemplo.

Assim creio, amigo!

bem haja
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Mourarego em 26 de Setembro de 2009, 00:46
Amigo Victor,
os dois são creações de Deus, todos o sabem.
Contudo, avalie bem a resposta da questão nº 79 de OLE.
"79. Uma vez que há dois elementos gerais do Universo: o inteligente e o material,
poderíamos dizer que os Espíritos são formado do elemento inteligente, como os corpos
inertes são formados do material?
– É evidente. Os Espíritos são individualizações do princípio inteligente, como os
corpos são individualizações do princípio material; a época e a maneira dessa formação é
que desconhecemos."
Logo, um é individualização do outro e são os dois diferentes entre si, já que o segundo é o provedor da transformação que o individualiza na forma hominal.
Outra prova cabal está na resposta à questão 592 da citada obra:
"592. Se comparamos o homem e os animais, em relação à inteligência. parece difícil
estabelecer a linha de demarcação, porque certos animais têm, nesse terreno, notória
superioridade sobre certos homens. Essa linha de demarcação pode ser estabelecida de
maneira precisa?
– Sobre esse assunto os vossos filósofos não estão muito de cardo. Uns querem que o
homem seja um animal, e outros que o animal seja um homem. Estão todos errados. O
homem é um ser à parte, que desce às vezes muito abaixo ou que pode elevar-se muito
alto. No físico, o homem é como os animais e menos bem provido que muitos dentre
eles; a Natureza lhes deu tudo aquilo que o homem é obrigado a inventar com a sua
inteligência, para prover às suas necessidades e à sua conservação. Seu corpo se destrói
como o dos animais, isto é certo, mas o seu Espírito tem um destino que só ele pode
compreender, porque só ele é completamente livre. Pobres homens, que vos rebaixais
mais do que os brutos! Não sabeis distinguir-vos deles? Reconhecei o homem pelo
pensamento de Deus".
Como acabo de descrever no excerto.

tal como nos dois últimos parágrafos da questão 613 que trata da Metemnpsicose e quie, por isso não é muito estudada por ser ponto bem aplainado pela maioria dos Espíreitas.
"As diferentes espécies de animais não procedem intelectualmente uma da
outras, por via de progressão; assim, o Espírito da ostra não se torna
sucessivamente do peixe, da ave, do quadrúpede e do quadrúmano; cada espécie é
um tipo absoluto, física e moralmente, e cada um dos seus indivíduos tira da fonte
universal a quantidade de princípio inteligente que lhe é necessária, segundo a
perfeição dos seus órgãos e a tarefa que deve desempenhar nos fenômenos da
Natureza, devolvendo-a a massa após a morte. Aqueles dos mundos mais
adiantados que o nosso (Ver item 188) são igualmente constituídos de raças
distintas, apropriadas às necessidades desses mundos e ao grau de adiantamento
dos homens de que são auxiliares, mas não procedem absolutamente dos terrenos,
espiritualmente falando. Com o homem, já não se dá o mesmo.
Do ponto de vista físico, o homem constitui evidentemente um anel da cadeia
dos seres vivos; mas, do ponto de vista moral, há solução de continuidade entre o
homem e o animal. O homem possui, como sua particularidade, a alma ou Espírito,
centelha divina que lhe dá o senso moral e um alcance intelectual que os animais
não possuem; é o ser principal, preexistente e sobrevivente ao corpo, conservando a
sua individualidade
. Qual é a origem do Espírito? Onde está o seu ponto de
partida? Forma-se ele do princípio inteligente individualizado? Isso é um mistério
que seria inútil procurar penetrar e sobre o qual, como dissemos, só podemos
construir sistemas.
O que é constante e ressalta ao mesmo tempo do raciocínio e da experiência é a
sobrevivência do Espírito, a conservação de sua individualidade após a morte, sua
faculdade de progredir, seu estado feliz ou infeliz, proporcional ao seu
adiantamento na senda do bem, e toda.c as verdades morais que são a conseqüência
desse princípio".
Espero, assim, ter elucidado minhas respostas.
Abraços,
Moura
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Vitor Santos em 26 de Setembro de 2009, 18:37
Olá Moura Rego

Citar
mas o seu Espírito tem um destino que só ele pode
compreender, porque só ele é completamente livre. Pobres homens, que vos rebaixais
mais do que os brutos! Não sabeis distinguir-vos deles? Reconhecei o homem pelo
pensamento de Deus".

Eu concordo que os animais não têm possibilidade de compreender para o que estão destinados, que é mesmo fim que nos está reservado a nós. Ainda não têm a inteligência desenvolvida para isso. Mas isso não quer dizer que as suas almas não vão encarnar mais tarde num corpo humano.

Parece-me tão claras as palavras do LE que cito a seguir, que não compreendo como pode você deduzir o que deduz dos animais, a avaliar pela sua última mensagem.

Citar
606. Donde tiram os animais o princípio inteligente que constitui a alma de
natureza especial de que são dotados?

“Do elemento inteligente universal.”

a) - Então, emanam de um único princípio a inteligência do homem e a dos
animais?

“Sem dúvida alguma, porém, no homem, passou por uma elaboração que a coloca
acima da que existe no animal.”

607. Dissestes (190) que o estado da alma do homem, na sua origem, corresponde
ao estado da infância na vida corporal, que sua inteligência apenas desabrocha e se ensaia
para a vida. Onde passa o Espírito essa primeira fase do seu desenvolvimento?

Numa série de existências que precedem o período a que chamais Humanidade.

a) - Parece que, assim, se pode considerar a alma como tendo sido o princípio
inteligente dos seres inferiores da criação, não?


“Já não dissemos que todo em a Natureza se encadeia e tende para a unidade?
Nesses seres, cuja totalidade estais longe de conhecer, é que o princípio inteligente se
elabora, se individualiza pouco a pouco e se ensaia para a vida, conforme acabamos de
dizer. É, de certo modo, um trabalho preparatório, como o da germinação, por efeito do
qual o princípio inteligente sofre uma transformação e se torna Espírito. Entra então no
período da humanização, começando a ter consciência do seu futuro, capacidade de distinguir o bem do mal e a responsabilidade dos seus actos
. Assim, à fase da infância se segue a da adolescência, vindo depois a da juventude e da madureza. Nessa origem, coisa alguma há de humilhante para o homem. Sentir-se-ão humilhados os grandes gênios por terem sido fetos informes nas entranhas que os geraram? Se alguma coisa há que lhe seja humilhante, é a sua inferioridade perante Deus e sua impotência para lhe sondar a profundeza dos desígnios e para apreciar a sabedoria das leis que regem a harmonia do Universo. Reconhecei a grandeza de Deus nessa admirável harmonia, mediante a qual tudo é solidário na Natureza. Acreditar que Deus haja feito, seja o que for, sem um fim, e criado seres inteligentes sem futuro, fora blasfemar da Sua bondade, que se estende por sobre todas as suas criaturas.”


b) Esse período de humanização principia na Terra?

“A Terra não é o ponto de partida da primeira encarnação humana. O período da
humanização começa, geralmente, em mundos ainda inferiores à Terra. Isto, entretanto, não
constitui regra absoluta, pois pode suceder que um Espírito, desde o seu início humano,
esteja apto a viver na Terra. Não é freqüente o caso; constitui antes uma exceção.”

bem haja Mano
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Mourarego em 26 de Setembro de 2009, 18:53
Olá Moura Rego

Citar
mas o seu Espírito tem um destino que só ele pode
compreender, porque só ele é completamente livre. Pobres homens, que vos rebaixais
mais do que os brutos! Não sabeis distinguir-vos deles? Reconhecei o homem pelo
pensamento de Deus".

Eu concordo que os animais não têm possibilidade de compreender para o que estão destinados, que é mesmo fim que nos está reservado a nós. Ainda não têm a inteligência desenvolvida para isso. Mas isso não quer dizer que as suas almas não vão encarnar mais tarde num corpo humano.

Parece-me tão claras as palavras do LE que cito a seguir, que não compreendo como pode você deduzir o que deduz dos animais, a avaliar pela sua última mensagem.

Citar
606. Donde tiram os animais o princípio inteligente que constitui a alma de
natureza especial de que são dotados?

“Do elemento inteligente universal.”

a) - Então, emanam de um único princípio a inteligência do homem e a dos
animais?

“Sem dúvida alguma, porém, no homem, passou por uma elaboração que a coloca
acima da que existe no animal.”

607. Dissestes (190) que o estado da alma do homem, na sua origem, corresponde
ao estado da infância na vida corporal, que sua inteligência apenas desabrocha e se ensaia
para a vida. Onde passa o Espírito essa primeira fase do seu desenvolvimento?

Numa série de existências que precedem o período a que chamais Humanidade.

a) - Parece que, assim, se pode considerar a alma como tendo sido o princípio
inteligente dos seres inferiores da criação, não?


“Já não dissemos que todo em a Natureza se encadeia e tende para a unidade?
Nesses seres, cuja totalidade estais longe de conhecer, é que o princípio inteligente se
elabora, se individualiza pouco a pouco e se ensaia para a vida, conforme acabamos de
dizer. É, de certo modo, um trabalho preparatório, como o da germinação, por efeito do
qual o princípio inteligente sofre uma transformação e se torna Espírito. Entra então no
período da humanização, começando a ter consciência do seu futuro, capacidade de distinguir o bem do mal e a responsabilidade dos seus actos
. Assim, à fase da infância se segue a da adolescência, vindo depois a da juventude e da madureza. Nessa origem, coisa alguma há de humilhante para o homem. Sentir-se-ão humilhados os grandes gênios por terem sido fetos informes nas entranhas que os geraram? Se alguma coisa há que lhe seja humilhante, é a sua inferioridade perante Deus e sua impotência para lhe sondar a profundeza dos desígnios e para apreciar a sabedoria das leis que regem a harmonia do Universo. Reconhecei a grandeza de Deus nessa admirável harmonia, mediante a qual tudo é solidário na Natureza. Acreditar que Deus haja feito, seja o que for, sem um fim, e criado seres inteligentes sem futuro, fora blasfemar da Sua bondade, que se estende por sobre todas as suas criaturas.”


b) Esse período de humanização principia na Terra?

“A Terra não é o ponto de partida da primeira encarnação humana. O período da
humanização começa, geralmente, em mundos ainda inferiores à Terra. Isto, entretanto, não
constitui regra absoluta, pois pode suceder que um Espírito, desde o seu início humano,
esteja apto a viver na Terra. Não é freqüente o caso; constitui antes uma exceção.”

bem haja Mano

Mano Victor, estou gostando desse papo!

Mas olha,  a explicação que trazes do item 606, prende-se e amalgama-se a outra que diz que antes da individualização, na forma hominal,  esta que os Espíritos repetem sempre que não sabe onde se deu, havia apenas o PI, ora, tudo há de vir do fluido cósmico universal? na verdade esta parte, em referência a questão, chama-nos a atenção por explicar que o que se quer provém do Princípio Inteligente do Universo, a que a questão 23 de OLE designa como Espírito.
Muitobem, sabemos que cada ser vivo, retira do fluido cósmico universal a parcela daquilo que o vai consituir, tendo em vista a sua situação ante a lei natural e o seu grau de conhecimento.
Animais têm algum grau de conhecimento? E de moralidade?
como o amigo pode ver, é como digo sempre: "cada um como seu cada qual, senão embola o jogo".
Os animais têm uma espécie de inteligência rudimentar (instinto), que os faz tomar atitudes, quanto a alimentação, procriação e resguardo das intempéries. Porém ao homem Deus lho deu Intelecto apurado e moralidade para que como alargamento do primeiro o segundo também crescesse e proliferasse a fazer com o que este homem tomasse sempre, se quisesse, a decisão mais acertada.
Notas que não desdenho dos animais, mas apenas mostro-lhes como eles o são hoje e como estarão em mundos avançados onde, no dizer da mesma obra, existirão plantas animais e homens mas todos mais avançados sendo que os animais continuarão lá, a serem os maiores ajudantes do homem.
Deus quis assim e somos pequenos demais para entender-lhes os desígnios.
Alliás há mesmo uma resposta da plêiade que diz bem isso: "OH! como ousas pedir contas a Deus"?
Abraços,
Moura
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Vitor Santos em 27 de Setembro de 2009, 09:12
Olá mano Moura Rego

em pelo menos duas traduções diferentes do LE, a questão "23" é outra. Uma das traduções é a que está aqui neste portal para download. Em que livro é que foi desencantar isso?

Essas traduções dizem:

Citar
23. Que é o Espírito?
“O princípio inteligente do Universo.”

a) - Qual a natureza íntima do Espírito?

“Não é fácil analisar o Espírito com a vossa linguagem. Para vós, ele nada é, por não
ser palpável. Para nós, entretanto, é alguma coisa. Ficai sabendo: coisa nenhuma é o nada e o nada não existe.”

bem haja


Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: HamLacerda em 13 de Março de 2011, 02:07
Acho esse ponto de vista de C. Carlos Pastorinho muito interessante. Fica ai para meditação.


Ele diz no livro Sabedoria do Evangelho:

Cada criatura humana é constituída de trilhões de células. Cada célula é um ser espiritual, individualizado
da Centelha Divina, e que já ultrapassou os estágios mineral e vegetal, iniciando-se na fase
animal. Compreendamos bem que, nesse estágio, a célula é um vórtice energético animado por um ser
espiritual, que se reveste de matéria física para constituir o corpo denso da criatura. Repisemos: o
corpo astral ou perispírito, no ventre materno, não “se materializa” em bloco: sua materialização é o
resultado da materialização parcelada de cada uma de suas células.
Avancemos. Cada ser, ao sair do estado monocelular, vai crescendo pela lei das Unidades Coletivas
(Pietro Ubaldi, em a “Grande Síntese”), e vai necessitando de “auxiliares” para desempenhar suas
funções que se multiplicam. Vai então agregando a si outros seres monocelulares, que o acompanhar
ão durante todo o curso evolutivo.
Ao chegar ao estado humano, o número de suas células está mais ou menos fixado, e a criatura se vai
elevando na escala servido sempre pelas células servis, como auxiliadoras preciosas de sua evolução.
As células são AS MESMAS vida após vida, embora o envoltório físico dessas células varie de vida
para vida e até dentro de uma mesma existência da criatura, elas “morrem” e “renascem”, isto é,
perdem a matéria física e retomam outra. A prova de que a parte espiritual das células é a mesma, e
de que só seu “corpo” ,se refaz, é que as cicatrizes profundas da infância se mantêm até a velhice,
embora a ciência tenha confirmado que, após cada sete anos, todas as células se renovam (menos as
nervosas, que pertencem ao corpo etérico e não ao físico). Então, elas se renovam, sim, mas só no
corpo físico, que é a contrapartida, a materialização de seu corpo perispiritual ou astral. E as cicatrizes
profundas afetam o corpo astral das células, e por isso não desaparecem, pois atingem o vórtice
energético. No entanto, as pequenas e leves cicatrizes, que só atingiram o corpo físico das células,
essas desaparecem quando as células tomam outro corpo físico.
Ora, essas células, seres espirituais com mente própria (tanto que “sabem” sua função específica e a
executam a rigor) evoluirão também. Enquanto permanecem no corpo humano, possuem a chamada
“alma grupo”, constituída por nosso próprio espírito, e são governadas por nossa mente subconsciente.
Tanto assim que, se nos desequilibra e aparecem os distúrbios e enfermidades.
Mas, ascendendo lentissimamente pela escala animal, atingirão após milênios de milênios, a escala
humana. A esse ponto, a criatura humana que foi servida por essas células (hoje criaturas humanas)
já atingiu grau evolutivo elevadíssimo e terá sob sua responsabilidade todo esse conglomerado humano,
que constituirá “o seu povo”.
Aqui temos uma explicação do grande motivo que impeliu Yahweh (Jesus) a criar o planeta (ou todo o
sistema planetário), para acolher-nos em nossa evolução: esta humanidade, que aqui vive, é constituí-
da das antigas células que, em épocas imemoriais, formaram os corpos de Jesus durante sua passagem
pela escala hominal em outros planetas. Ajudamo-lo em Sua evolução hominal e Ele agora amanos
entranhadamente, até o sacrifício, e veio entre nós “o que era Seu”, para ajudar-nos a libertarnos
do jugo da matéria. (Esclareçamos, todavia, que não nos referimos ao corpo de Jesus materializado
em sua última passagem pela Terra há dois mil anos. Não. O que dizemos ocorreu há bilhões de
anos atrás) .

Como é maravilhoso e sublime o encadeamento de todos os seres do Universo, nessa sucessão constante
para a Divindade, através do Serviço e do Amor!
Zacarias, pois, o intelecto que compreendia essas verdades, bendiz o Senhor Deus de Israel, pois realmente
para nós, as antigas células de Seu corpo, Jesus é um Deus, é “o nosso Deus”.
Percebendo isto ao “mergulhar” no Profundo de si mesmo unindo-se ao Cristo Interno, o intelecto vê
que surgiu para ele o Libertador da “casa de David”, ou seja, do plano do AMADO. Relembremos
que Deus, o Absoluto (o AMOR), quando se manifesta é o Pai ou Verbo (o AMANTE), e Sua manifesta
ção é o Filho ou Cristo (o AMADO) que nos liberta. É pois “da casa do AMADO” (significado do
nome “David”) que surge o Libertador.
Todo esse sistema de penetração no âmago, para encontrar o Cristo Interno ou EU Supremo, foi
anunciado desde a mais remota antiguidade por todos os profetas, que eram apenas “intermediários”
C. TORRES PASTORINO
Página 52 de 149
de Yahweh, não apenas junto aos israelitas, mas a todos os povos, pois todos têm a mesma origem e
filiação divinas. A cada povo, a manifestação esteve de acordo com sua capacidade, dando-nos a
idéia de que cada raça constitui um órgão diferente do mesmo corpo (Cfr. Paulo, Rom. 12:4-5 “pois
assim como temos muitos membros em um só corpo (e todos os membros não têm a mesma função),
assim nós, sendo muitos, SOMOS UM SÓ CORPO EM CRISTO, mas individualmente somos membros
um dos outros”, e mais: “não sabeis que Vossos corpos são MEMBROS DE CRISTO”? (1 Cor. 6:15);
e ainda: “assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora
muitos, constituem um só corpo, ASSIM TAMBÉM É CRI.S’TO” (1 Cor.12:12); e adiante: “ora, vós
sais CORPO DE CRISTO, e individualmente UM DE SEUS MEMBROS” (1 Cor. 12:27); e em outro
passo: “porque SOMOS MEMBROS DE SEU CORPO”, de Cristo (Ef. 5:30) . E que todas as raças
formam esse corpo, também é afirmado por Paulo (1 Cor.12:13) ; “em um só Espírito (de Cristo) fomos
todos mergulhados em um só corpo - quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres – e a
todos nós foi dado de beber dum só Espírito: também o corpo não é um só membro, mas muitos”).
Depois de acenar à liberdade que obterá com esse mergulho no infinito, o intelecto se dirige ao homem-
Novo que nasceu, e o apostrofa, prevendo que, de ora em diante, será ele o precursor da União
Definitiva da Unificação, conseguida pelo Amor Misericordioso.
Também nessa Aventura Santa o intelecto viu que a “salvação” consiste na rejeição total de seus erros,
ou seja, na convicção absoluta de que o “eu” não é o corpo físico, nem as sensações, nem as
emoções, nem os pensamentos, nem o chamado “espírito”, mas é na realidade o EU Supremo, o
Cristo Interno. compreendeu que tudo o que e externo a ele” é transitório, e portanto ilusão dos sentidos,
e só Deus, a única realidade Objetiva, é Eterno, e esse está DENTRO DÊLE (Cfr. (’Não sabeis
que VOSSO CORPO é santuário do Espírito Santo QUE HABITA EM VÓIS”? 1 Cor, 6:19). Compreendeu
que tempo e espaço são criações mentais, e que só o Infinito e o Eterno são realidades. Compreendeu
finalmente que, quando a União for conseguida, ele será UM com Cristo, assim como Cristo
é UM com Deus(Cfr. Jo. 17:23) porque “aquele que SE UNE ao Senhor, é UM ESPÍRITO COM ELE
(1 Cor. 6.17).
Tantas coisas percebeu, quando penetrou na Luz Incriada do Sol do Alto, que se sente totalmente aniquilado
em sua personalidade, iluminado plenamente, embora “ainda sentado nas trevas e na sombra
da morte”, ou seja, ainda mergulhado na matéria do corpo físico. Mas agora confia no Sol Divino:
seus passos seguirão invariavelmente a estrada da PAZ.
E o evangelista tem o cuidado de alertar-nos para o fato de que o Grande Acontecimento não parou
aí, mas prosseguiu desenvolvendo-se, crescendo “em Espírito” e fortalecendo-se pelo exercício continuado,
não no meio das multidões citadinas, mas no deserto silencioso da meditação solitária, até
que, bem amadurecido, pudesse manifestar-se.
Título: Os animais não tem alma
Enviado por: ET NA REDE em 05 de Novembro de 2011, 20:02
Caros irmãos em Cristo;sabemos que o ser humano além de ser a criatura soberana sobre todas as demais criaturas de Deus,somente ele é uma criatura racional,claro também os anjos são criaturas racionais.
  O que caracteriza a presença de uma alma em um corpo é a presença do livre arbítrio e dos sentimentos,coisa que os seres humanos têm,mas os animais irracionais como cão,gato,onça,jacaré,cobra e demais animais não têm.Os animais não tem alma,pois não tem sentimentos e não tem livre arbítrio,somente o homem.
   Aí está a grandiosidade de Deus quando criou o homem sua imagem e semelhança,não exatamente sua imagem e semelhança física,mas espiritual por lhe acrescentar uma alma,coisa que os animais não têm.A alma é a essência do ser humano e é o que faz ele ser único,diferente das outras espécies que agem sempre de forma igual dos demais individuos de sua mesma espécie,o homem é único por ter por essência uma alma.É isso que faz com que ninguém seja igual,temos uma alma diferente das demais pessoas.Eu sou o et na rede não por causa de minha aparência física,mas por causa de minha alma e é por ela que eu sei que sou o et na rede e que não sou outra pessoa.
  Olhando para toda a criação de Deus devemos imaginar que Ele tinha os anjos mas fez do ser humano uma criatura soberana e lhe presenteou com toda a natureza e com a vida.Para finalizar,fiquem na paz de Cristo.

Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Camila T Cunha em 21 de Abril de 2012, 19:12
                  Gostei e concordei com tudo que o Vítor santos disse.
                  Ham se lembrou de um bom trecho dos estudos:
                  " Avancemos. Cada ser, ao sair do estado monocelular, vai crescendo pela lei das Unidades Coletivas (Pietro Ubaldi, em a “Grande Síntese”), e vai necessitando de “auxiliares” para desempenhar suas funções que se multiplicam. Vai então agregando a si outros seres monocelulares, que o acompanhar ão durante todo o curso evolutivo.
Ao chegar ao estado humano, o número de suas células está mais ou menos fixado, e a criatura se vai elevando na escala servido sempre pelas células servis, como auxiliadoras preciosas de sua evolução."

              E a última postagem está bem similar com o que pensam os evangélicos, ET! Que Deus cria um ser humano pronto, assim como um anjo? Sim, os evangélicos acreditam nisso e temos que respeitá-los, mas nós percebemos por estudos que tudo evolui, como bem colocou Vítor Santos.
Título: Re: Alma dos Animais
Enviado por: Mourarego em 21 de Abril de 2012, 19:22
Retirei da tradução de Herculano Pires, feita de OLE.
abração,
Moura
PS: O Espírito que é o Princípio Inteligente do Universo não é o mesmo que progride via reencarnações, mas sim a fonte da qual tudo inteligente é retirado ou foi creado.
Olá mano Moura Rego

em pelo menos duas traduções diferentes do LE, a questão "23" é outra. Uma das traduções é a que está aqui neste portal para download. Em que livro é que foi desencantar isso?

Essas traduções dizem:

Citar
23. Que é o Espírito?
“O princípio inteligente do Universo.”

a) - Qual a natureza íntima do Espírito?

“Não é fácil analisar o Espírito com a vossa linguagem. Para vós, ele nada é, por não
ser palpável. Para nós, entretanto, é alguma coisa. Ficai sabendo: coisa nenhuma é o nada e o nada não existe.”

bem haja