Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => A Génese => Tópico iniciado por: psi em 01 de Maio de 2010, 21:30

Título: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: psi em 01 de Maio de 2010, 21:30
Olá amigos,

No cap. VI, tópico "Os sóis e os planetas", há uma descrição da parte dos espíritos sobre a criação dos mundos, a qual me parece corroborar com a teoria do Big Bang, na qual os mundos teriam se originado a partir de uma grande explosão ou de sucessivas explosões.
Segue abaixo o texto para a apreciação dos amigos:

Ora, sucedeu que num ponto do Universo, a matéria cósmica (FCU) se condensou sob a forma de uma imensa nebulosa. Esta nebulosa estava animada pela leis universais que regem a matéria; em virtude dessas leis, e principalmente pela força molecular da atração, ela tomou a forma de um esferóide.

O movimento circular produzido pela gravitação rigorosamente igual de todas as zonas moleculares em direção ao centro, modificou bem depressa a esfera primitiva, para a conduzir, de movimento em movimento, em direção à forma lenticular.

Novas forças surgiram em seguida a este movimento de rotação: a força centrípeta e a força centrífuga; a primeira tendente a reunir todas as partículas no centro, e a segunda, tendente a afastá-las. Com o movimento em aceleração, à medida que a nebulosa se condensava, e com seu raio aumentando à medida que ela se aproximava da forma lenticular, a força centrífuga, incessantemente desenvolvida pelas duas causas, predominou logo sobre a atração central.

Da mesma forma que o movimento muito rápido da funda arrebenta sua corda e arremessa longe o projétil, assim a predominância da força centrífuga destacou o círculo equatorial da nebulosa e desse anel formou nova massa isolada da primeira, porém nem por isso menos submetida a seu influxo. Essa massa conservou o seu movimento equatorial o qual, modificado, tornou-se o movimento de translação em redor do astro solar. Além disso, seu novo estado lhe dá um movimento de rotação em redor de seu próprio centro.

A nebulosa geratriz que deu nascimento a este novo mundo se condensou e retornou a forma esférica; mas o calor primitivo, desenvolvido por seus diversos movimentos, não se enfraquece senão com extrema lentidão e o fenômeno que acabamos de descrever se reproduzirá frequentemente e durante um longo período, até que essa nebulosa seja bastante densa, bastante sólida, para opor uma resistência eficaz às modificações de forma que lhe imprime sucessivamente seu movimento de rotação.

Ela não terá, pois, dado nascimento a um só astro, mas a centenas de mundos destacados do foco central, dele saídos pelo modo de formação acima mencionado. Ora, cada um desses globos, revestido de forças naturais que presidem à criação dos universos, gerará sucessivamente novos mundos que de agora em diante gravitarão ao redor dele, como ele em conjunto faz com seus irmãos em redor do foco de sua existência e de sua vida. Cada um desses mundos será um sol, centro de um turbilhão de planetas sucessivamente destacados de seu equador.

Assim se formaram os planetas, com massas de matéria condensada, embora ainda não solidificada, destacadas da matéria central mediante a ação da força centrífuga. Um desses planetas será a Terra, o qual antes que se esfriasse e fosse revestido de uma crosta sólida, daria nascimento à Lua, pelo modo de formação sideral ao qual ela teve sua própria existência.         




Um abraço



PSI
Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: Renato_ em 01 de Maio de 2010, 22:41
Psi,

Essa é a teoria da Nebulosa Primitiva, para a formação do sistema solar (leia mais sobre ela no cap. 4 de A Gênese que possui aliás, várias teorias para a formação da Terra).

O máximo que dá para fazer com esse  trecho  é estendê-lo à criação das galáxias.

Não há, a meu ver, como estabelecer um ponto de contato entre essa teoria com a teoria do Big-bang. Nesta última, a matéria teria se condensado a um ponto absurdamente minúsculo da ordem  de 10x-23 (10 elevado à potência de -23) o que é diferente de dizer que "a matéria se condensou numa nebulosa".

Além do mais,  na teoria do Big-bang, as galáxias só surgem após cerca de 100 mil ou 100 milhões de anos, não me lembro direito. Antes disso há um período de  "trevas" em que não havia nada.

Ademais a teoria do Big-bang é, de certa forma hipotética, e na época do desenvolvimento da mesma, houve "paradigmas concorrentes" ou "modelos" para se explicara o surgimento do Universo veja:

(eu tinha feito um resumo desse artigo, mas a moderação  do fórum de Astronomia apagou o meu post,  porque lá é PROIBÍDO contestar os paradigmas vigentes (q absurdo!!!)


Leia esse interessante artigo, de onde eu extraí o trecho abaixo http://rbrebello.wordpress.com/2009/06/10/o-big-bang-e-o-comeo-de-tudo/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3JicmViZWxsby53b3JkcHJlc3MuY29tLzIwMDkvMDYvMTAvby1iaWctYmFuZy1lLW8tY29tZW8tZGUtdHVkby8=)

(ver  mais sobre teoria do big-bang em http://astro.if.ufrgs.br/univ/#bigbang (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2FzdHJvLmlmLnVmcmdzLmJyL3VuaXYvI2JpZ2Jhbmc=))

Existem diversos modelos alternativos para explicar o desenvolvimento do universo, ainda que nenhum deles tenha sido aceito de forma tão ampla quanto a Teoria do Big Bang.

•O modelo do estado estacionário para o universo sugere que o universo sempre teve e sempre terá a mesma densidade. A teoria concilia as aparentes provas de que o universo está se expandindo pela sugestão de que o universo gera material em ritmo proporcional à sua taxa de expansão.
•O modelo ecpirótico sugere que o universo é o resultado da colisão de dois mundos tridimensionais em uma quarta dimensão que está oculta. O modelo não está em conflito completo com a Teoria do Big Bang, já que, depois de algum tempo, ele se alinha aos eventos descritos pela Teoria do Big Bang.
•A Teoria do Grande Salto sugere que nosso universo é um de uma série de universos que primeiro se expandem e depois se contraem. O ciclo se repete em intervalos de muitos bilhões de anos.
•A cosmologia  de plasma tenta definir o universo em termos de suas propriedades eletrodinâmicas. O plasma é um gás ionizado, o que significa que é um gás com elétrons livres em movimento, capazes de conduzir eletricidade.



abçs,



Renato

 



Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Maio de 2010, 23:13

Pralaya - Oriente / Teosofia

Ein Sof - Cabalah

Repouso Absoluto - Espiritualismo em geral (incluindo o Espiritismo)

Trevas - religiões reducionistas
Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: psi em 02 de Maio de 2010, 02:05
Não há, a meu ver, como estabelecer um ponto de contato entre essa teoria com a teoria do Big-bang. Nesta última, a matéria teria se condensado a um ponto absurdamente minúsculo da ordem  de 10x-23 (10 elevado à potência de -23) o que é diferente de dizer que "a matéria se condensou numa nebulosa".

Olá Renato

O que voce disse é exatamente o que eu interpretei do texto de Kardec.

Deus teria atraído para uma parte do Universo uma grande quantidade de FCU.
Sob a ação da vontade de Deus, esse FCU começou a se condensar sob a forma de uma imensa nebulosa.
Pela força de atração gravitacional, toda essa massa cósmica que se mantinha no formato esferóide começou a se dirigir para o centro da esfera, que passou à forma lenticular, ou seja, ao formato de um grão de lentilha, com uma densidade absurdamente grande e uma grande energia concentrada. Claro que os espíritos não utilizaram o nível de grandeza que se utiliza para se caracterizar o tamanho ínfimo a que se reduziu a matéria, até por uma questão de dificuldade de visualização, para tanto, utilizou-se do termo lenticular, para nos dizer que toda essa matéria cósmica teria se reduzido a um tamanho ínfimo.
Essa absurda energia condensada, deu origem a uma grande explosão, da qual teria originado as primeiras galáxias do Universo com seus sóis primitivos, que futuramente também, através de explosões, deram origem aos planetas e satélites que em torno desses sóis passaram a orbitar.
E depois de formar novos mundos após essa grande explosão ( note que o termo explosão fui eu que usei, já que os espíritos usam o termo força centrífuga), a massa cósmica novamente se expandiria no formato esferóide, voltando novamente a se contrair a densidades absurdamente elevadas e a tamanhos ínfimos, gerando novas explosões.
Dessa forma, nós não teríamos tido apenas um big bang, mas vários big bangs, cada um deles formando um aglomerado de galáxias em expansão contínua.
As primeiras explosões seriam as galáxias que estariam hoje mais distantes dessa região do espaço sideral em que teve início a grande gênese da matéria tridimensional.

O que você acha dessa análise que fiz do texto de Kardec?
O único senão a teoria original do big-bang é que não teria havido apenas uma única grande explosão, e sim várias.
Você que é um grande estudioso da astronomia, o que você acha dessa possibilidade?


Um abraço


PSI    
Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: Renato_ em 02 de Maio de 2010, 02:58
1- O que você acha dessa análise que fiz do texto de Kardec?
O único senão a teoria original do big-bang é que não teria havido apenas uma única grande explosão, e sim várias.

2- Você que é um grande estudioso da astronomia, o que você acha dessa possibilidade?


Um abraço


PSI

Olá Psi,

2- Eu não sou um "grande estudioso da Astronomia" não rsrs. Quem me dera. Fui, antes de trabalhar com caminhão, um assíduo leitor de livros de divulgação científica, no tangente à História da Física e da Astronomia, mas isso foi a mais de 5 anos atrás. Desde lá não tenho lido mais nada!

1- É uma interpretação que você fez. Uma boa tentiva rsrs.

Quando Hubble criou o quadro morfológico das galáxias, só posteriormente ele incluiu as galáxias lenticulares nesse quadro

(http://www.uai.com.br/UAI/noticias/fotos/20090831165140843.jpg)

que estaria entre as elípicas - de E0 a E5, e SO são as galáxias lenticulares - e as galáxias espirais, que  se dividem em dois tipos do ponto de vista morfológico: espirais, e espirais-barradas e suas respectivas subdivisões morfofógicas.

Portanto, o Espírito Galileu não poderia ter usado a palavra lenticular para designar tais galáxias, mas talvez, para designar a forma "elíptica" da nebulosa, já que "elípse" também quer dizer "forma oval". Entenda: o que o Espírito Galileu disse, foi que,  à medida que a nebulosa gira, ao invés de predominar a força centrípeta, predominou a força centrífuga.

Ora pois! se tivesse predominado a força centrípeta, a "nebulosa" poderia ter dado origem a braços espirais, ou seja, a matéria lançada no espaço devido à grande velocidade de rotação em torno do próprio eixo da nebulosa, e principalmente devido à grande força de atração de seu centro, teria lançado a matéria para o espaço, mas esta última, não tendo forças para escapar do centro gravitacional, teria tomado a forma de braços espirais. Mas ao invés disso, a força centrífuga predominou, e então as massas se destacaram formando sóis, planetas e satélites, segundo a Teoria Nebular. Bom rsrsrs  ficou confuso; nesse sentido Galileu teria que saber de antemão  essa questão da morfologia das galáxias. Ficou  confuso, mas não vou apagar, deu trabalho para fazer kkkk  

No começo do século XX houve uma grande discussão sobre o processo de formação e morfologia das galáxias. A pergunta que eles faziam era, as galáxias espirais são uma evolução das galáxias elípticas, ou,  ao contrário, será que o movimento de rotação das galáxias em torno do próprio eixo, e devido a poderosa atração gravitacional do centro da galáxia, com o tempo não faz com que os seus braços encolham e ela se tome a forma elíptica??

Um dos primeiros a formular a teoria do big-bang, foi o padre e cosmólogo belga, Georges Lemâitre

(http://www.astronomynotes.com/science-religion/NormLevan/lemaitre-einstein.jpg)
Lemaitre e Einstein na foto. (Eu sempre me pergunto porque eles estão com essas caras?? Eu aventei uma hipótese de que eles faziam parte de comunidades  científicas distintas, e portanto divergentes)

A Teoria do Ovo Cósmico deu origem às mais de 50 versões da teoria do Big-bang que existem hoje, mas ela só foi concebida no século XX, e a Gênese foi ditada pelos Espíritos seguindo o conhecimento da época, em que estava em voga a Teoria Nebular ou Teoria da Nebulosa Primitiva (A Gênese)

Não creio portanto, Psi, que os Espíritos tenham feito essa "antecipação" por meio de uma metáfora.

Repare, se eles o tivessem feito, seria como dar a mão à palmatória, porque, e se a Teoria do Big-bang viesse a ser desbancada??

Você leu no meu post anterior que existiram vários  modelos teóricos para se explicar o surgimento do Universo, mas o modelo que "prevaleceu", foi a teoria do big-bang. Ela pode cair de uma hora para outra, ou ser suplantada ou  abandonada, caso surja um modelo explicativo mais convicente e atraente porque as teorias físicas também  são  aceitas devido à sua "capacidade estética de síntese", tem que haver alguma "beleza" nelas, como E=mc2, que com poucos símbolos, explica  muita coisa.

Mas, enfim... não creio que os Espíritos  falavam do big-bang, quando falaram da concentração de massa da nebulosa primitiva.

Na minha opinião, eles não tinham conhecimento sobre isso. E se tinham, não lhes era permitido dizê-lo à humanidade.

Mas essa, é apenas a minha opinião, o que eu penso sobre essa questão.

Um abraço,

Renato


 
Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: Brenno Stoklos em 03 de Novembro de 2013, 04:39

A teoria do Big Bang (1927), decorre da teoria da relatividade geral mas que NÃO tem sido confirmada pela observação.

Existem vários problemas:
 
Em primeiro lugar, as mesmas observações (v.g. radiação cósmica de fundo) podem corroborar diferentes modelos cosmológicos, ao passo que podem faltar observações essenciais à conformação do modelo (v.g. antimatéria; hiperesfera 4-D; mais buracos negros) e podem existir observações não preditas pelo modelo (v.g. momento angular do sistema solar; quantização das “redshifs” das galáxias; polarização das ondas de rádio das galáxias; anisotropia da radiação cósmica de fundo, presença de galáxias maduras pouco depois do Big Bang).
 
Em segundo lugar, o Big Bang não explica como é que surgiu a singularidade inicial, obtida por simples mas hipotético “rewind” do Universo. Além disso, a teoria do Big Bang não nos diz qual a origem da partícula infinitesimal que condensava o espaço, o tempo, a matéria e a energia. Não nos diz o que é que gerou a hipotética explosão. Não explica como é que uma explosão pode ter criado um Universo de baixa entropia, quando todas as explosões que conhecemos aumentam a entropia. Não explica o que é que gerou a inflação do Universo, necessária para resolver o chamado “problema do horizonte”, nem como é que ela terá sido interrompida (problema da “saída airosa”).

Além disso, o Big Bang não consegue explicar de forma convincente a origem das galáxias, das estrelas, dos “planetesimais", do sistema solar, etc., como reconheceu, desde logo, STEPHEN HAWKING  em sucessivas obras.

Por essas e por outras, Joseph Silk afirma, no seu livro The Big Bang, que se trata de uma teoria SEM um princípio. Tudo isso mostra que a teoria NÃO FUNCIONA no mundo REAL.

A Doutrina Espírita ainda tem a melhor resposta:

17. É dado ao homem conhecer o princípio das coisas?

“Não, Deus não permite que ao homem tudo seja revelado neste mundo".

18. Penetrará o homem um dia o mistério das coisas que lhe estão ocultas?

“O véu se levanta a seus olhos, à medida que ele se depura; mas, para compreender certas coisas, são-lhe precisas faculdades que ainda não possui".

19. Não pode o homem, pelas investigações científicas, penetrar alguns dos segredos da Natureza?

“A Ciência lhe foi dada para seu adiantamento em todas as coisas; ele, porém, não pode ultrapassar os limites que Deus estabeleceu".

Quanto mais consegue o homem penetrar nesses mistérios, tanto maior admiração lhe devem causar o poder e a sabedoria do Criador. Entretanto, seja por orgulho, seja por fraqueza, sua própria inteligência o faz joguete da ilusão. Ele amontoa sistemas sobre sistemas e cada dia que passa lhe mostra quantos errou tomou por verdades e quantas verdades rejeitou como erros. São outras tantas decepções para o seu orgulho.

                                                        O Livro dos Espíritos

Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: Vitor Santos em 03 de Novembro de 2013, 12:29
Olá amigo Brenno

As observações têm sempre confirmado a teoria do Big Bang.

A própria teoria surgiu da observação de que a distância entre as galáxias está a aumentar.

Mas a mesma teoria se pode deduzir teoricamente através de equações propostas por Einstein.

O amigo está a refutar aquilo que não tem condições de refutar. Também tolo seria aquele que estudasse a teoria do Big Bang pelos seus posts, pois estaria apenas a perder tempo.

Estas coisas devem ser estudadas através dos livros de ciência, amigo.

Para além de tudo o mais, a teoria do Big Bang não contradiz a doutrina espirita, nem a doutrina espirita contradiz a teoria do Big Bang.

bem haja
Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: lconforjr em 03 de Novembro de 2013, 13:58
      Quantos big-bangs já devem ter acontecido desde o "início dos tempos", neste universo infinito e na eternidade em que tudo está?

      Quantos big-bangs estarão acontecendo neste mesmo instante? Quantas vezes as forças centrifugas, de expansão, e as centrípetas, de atração gravitacional ao ponto de partida, já entraram em ação e estão ainda agindo?

      Quantas vezes já houve esse movimento de "expiração" e "inspiração" envolvendo todo o universo ou partes dele? Ou as infinitas noites de retração, e os infinitos dias de expansão, como dizem os orientais, a noite e o dia búdico?
................
...................
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: EsoEstudos em 03 de Novembro de 2013, 18:15
Processo pressupõe uma sequência de fenômenos interligados sucessivamente. Assim, o início e o fim do processo não fazem parte dos fenômenos em que o processo se desdobra --- mera referência didática para entendermos que os fenômenos de um processo são os que estão ligados a outros fenômenos no antecedente e no que lhe sucede.


Em algum ponto do processo evolutivo estamos nós.


Não temos ideia do início, tampouco do fim. Quanto mais se pensarmos que início e fim podem ser o mesmo fenômeno...


Os cientistas não têm certeza se o Universo está em expansão ou em contração, pelo menos ainda hoje já os que defendem uma e outra coisa. Mas é certo que os conglomerados galáticos equilibram-se em eixos gravitacionais dinamicamente inter-relacionados. Talvez o cosmos não esteja nem se expandindo, nem se contraindo; ou talvez esteja sob ciclos de expansão e contração...


Já é por demais empolgante saber que a Física está certa de que o espaço é tudo, menos o nada... É ele alguma coisa... Algo que se deforma pela ação dos corpos massivos --- a explicação moderna para a gravidade.


A mais poética das visões científicas, em minha modesta opinião, é a tese de que vivemos e observamos meros sobejos do encontro de matéria e antimatéria quando, pelo verbo, fez-se a luz...
Título: Re: A GÊNESE E O BIG BANG
Enviado por: Brenno Stoklos em 03 de Novembro de 2013, 22:57

O amigo está a refutar aquilo que não tem condições de refutar.

bem haja


Eu não estou a refutar nada, amigo Vítor.

O que eu postei não são opiniões minhas, mas de cientistas. Entre eles Stephen Hawking.

Só para mostrar que o que há de verdade entre eles são contradições.

O que a Doutrina Espírita diz vale para todos os habitantes da Terra:


"para compreender certas coisas, são-lhe precisas faculdades que ainda não possui".

                                                                O Livro dos Espíritos

Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 03 de Novembro de 2013, 23:55
No meu ponto de vista, a teoria do Big Bang é a maneira como os cientistas conseguem entender e explicar o processo de criação, ao qual, como nos diz a DE, não temos condições de conhecer.
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: psi em 04 de Novembro de 2013, 03:04
Trago mais alguns trechos de A Gênese para a reflexão dos amigos:


Deus, existindo por sua natureza de toda a eternidade, criou de toda a eternidade... 

... A matéria cósmica primitiva deu sucessivamente nascimento a turbilhões, a aglomerações desse fluido difuso, a aglomerados de matéria nebulosa que dividiram a si mesmos e se modificaram ao infinito, para produzir, nas regiões incomensuráveis da extensão, diversos centros de criações simultâneas ou sucessivas...   

...A matéria cósmica primitiva encerrava os elementos materiais, fluídicos e vitais de todos os universos que desdobram suas magnificências perante a eternidade; ela é a mãe fecunda e primacial de todas as coisas, a geratriz eterna. Ela não desapareceu, essa substância de onde provêm as esferas siderais ainda dá à luz novas criações...


Esses trechos, pelo menos para mim, deixam claro que os possíveis Big-Bangs ocorridos a partir da acumulação de uma enorme quantidade de FCU e sua consequente expansão, ocorreram e continuam ocorrendo em vários locais do Universo. 


Um abraço


PSI
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Brenno Stoklos em 04 de Novembro de 2013, 03:08
No meu ponto de vista, a teoria do Big Bang é a maneira como os cientistas conseguem entender e explicar o processo de criação, ao qual, como nos diz a DE, não temos condições de conhecer.


Concordo, amigo Gustavo,

Penso que deve ser esse mesmo o papel da ciência: Buscar conhecimento.

Mas, gostaria que os cientistas buscassem conhecimentos que nos fossem mais úteis do que simplesmente saciar nossa curiosidade.

Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Novembro de 2013, 10:18
Olá amigo Gustavo

Citar
No meu ponto de vista, a teoria do Big Bang é a maneira como os cientistas conseguem entender e explicar o processo de criação, ao qual, como nos diz a DE, não temos condições de conhecer.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/a-genese/a-genese-e-o-big-bang/#ixzz2jfdO86dl

A teoria do Big Bang não explica o processo de criação. Apenas descreve a evolução do universo e explica o afastamento das galáxias com base na inflação do universo observável. A teoria do Big Bang nada refere quanto à razão pela qual se deu o Big Bang, apenas constata que ele existiu. E não prova que o universo seja apenas o universo observável. A teoria do Big Bang Não é uma forma de explicação, é o que nos dizem os factos, pois foi deduzida de forma empírica, embora se possa confirmar teoricamente.

A minha conclusão é que o amigo não sabe o que é a teoria do Big Bang.

bem haja

 
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Novembro de 2013, 10:34
No meu ponto de vista, a teoria do Big Bang é a maneira como os cientistas conseguem entender e explicar o processo de criação, ao qual, como nos diz a DE, não temos condições de conhecer.


Concordo, amigo Gustavo,

Penso que deve ser esse mesmo o papel da ciência: Buscar conhecimento.

Mas, gostaria que os cientistas buscassem conhecimentos que nos fossem mais úteis do que simplesmente saciar nossa curiosidade.
Essa é uma questão interessante meu caro, onde termina a busca por conhecimento e começa a simples e futil curiosidade?
A futilidade esta, muitas vezes, nos objetivos pelos quais buscamos saciar nossa curiosidade.
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Brenno Stoklos em 05 de Novembro de 2013, 00:45

A teoria do Big Bang não explica o processo de criação.

bem haja



Essa é a visão pessoal do amigo quanto à teoria do big bang.

A dos cientistas é bem diferente:


O modelo padrão do Big Bang.


O universo iniciou a partir de um estado extremamente quente e extremamente denso, em que toda a matéria e toda a radiação estavam contidas num espaço infinitamente pequeno.

Em 1973 E. Tyron propos que o início da expansão ocorreu a partir de uma = flutuação quântica do vácuo.

Nos primeiros momentos do universo ele era tão quente que a colisão de fótons podia produzir partículas materiais.

À medida que o universo se expande, ele esfria.

Quanto menor a temperatura, menor a energia de radiação, e menor a massa das partículas que podem ser produzidas nas colisões de fótons.

Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Novembro de 2013, 10:50
Olá amigo Brenno

As minhas palavras não foram claras, mas o que eu queria dizer é que a ciência não explica a razão pela qual houve criação, nem sequer prova que houve criação. Mas aqui pode estudar um pouco, de fontes mais seguras:

http://cosmo.fis.fc.ul.pt/~crawford/Nobel_Physics_2006.htm

bem haja
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Brenno Stoklos em 06 de Novembro de 2013, 02:53
Olá amigo Brenno

As minhas palavras não foram claras, mas o que eu queria dizer é que a ciência não explica a razão pela qual houve criação, nem sequer prova que houve criação. Mas aqui pode estudar um pouco, de fontes mais seguras:

http://cosmo.fis.fc.ul.pt/~crawford/Nobel_Physics_2006.htm

bem haja


Isso está claro, amigo Vítor, e nem poderia ser de outra maneira.

Não é esse o papel da ciência.

O problema é que há um enorme desperdício, por parte de alguns cientistas, de tempo, esforços, dinheiro e inteligência, na busca de conhecimentos que em nada beneficiam a Humanidade.

Como diz a Doutrina Espírita:

"Quanto mais consegue o homem penetrar nesses mistérios, tanto maior admiração lhe devem causar o poder e a sabedoria do Criador. Entretanto, seja por orgulho, seja por fraqueza, sua própria inteligência o faz joguete da ilusão. Ele amontoa sistemas sobre sistemas e cada dia que passa lhe mostra quantos erros tomou por verdades e quantas verdades rejeitou como erros. São outras tantas decepções para o seu orgulho".

                                                       O Livro dos Espíritos


Ou, como disse Salomão:

"Tudo é vaidade e correr atrás do vento!"


Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Novembro de 2013, 13:59
Olá amigo Brenno

A ciência não é vaidade. Será vaidade investigar as doenças, para as poder prevenir? O que é ignorância, e não vaidade, é falar de ciência sem saber o que se diz.

Quem é que disse que os cientistas não admiram a inteligência, o engenho, que a obra que é a natureza material nos mostra a toda a hora? A contemplação da natureza é que deu origem à ciência. O facto de chamarmos Deus à Inteligência Suprema, Causa Primeira de todas as coisas, não explica como Deus agiu, ao lançar esta obra. O que nós sabemos é como uma parte dessa obra se desenvolveu, se transformou, desde há alguns milhões de anos para cá.

A ciência não confirma nem desmente a existência de Deus. Trata-se de uma hipótese não comprovada (nem comprovável) para a ciência. Trata-se de uma crença para as pessoas, em geral. Todavia nunca ninguém foi capaz de eliminar essa hipótese, a partir do método cientifico. O que é vaidade é afirmar como se fosse uma certeza, como é Deus e como é que Ele lançou este universo. Pois isso está acima da capacidade humana.

bem haja
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Novembro de 2013, 14:25
"A ciência não confirma nem desmente a existência de Deus. Trata-se de uma hipótese não comprovada (nem comprovável) para a ciência. Trata-se de uma crença para as pessoas, em geral. Todavia nunca ninguém foi capaz de eliminar essa hipótese, a partir do método cientifico. O que é vaidade é afirmar como se fosse uma certeza, como é Deus e como é que Ele lançou este universo. Pois isso está acima da capacidade humana."
Faço minhas suas palavras meu caro.
É muita pretensão, e ai o erro maior dos religiosos em geral, acreditar que conhecem Deus melhor do os que habitam sua própria casa.
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: josecastiel em 06 de Novembro de 2013, 15:33
Novamente alerto: Cuidado para tomar como verdade DOGMAS científicos que não passam ainda de especulações teóricas.
Não vou me alongar. Apenas peço que olhem o documentário abaixo ( há muito mais, muito mesmo. Mas este documentário já levanta algumas "dúvidas").

The Big Bang Never Happened Part 1 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTF5VGZSeTBMVEQwJmFtcDtmZWF0dXJlPWM0LW92ZXJ2aWV3LXZsJmFtcDtsaXN0PVBMMzVBMzJDNkU4NzdGRUFDMyM=)

No link acima está apenas a parte 1, há ainda mais 8 partes.

Também sugiro que olhem o seguinte canal do youtube para nova forte teoria de mecanismos cosmológicos que surge:

http://www.youtube.com/channel/UCvHqXK_Hz79tjqRosK4tWYA

Sempre é bom ficar com a mente aberta a novos paradigmas.

Sds
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Novembro de 2013, 18:03
Olá amigo José Castiel

Não discuto sobre o Big Bang, mas posso desmentir o carácter dogmático da ciência. Isso talvez seja uma confusão entre o que é ciência e o que dizem os cépticos fanáticos, esses sim, dogmáticos, confundindo as respectivas crenças pessoais com ciência. Ciência é o oposto de dogmatismo. Em ciência as hipóteses vão sendo testadas, encontrando-se mais afastadas ou menos afastadas da realidade, conforme os resultados das provas a que são submetidas. Se os resultados das experiências, cada vez mais complexas e completas, se repetem de todas as formas e feitios, planeadas sob as mais variadas perspectivas, começam a tornar-se confiáveis. Todavia, tudo está sempre em questão, se novos dados apontarem para aí. Esta é a base fundamental da mentalidade cientifica: o cepticismo (se não doentio, obviamente...).   

As minhas bases sobre o Big Bang coincidem com as que se seguem. Não são da minha autoria, mas são bem fundamentadas. Para mim, por agora, são a verdade que a minha compreensão abrange, mas não tenho condições (sabedoria) para debater a validade da teoria, nem me parece fácil fazê-lo dentro do âmbito e entre as pessoas que frequentam este fórum:
 
http://cosmo.fis.fc.ul.pt/~crawford/Nobel_Physics_2006.htm

Trata-se de teorias extremamente complexas, mais ainda se conjugadas por teorias como a do Biocentrismo de Robert Lanza, por exemplo. Para este cientista, se bem entendo, o espaço e o tempo não são valores universais e objectivos, mas dependem do observador. Os eventos existem sob a forma de uma função de probabilidades. Portanto eles apenas existem quando o observador centra a atenção neles. A nossa forma de compreender a sequência do tempo e a organização do espaço são inerentes à nossa experiência subjectiva, e não à realidade objectiva, se é que isso existe.

Mas às hipóteses de Lanza podemos somar a teoria M das Super-membranas e por ai adiante. Podemos fazer um milhão de posts de opiniões pessoais a contradizer uns aos outros. E onde vamos chegar no fim de tudo isso? - A uma perda de tempo imenso, sem conclusões úteis. As pessoas do fórum nem sequer estão todas ao mesmo nível cientifico, para debaterem em pé de igualdade. 

Enfim, se o amigo quer que a teoria do Big Bang seja viável, assim seja. Senão quiser, assim seja também. Gosto deste tipo de assuntos, mas não lhe posso garantir nada, nem tenho nada para lhe ensinar, a si, nem a ninguém, sobre este assunto ou outro. Como dizia antigo Sócrates: eu só sei que nada sei. Se ele não sabia, eu ainda menos...
 
bem hajam
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: josecastiel em 06 de Novembro de 2013, 19:22
Amigo Vitor Santos,

Eu não postei para dizer qual é a teoria mais correta, mas somente para mostrar que o Big Bang é apenas isto, uma teoria e não uma verdade comprovada.

ps: particularmente prefiro uma ciência mais baseada em observações do que especulações matemáticas ( teoria das cordas, energia escura, matéria escura etc...) e assim, pelas minhas leituras e aprendizados concluo que no momento  o Big Bang não é uma teoria válida mais.
Mas como o amigo disse perfeitamente: "Só sei que nada sei". E nisso concordamos em gênero número e grau.

Abraços
Título: Re: A Gênese e o Big Bang
Enviado por: Brenno Stoklos em 07 de Novembro de 2013, 04:01
Olá amigo Brenno

A ciência.............
..........................humana.

bem haja


A ciência não é vaidade.

Para alguns é sim, amigo Vitor,

Alguns, que a si mesmos se intitulam cientistas, buscam apenas reconhecimento e dinheiro, além de um possível Prêmio Nobel. O Bem da humanidade, para esses, é a última coisa que lhes passa pela cabeça!


Será vaidade investigar as doenças, para as poder prevenir?

Evidentemente que não!

Os trabalham nessa área são os que podemos chamar de cientistas de verdade!


O que é ignorância, e não vaidade, é falar de ciência sem saber o que se diz.

O uso de argumentos ad hominem também o é!


Quem é que disse que os cientistas não admiram a inteligência, o engenho, que a obra que é a natureza material nos mostra a toda a hora?

Não sei!

Eu é que não fui!  ;D

O que eu disse foi que há um enorme desperdício, por parte de alguns cientistas, de tempo, esforços, dinheiro e inteligência, na busca de conhecimentos que em nada beneficiam a Humanidade.


A contemplação da natureza é que deu origem à ciência.

Melhor dizendo: A busca da compreensão dos fenômenos naturais.


O facto de chamarmos Deus à Inteligência Suprema, Causa Primeira de todas as coisas, não explica como Deus agiu, ao lançar esta obra.

E nem saberemos, ou explicaremos, enquanto nos faltarem as faculdades necessárias para tal!


O que nós sabemos é como uma parte dessa obra se desenvolveu, se transformou, desde há alguns milhões de anos para cá.

Realmente! Esse mínimo de conhecimento já possuímos.


A ciência não confirma nem desmente a existência de Deus. Trata-se de uma hipótese não comprovada (nem comprovável) para a ciência. Todavia nunca ninguém foi capaz de eliminar essa hipótese, a partir do método cientifico.

Isso, simplesmente, não é da alçada da ciência.


Trata-se de uma crença para as pessoas, em geral.

Trata-se de uma certeza para aqueles que se utilizam do raciocínio lógico.


O que é vaidade é afirmar como se fosse uma certeza, como é Deus e como é que Ele lançou este universo. Pois isso está acima da capacidade humana.

Isso é verdade! E está na Doutrina Espírita.